Sociedade, Vila Real de Santo António

Autarca vilarrealense aponta medidas para a revitalização dos centros históricos – VRSA

O VIII Congresso Internacional de Cidades e Entidades do Iluminismo arrancou esta quinta-feira, no Centro Cultural António Aleixo. A sessão de abertura contou com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, do Presidente da Associação Internacional de Cidades e Entidades do Fórum do Iluminismo (AiCEi) e vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, José Carlos Barros, e do representante da AiCEi, Javier Varela.

 

Para o presidente da Câmara Municipal de VRSA, o congresso está a permitir debater as oportunidades de requalificação dos centros históricos, dando como exemplo as políticas de regeneração urbana que têm sido desenvolvidas pelo executivo, nos últimos seis anos.

Classificando a requalificação do espaço público como um elemento «diferenciador e valorizador» da imagem das cidades, o autarca fez saber que amanhã, sexta-feira, irá apresentar ao secretário de Estado da Cultura, Dr. Francisco José Viegas – presente na sessão de encerramento dos trabalhos – um conjunto de propostas.

«Este é o tempo certo para reflectir sobre as oportunidades de valorização dos centros históricos, para que estes espaços sejam entendidos pelos diferentes níveis da administração pública como uma prioridade para ampliar a qualidade de vida e o desenvolvimento económico».

Já o presidente da AiCEi e vice-presidente da autarquia vilarrealense, José Carlos Barros, sublinhou que Vila Real de Santo António é uma urbe que só pode ser compreendida no seu todo, dado o simbolismo que está associado à sua concepção de cidade-fábrica e ao seu planeamento cuidado.

Aludindo às múltiplas iniciativas que têm contribuído para a sua requalificação, o arquitecto deu como exemplos a publicação, em Diário da República, do Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino de Vila Real de Santo António; apontou o processo de classificação como Imóvel de Interesse Municipal do Hotel Guadiana; aludiu à candidatura do município ao programa Jessica (Apoio europeu conjunto para o investimento sustentável nas zonas urbanas) e sublinhou o trabalho desempenhado pelo Programa Municipal de Incentivos à Reabilitação de Imóveis (Realce).

Na mesma linha, José Carlos Barros apresentou aos congressistas o recente plano da autarquia e da empresa municipal Sociedade de Gestão Urbana (SGU), que visa criar alojamento de qualidade em oito edifícios de matriz pombalina, gerando cerca de 130 novas camas.

«Não havendo recursos públicos, a aposta nas parcerias público-privadas é umas das melhores formas para requalificar o património que, no caso de Vila Real de Santo António, está identificado e diagnosticado edifício a edifício», concluiu o também presidente da AiCEi.

Referindo que a Associação Internacional de Cidades e Entidades do Fórum do Iluminismo (AiCEi) é igualmente uma associação que se preocupa com os ideais de modernidade, num sentido lato, o seu representante, Javier Varela, iniciou os trabalhos com uma homenagem ao fundador da Apple, Steve Jobs, que hoje faleceu vítima de doença prolongada.

«A AiCEi também está atenta ao progresso e não poderíamos deixar de homenagear alguém que mudou a forma como comunicamos», notou Varela.

————————————-

Sobre a AiCEi

O congresso é organizado pela Associação Internacional de Cidades e Entidades do Fórum do Iluminismo (AiCEi), da qual fazem parte um conjunto alargado de urbes e instituições como o Município de Vila Real de Santo António, os Ayuntamientos de Madrid e Cartagena, as Universidades de Cadiz e Oviedo ou a cidade de Nueva Guatemala de La Asunción (Guatemala).

VRSA, que assume actualmente a presidência desta associação, quer promover um debate amplo sobre os novos desafios que se colocam à regeneração urbana.

A AiCEi é um eixo de ligação destinado a difundir o conhecimento e a protecção do património material e imaterial do século XVIII e a sua projecção e reflexo na sociedade do século XXI, considerando que os seus valores são um elemento diferenciador para o progresso e o desenvolvimento sócio-económico.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *