Sociedade, Tomar

Máquina do Tempo promove workshop sobre “Como Construir uma Estátua Viva” – Tomar

O projecto Máquina do Tempo, uma parceria entre o Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira, a Câmara Municipal de Tomar, o Convento de Cristo e o Instituto Politécnico de Tomar, vai promover o workshop “Como construir uma Estátua Viva” nos dias 9 e 11 e 15 e 16 de Abril, no Pavilhão Municipal. Esta acção, de acordo com Eduardo Mendes, coordenador do projecto, tem o objectivo de acrescentar valor ao Festival de Estátuas Vivas através do envolvimento da comunidade mais jovem de Tomar, pensando numa perspectiva do futuro do evento. O workshop destina-se aos alunos do 3.º ciclo e ensino secundário das escolas do concelho e tem a duração de 10 horas. Será ministrado por António Santos, “Stacticman”, recordista mundial de imobilidade e introdutor desta arte em Portugal. As inscrições são só até ao dia 5 de Abril, por ordem de chegada, na Biblioteca Municipal de Tomar. Os alunos encontram as fichas de inscrição nos Centros de Recursos das suas escolas.
António Santos, em conferência de imprensa, na terça-feira em Tomar, apresentou o programa do workshop que aborda desde a história da quietude expressiva e das estátuas vivas, ao estudo da expressão facial, à expressão corporal, ao estudo de maquilhagem e à criação do personagem. Um trabalho eminentemente prático, que pretende transmitir os princípios que possibilitam posterior treino e aperfeiçoamento. As inscrições são gratuitas.
Os formandos deste workshop podem vir a participar no 2.º Festival de Estátuas Vivas, concretamente numa iniciativa que surgirá para um público mais jovem e que terá o objectivo de trazer para a rua a “história aos quadradinhos.” Os alunos são desafiados a representandar, através da arte da quietude, figuras da banda desenhada.
Sob o slogan “De Viriato ao 25 de Abril”, o Festival de Estátuas Vivas de Tomar traz-nos este ano uma nova moldura. Em vez de performances individuais, as estátuas recriarão quadros da História de Portugal, como é o caso do Milagre das Rosas.
O evento acontece nos dias 9,10 e 11 de Setembro, cumprindo o objectivo do projecto pedagógico Máquina do Tempo: formar uma geração de jovens profundamente conhecedora da História de Tomar e que possam no futuro ser elementos decisivos para o desenvolvimento de Tomar, na perspectiva do imenso interesse histórico e turístico do património do concelho.
Rosário Simões, vereadora responsável pelo evento, lembra que o festival deverá acontecer nos anos em que não se realize Festa dos Tabuleiros. Este ano é uma excepção, uma vez que não se pretende perder a dinâmica surpreente que foi conseguida o ano passado. Recorde-se que na primeira edição, durante os dois dias do evento, 100 mil pessoas estiveram em Tomar. O Festival é um evento integrado na Rota dos Mosteiros Portugueses Património da Humanidade e é financiado por esta rede.
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *