Sociedade, Trofa

Trofa adere ao projeto 100 000 Árvores e revitaliza a Sardoeira

A Câmara Municipal da Trofa aderiu recentemente ao projeto 100.000 árvores. Esta é uma iniciativa do Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto (CRE.PORTO), uma rede com entidades públicas e privadas que atuam na área da educação-ação dos cidadãos para um futuro mais sustentável.

 

Estão diretamente envolvidas no projeto a Área Metropolitana do Porto e as Câmaras Municipais da Trofa, Arouca, Gondomar, Maia, Santo Tirso, S. João da Madeira, Valongo e Vila do Conde.

 

Na Trofa este projeto de reflorestação e de revitalização vai ter início na zona da “Sardoeira”. Uma parcela florestal de cerca de 13 hectares, incluída em Reserva Ecológica Nacional. É um povoamento misto de carvalho e medronheiros, com 60% da área clareira. Ardeu em 2010 e agora vai ganhar cerca de 4500 carvalhos, sobreiros, castanheiros e nogueiras.

 

O projeto das 100.000 árvores é um esforço planeado e coordenado de várias organizações e cidadãos com o objetivo de criar bosques com espécies autóctones numa área metropolitana que precisa de enriquecer a sua biodiversidade, melhorar a qualidade do ar, proteger os seus solos e contribuir para uma melhor qualidade de vida das pessoas.

 

No âmbito deste projeto pretendem-se reflorestar 100 hectares de áreas ardidas, livres ou que necessitam de reconversão com cerca de 100.000 árvores de espécies espontâneas da região, ao mesmo tempo que se espera informar e formar os cidadãos da região sobre a floresta (história, benefícios, características, gestão) e estimular o voluntariado florestal.

 

O objetivo primordial desta iniciativa é, assim, o de aumentar e melhorar a qualidade da área de floresta autóctone na Área Metropolitana do Porto, através de um processo colaborativo no qual têm um papel fundamental as autarquias, os cidadãos, os proprietários florestais, as associações, as instituições de ensino, as entidades governamentais, as empresas.

 

O projeto tem a duração de cinco anos e vai chegar a vários municípios, privilegiando espécies como carvalhos, sobreiros, amieiros, castanheiros, freixos, loureiros, medronheiros, ulmeiros, pinheiros-mansos, sabugueiros, amieiros, pilriteiros, entre outras espécies.

 

As plantações começam em Outubro de 2011 e prolongam-se até Fevereiro de 2012.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *