Cultura, Gondomar

Exposição de Aguarelas de Ferreira da Silva em Gondomar

Ferreira da Silva nasceu no Porto, em 1932. Mas já há quatro décadas que escolheu Gondomar como Concelho para residir. Com formação pelo Instituto Industrial do Porto (actual ISEP), quando descobriu a paixão pela pintura decidiu não frequentar aulas nesta área. “Tudo começou por simples gosto, como ocupação de tempos livres”, disse na abertura do certame.

Só quando completou 50 anos é  que passou a dedicar-se a este “hobby”. Fez a sua primeira exposição em 1988, na antiga galeria de “O 1.º de Janeiro”. Depois o percurso continuou com exposições individuais e colectivas. Já recebeu vários prémios e, além do mais, a Monografia de Rio Tinto – onde reside – tem na capa uma aguarela da sua autoria.

Em 2005 deixou a vertente comercial da pintura. “Agora apenas pinto por prazer. E para dar a conhecer os meus trabalhos!”, destacou. Ferreira da Silva começou por pintar a óleo e só depois se apaixonou pela aguarela.

Os seus périplos levaram-no, nos últimos anos, a conhecer vários locais do país. “Tenho andado com o cavalete ás costas pelo Norte de Portugal”, disse. Já escolheu como temática, para além de Gondomar, o Porto, o Douro ou os comboios a vapor. Gondomar fica retratado em 36 telas – e um breve historial de cada uma das suas freguesias.

Do Auditório Municipal, em termos de exposição, pretende seguir caminho para as 12 Juntas de Freguesia de Gondomar. No que concerne à pintura, o próximo destino será Valongo.

Fernando Paulo, Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Gondomar, referiu, na abertura da exposição, que “esta era uma oportunidade já merecida”, considerando “obrigatório conhecer a obra de Ferreira da Silva”. Um conjunto de aguarelas que, realçou Fernando Paulo, “traduzem uma forte dedicação e muito trabalho”.

A exposição está patente ao público até dia 18 de Setembro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *