Abrantes, Sociedade

Inauguração da requalificação e reordenamento da margem sul do Tejo – Abrantes

A segunda fase da requalificação da margem sul do Rio Tejo, em Abrantes, está concluída. A intervenção constou do reordenamento da margem com uma operação de requalificação urbana e ambiental que vem dar uma nova vida ao espaço entre a ponte rodoviária e a zona conhecida como Fonte dos Touros, na freguesia de Rossio ao sul do Tejo. Esta margem tinha já sido alvo de uma primeira intervenção com a criação de zonas verdes, passeios e infra-estruturação. A actual intervenção veio criar um espaço mais dinâmico. Entre o hipódromo e os Mourões (conjunto de pilares de uma antiga ponte de barcas do século XIX, classificado como imóvel de interesse público), nasceu uma praça aberta ao Tejo, com cobertura para garantir sombra e iluminação nocturna, e com condições para a realização de espectáculos. Entre os Mourões e a Fonte dos Touros situa-se agora um Jardim Ribeirinho, um Caminho Pedonal, Zonas de Estar e de lazer, Parque Infantil e Parque Sénior.

A obra, projectada pelo Arquitecto António Garcia, foi adjudicada por um 1,6 milhões de euros à empresa Sociedade Construções José Coutinho. Teve uma comparticipação financeira do FEDER, de 942,755 euros.

 

O investimento integra-se num ambicioso programa de intervenções, iniciado em 2000, que permitiu devolver o rio Tejo às populações, ligando o que há décadas se perdeu. A intervenção deu lugar a uma frente ribeirinha convertida num Parque Urbano Ribeirinho – Aquapolis. É hoje um espaço de convivência social e cais de recreio, lazer, desporto, turismo e cultura. Uma das principais obras deste projecto é o açude insuflável no rio, inaugurado em 2008, que permitiu a criação de um espelho de água com 80 hectares de superfície. O plano de água é desde então palco da realização de desportos náuticos com vocação turística e para a pesca desportiva.

 

A requalificação do antigo Parque de Campismo em Centro de Acolhimento do Tejo, que se prevê esteja concluída até ao final de 2011, permitirá a introdução de uma estrutura de utilização comunitária que constitua uma referência no apoio a todas as actividades que se desenvolvem em torno do eixo estratégico sustentado pelo Rio Tejo

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

2 comentários

  1. este espaço tem tanta actividade como um cemiterio, mas ficou bonito. o que mais gosto é a tenda ficou bem no centro de tanta actividade

  2. Tanto dinheiro deitado fora, melhor seria se aplicado no arranjo da n/ rua em Arrifana. Gostava que a Snra.
    Presidente por cá passasse de vez em quando, mas no seu carro particular. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *