Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Tertúlia sobre Associativismo Juvenil esclareceu os mais novos na Póvoa de Lanhoso

Cerca de uma dúzia de jovens, simples curiosos ou interessados em criar ou reactivar colectividades, participou na Tertúlia sobre Associativismo Juvenil que decorreu no Espaço Jovem, em articulação com o IPJ. A Vereadora da Juventude, Gabriela Fonseca, associou-se àquele momento, que visou, essencialmente, informar sobre o tema. “O Espaço Jovem pretende ajudar os jovens em todas as suas necessidades. Espero que saibam tirar o melhor proveito possível de iniciativas como esta”, considerou a representante da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.

 

O que são associações juvenis, o que são grupos informais, o que são associações de estudantes e o que são federações são algumas das questões a que deu resposta Célia Cunha do IPJ (Braga), que conduziu a sessão. Na altura, ficou-se também a saber que a Associação Cultural da Juventude Povoense, a Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Póvoa de Lanhoso e a CONTACTO – Associação de Desenvolvimento e Modernização da Póvoa de Lanhoso são as três das Associações RNAJ do Concelho da Póvoa de Lanhoso inscritas actualmente.

 

Durante esta iniciativa, foram ainda explicadas as condições que cada grupo deve reunir para se poder inscrever no Registo Nacional de Associativismo Juvenil (RNAJ). Assim, para poderem fazê-lo, as associações juvenis sediadas no território nacional continental devem ter mais de 75 por cento de associados jovens com idade igual ou inferior a 30 anos e ter no órgão executivo pelo menos 75 por cento de jovens com idade igual ou inferior a 30 anos. Os grupos informais de jovens devem ser constituídos exclusivamente por jovens com idade entre os 18 e os 30 anos, inclusive e serem constituídos por um mínimo de cinco elementos. As federações de associações juvenis devem ser constituídas por, pelo menos, três associações; ter, no mínimo, 75 por cento de associações inscritas no RNAJ e ter no órgão executivo, pelo menos, 75 por cento de jovens com idade igual ou inferior a 30 anos. As federações de associações de estudantes, devem ser reconhecidas pelo membro do Governo que tutela o grau de ensino correspondente e ser constituídas por um mínimo de três associações.

Durante esta sessão, que decorreu na sala de formação existente nas instalações do Espaço Jovem, na tarde de 15 de Julho, foram ainda referidos os benefícios a que as Associações RNAJ se podem candidatar (apoio financeiro, técnico, formativo e logístico). No que se refere aos apoios monetários, foram aludidos o Programa de Apoio Juvenil, o Programa de Apoio Infra-Estrutural e o Programa de Apoio Estudantil. A inscrição efectiva no RNAJ é condição determinante no acesso aos Programas de Apoio  previstos na Lei 23/2006.

No final da tertúlia, houve espaço para a colocação de questões e foram ainda apresentados outros programas ao dispor dos mais jovens, nomeadamente ao nível do voluntariado em outros países. Mais informação pode ser obtida em http://juventude.gov.pt.

Se precisa de Agência de branding pode falar com a Livetech

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.