Cultura, Póvoa de Varzim

É-Aqui-In-Ócio começa hoje, com espectáculos durante todo o fim-de-semana – P. Varzim

Hoje dá-se o equinócio de Outono e arranca, na Póvoa de Varzim, o Festival de Teatro. Organizado pelo Varazim Teatro, o evento tem o apoio da Câmara Municipal, através do Pelouro da Cultura.

Assim, às 22h00,“Especialistas”, pelo Teatro Meridional, inaugurará o É-Aqui-in-Ócio.

Sobre Especialistas

Nas sociedades contemporâneas proliferam os Especialistas. Eles trabalham arduamente no sentido de clarificarem as causas de acontecimentos nas suas áreas de competência, fechando-as em linguagens e técnicas só por eles dominadas, fazendo-nos crer que só tem acesso a esse conhecimento os seus pares que vivem e dominam essa mesma área de intervenção, na qual são insubstituíveis, tudo explicando e mantendo a inviolabilidade e inacessibilidade dos seus conceitos. Perante tal aura de mistério, o comum dos mortais sente-se naturalmente demitido, por não se encontrar na posse de tão complexa competência. E “as suas palavras” são cada vez mais, as palavras de ordem da democracia.

 

No sábado, 24, às 17h00, na sede do Varazim Teatro, a Fértil Associação Cultural traz-nos “O Guarda Árvore”, um espectáculo para maiores de quatro anos.

Sobre O Guarda Árvore

Uma árvore especial. Guardiã de histórias que se revelam ao ritmo da queda das suas folhas. Histórias que vivem de sonhos, de seres estranhos que ganham vida e nos mostram que as coisas mais simples também têm valor.

Nasce na serra.

E alimenta-se da terra.

A terra dos sonhos e das mil histórias.

Histórias que não encantam.

Histórias com valor.

Histórias de aventura.

Conta mais por favor.

Um conto que te guarde.

Como o ninho numa árvore.

Uma árvore por metade.

Uma Guarda-Árvore.

 

À noite, às 22h00, no Auditório Municipal, a companhia Elefante Elegante sobe ao palco com “Iliria”.

Sobre Iliria

Iliria é uma comédia de enredo criada a partir da peça “Noite de Reis” de W. Shakespeare. O texto fusiona-se com o movimento e a música criando um fundo plástico e poético onde se desenvolve a trama cómica do espectáculo. Iliria fala da identidade do homem e da mulher, questionando o que somos e o que parecemos. Os personagens perdem-se numa teia de mudanças de personalidade que os leva a pôr em causa a sua própria identidade. Iliria trata da facilidade com a que amamos e deixamos de amar.

Na ilha de Iliria o Duque Orsino morre de amores por Olivia, mas apesar das românticas canções que lhe dedica, o seu amor não é correspondido. Ao mesmo tempo, dois irmãos gémeos, Violeta e Sebastian, naufragam na costa de Iliria. Violeta vê-se obrigada a disfarçar-se de homem com as roupas do irmão para poder sobreviver num país estrangeiro. Mas Sebastian também se salvou, e sem saber um do feliz destino do outro, acabam por criar os mais divertidos equívocos amorosos.

 

No domingo, 25, às 17h00, no Auditório, é a vez do grupo anfitrião dar espectáculo. “Se os tubarões fossem homens” é o título da peça inspirada num poema de Bertolt Brecht.

Se os tubarões fossem homens

Um espectáculo de luz negra com marionetas. Era uma vez um homem que viajou até ao fundo do mar. Era uma vez uma peixa irrequieta chamada Josefa, era uma vez um peixe pai chamado pai, viviam sossegados num colorido coral, nadando e brincando. Até que um dia recebem uma inesperada visita de dois tubarões, muito matulões e um pouco malandrões. Josefa é uma peixinha muito curiosa e não se deixa intimidar pelos dentes afiados dos tubarões grandões, e com as suas perguntas consegue descobrir que existem peixinhos, peixes e peixões e acima destes ainda os tubarões.

 

A 26 de Setembro, dia em que o Varazim Teatro comemora o seu 14º aniversário, haverá uma Festa Concerto por Romain du Roi, às 22h00, no Diana Bar.

 

Acompanhe o certame no portal municipal.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *