Desporto

Benfica conquista a Taça de Portugal de Voleibol

O SL Benfica venceu, sábado, no Pavilhão Municipal «Rota dos Móveis», em Lordelo, Paredes, o SC Espinho por 3-0 (25/22, 25/18 e 25/19), na final da 47.ª edição da Taça de Portugal, e ergueu o seu 13.º troféu na prova.
Foi um jogo muito disputado, que contou com a presença de várias individualidades, como Luís Sardinha, Presidente do Instituto de Desporto de Portugal, Celso Ferreira, Presidente da Câmara Municipal de Paredes, e Vicente Araújo, Presidente da FPV, bem como com muito público e também mereceu muita atenção por parte dos órgãos de Comunicação Social, que afluíram em grande número.

O primeiro set foi muito equilibrado, com as equipas a denotarem algum nervosismo. O SC Espinho batia-se de igual para igual nas jogadas ofensivas e defensivas, mas pecava por desperdiçar muitos serviços e disso se aproveitou o SL Benfica para chegar em vantagem aos tempos técnicos (8-7 e 16-15), com o 16.º ponto a ser concretizado por Hugo Gaspar através de um ataque de segunda linha.
Com cada ponto a ser como se fosse o último, os lisboetas só conseguiram ganhar alguma vantagem na parte final do set, quando transformaram o resultado de 17-16 em 21-17. Dois serviços falhados pelos tigres, permitiram à equipa de José Jardim manter essa distância (22-18 e 23-19).
Mas o SC Espinho reagiu e um bloco de Miguel Maia aproximou (21-23) a equipa de João Brenha, obrigando José Jardim a pedir um desconto de tempo, para reorganizar a sua equipa. E a estratégia resultou, pois o SL Benfica fez o 24.º ponto (24-21) e acabou por vencer por 25/22, num lance muito protestado pelo «banco» do SC Espinho.

No segundo set, o campeão nacional começou por mostrar-se superior no ataque e na defesa alta, tendo criado mesmo uma ligeira mas importante vantagem (2-0, 6-3) e, embora o SL Benfica tenha conseguido igualar (6-6), voltou depois a distanciar-se (11-6). Um serviço directo de Olivier Faucher, logo seguido de um ataque de Hugo Gaspar e de uma falha no ataque de Rodolpho Novaes reduziu a desvantagem ao mínimo (10-11).
Reidel Toiran igualou aos 13 pontos e o SL Benfica logrou atingir o segundo tempo técnico em vantagem (16-15). Os tigres equilibraram o marcador aos 17 pontos, mas um ponto no ataque de Hugo Gaspar e dois serviços directos de Olivier Faucher distanciaram o SL Benfica (22-18). Pior: um ataque do SC Espinho para fora e outro serviço directo de Faucher deram a estocada final e o SL Benfica venceu por 25/18.

Os momentos iniciais do terceiro e último set voltaram a ser marcados pela competitividade (1-1, 5-5), com Miguel Maia a fazer o 6-5 e o 8-5… no ataque. Ao bom momento do SC Espinho (10-6), seguiu-se a reacção e recuperação (11-11) do SL Benfica, que obrigou João Brenha a solicitar um desconto de tempo.
No entanto, muito apoiada pelo seu público, a equipa da capital logrou distanciar-se um pouco (15-13, com um bloco individual de Flávio Cruz a Rodolpho Novaes) e atingir a segunda paragem obrigatória com uma vantagem de 3 pontos (16-13).
Cada vez mais confiantes, os pupilos de José Jardim entraram na recta final do set com uma preciosa vantagem (19-14, 21-17 e 23-18).
Não estranhou, por isso, que o SL Benfica vencesse o set (25/19, bloco de Reidel Toiran) e o jogo.

Rodolpho Novaes, com 19 pontos, foi o melhor pontuador do jogo, enquanto Hugo Gaspar (14) foi o mais concretizador entre os benfiquistas.

José Jardim, Treinador do SL Benfica: “Foi uma vitória que se deveu ao carácter dos jogadores, que, segundo algumas pessoas, parece que estão obrigados a ganhar sempre… A confiança que demonstraram advém das vitórias e do trabalho”.

Flávio Cruz, Zona 4 do SL Benfica e da Selecção Nacional: “Recentemente, tivemos algumas contrariedades, mas conseguimos transformá-las em forças e a conquista desta Taça é muito importante para este grupo de trabalho, que é muito unido. Aprendemos com a derrota sofrida no jogo com o Castelo da Maia GC. Foi uma derrota didáctica e não falseada, como disseram algumas pessoas, pois jogamos sempre para vencer e não precisamos de escolher adversários.
Há pouco tempo para festejar, pois a próxima semana será muito importante para consolidar a equipa e defrontar a Associação de Jovens da Fonte do Bastardo, que é um adversário muito difícil”.

João Brenha, Treinador do SC Espinho: “Falhámos muitos serviços, mas não só. Falhámos também, a espaços, na recepção e o ataque também esteve abaixo do que é normal. Fiz substituições, os jogadores deram o máximo, mas não tivemos argumentos, pois o SL Benfica mostrou já que possui a melhor equipa esta época”.

No total das 47 edições da Taça de Portugal, os títulos estão assim distribuídos: SL Benfica (13), SC Espinho (11), FC Porto (6), Castelo da Maia GC e Leixões (5), Sporting CP (3), Vitória SC, Esmoriz GC, ISEF Lisboa e IS Técnico (1).

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *