Oliveira de Azeméis, Sociedade

Oliveira de Azeméis aposta na preservação de sítios culturais e ambientais

As características únicas do Parque Temático Molinológico (PTM), centradas na divulgação de técnicas ancestrais de produção de engenhos para moinhos, na produção ao vivo do pão de Ul e na sensibilização escolar para este tipo de património «tornam este espaço num local com futuro no campo cultural e arquitectónico no país», afirmou ontem Pedro Marques, vereador do turismo da Câmara de Oliveira de Azeméis.
«Estão criadas as condições para que este seja um parque com futuro pelo seu valor patrimonial e pela sua envolvência ambiental», disse Pedro Marques na abertura das iniciativas que assinalaram, no Parque Temático Molinológico, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
No âmbito das comemorações, os visitantes tiveram a oportunidade de fazer visitas guiadas ao parque, assistir à produção de pão de UI ao vivo e visitar a exposição sobre o projecto «Euromillis».
Além de uma oficina pedagógica e da actividade «À descoberta do projecto ‘Rios’», o programa incluiu também a presença de José Santos, um fabricante de 85 anos que produziu ao vivo um rodízio, engenho hidráulico que integra o funcionamento dos moinhos de água. Ao longo do dia houve ainda degustação do tradicional pão e regueifa de Ul.
«A autarquia aderiu, desde a primeira hora, ao desafio do IGESPAR, Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, para se associar às comemorações e fizemo-lo porque é importante preservarmos os nossos sítios históricos e culturais», observou o autarca.
«É intenção forte da autarquia continuar a investir através de uma política direccionada para os espaços culturais e sítios mais carismáticos ligados ao ambiente», reforçou Pedro Marques, considerando importante «a sensibilização para as questões do património».
Segundo Hermínio Loureiro, presidente da autarquia, a requalificação do parque La Salette, a criação da paisagem protegida do rio Antuã e o projecto de requalificação das margens do rio Caima, na freguesia de Palmaz, são três exemplos do investimento da autarquia na valorização do património ambiental e histórico do concelho.
As comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que decorreram sob a temática «Água: cultura e património», foi criado em 1982 com o objectivo de celebrar o património nacional e a solidariedade internacional em torno da salvaguarda e da valorização do património existente no mundo.
Segundo o IGESPAR, o tema escolhido para 2011 constitui «uma excelente oportunidade de reflexão» sobre a água, um «bem essencial à vida» e que «tem influenciado, de forma decisiva, a actividade humana».
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *