Arouca, Cultura

«Sons da água»: poesia no feminino e música cénica, na aldeia da paradinha em Arouca

Sobre o som do correr das águas do rio Paiva, em plena Aldeia da Paradinha, declama-se poesia no feminino e ouve-se a imponência da música de Joly Braga Santos, no próximo dia 27 de Agosto. A partir das 15 horas, vários declamadores dizem poesia no feminino, com textos de Natália Correia, Florbela Espanca e Sophia de Mello Breyner Andresen, Natividade Negreiros, Maria do Carmo Pereira Pinto e Maria Helena Pereira Pinto. Às 21:30, o lugar à música, com a obra «Cantata Cénica ‘D. Garcia’», de Joly Braga Santos, com textos de Natália Correia e David Mourão-Ferreira. Em palco estarão a Banda Sinfónica Portuguesa, o Orfeão de Arouca, o Grupo Coral de Urrô, o Grupo Cultural e Recreativo de Rossas (narradores) e os solistas Cláudia Pereira Pinto (soprano) e Carlos Guilherme (tenor). A direcção musical está a cargo do maestro arouquense António Costa.

 

 

«Sons da Água»

27 de Agosto de 2011

Aldeia da Paradinha – Rio Paiva | Arouca

 

 

15:00 | Poesia no Feminino

 

Poemas de Natália Correia, Florbela Espanca e Sophia de Mello Breyner Andresen, Natividade Negreiros, Maria do Carmo Pereira Pinto e Maria Helena Pereira Pinto.

 

21:30 | Cantata Cénica D. Garcia

Joly Braga Santos e libreto de Natália Correia

 

Orquestra: Banda Sinfónica Portuguesa (60 elementos)

Coros: Orfeão de Arouca e Coro de Urrô (70 elementos)

Narradores: Grupo Cultural de Rossas (8 elementos)

Solistas: soprano – Cláudia Pereira Pinto; tenor – Carlos Guilherme

 

Direcção: António Costa

 

 

Organização – Câmara Municipal de Arouca

 

Apoios – Associação dos Amigos da Paradinha; GERTAL S.A.; Junta de Freguesia de Alvarenga e Clube do Paiva.

 

Patrocínios – PKF Auditores e Aguas Douro e Paiva

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *