Sociedade, Trofa

Câmara da Trofa levou talentos criativos locais às Feiras Francas do Porto

Com a intenção de promover os talentos criativos do Concelho, a Câmara Municipal da Trofa participou, no passado dia 24 de setembro, nas Feiras Francas do Palácio das Artes do Porto.

 

A Trofa foi assim uma das presenças com mais impacto, nesta iniciativa que reuniu 11 dos municípios da área Metropolitana do Porto.

 

A Trofa fez-se representar através de alguns dos artistas/criativos do Concelho, tendo convidado a criadora de moda, Micaela Oliveira, o designer de moda Júlio Torcato, a artesã Susana Joana, o empreendedor Márcio Sousa da empresa WineOnTopPlusProject e o artesão/escultor Augusto Ferreira.

 

Os criadores de moda Micaela Oliveira e Júlio Torcato foram convidados pela Câmara Municipal da Trofa a “recriar e a vestir de forma mais contemporânea” as peças Trofa e Concelho, duas obras em cerâmica da autoria da artesã Susana Joana que representam, como o nome indica o Concelho enquanto território e a Trofa enquanto autonomia, história e vivência.

 

Já Márcio Sousa da empresa WineOnTopPlusProject, participou na Feira enquanto empreendedor de sucesso, que depois de quase um ano de atividade está já entre as jovens empresas de êxito do Concelho, tendo já lançado várias marcas de vinho, entre as quais, Encosta da Lua.

 

O artesão Augusto Ferreira mostrou a sua interpretação vanguardista e contemporânea da tradicional arte sacra, tão característica da freguesia de S. Mamede do Coronado, do Concelho da Trofa, apresentando três peças que impressionaram os presentes.

 

Estas Feiras Francas – Territórios Criativos decorreram no âmbito do Projeto Innovate, financiado pelo Programa Espaço Atlântico, dinamizadas pela Primus – Agência de Desenvolvimento Regional da AMP, em parceria com a Fundação da Juventude e os Municípios da AMP.

 

A Trofa surge nesta iniciativa, como referiu o Vice-Presidente da Câmara Municipal da Trofa, José Magalhães Moreira, que esteve presente na inauguração da Feira, “para responder ao desafio lançado, apostando numa presença diversificada, mas orientada para a divulgação e promoção dos empreendedores e talentos criativos do Município, tendo sempre como perspetiva principal a ideia de que a promoção da economia criativa é fundamental para o desenvolvimento do Município e para o reposicionamento da Região Norte e do País, à escala mundial”.

 

De recordar que as Feiras Francas surgem no âmbito das diversas ações do Palácio das Artes, que apostaram na recuperação de uma antiga tradição da cidade do Porto, que teve o seu início em 1451, todos os dias 1 de cada mês, nas arcadas do Edifício e que se conservaram pelo período de 111 anos.

 

Em pleno século XXI, no último Sábado de cada mês, das 10h00 às 22h00, reativa-se a história, numa envolvente comercial e económica, interagindo de forma dinâmica com o Centro Histórico, com a comunidade residente, com o turismo e com os agentes culturais, potenciando a associação do património à tradição, e da economia à cultura.

 

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *