Sociedade, Trofa

Conselho Estratégico da Trofa, presidido por Braga da Cruz, já está a trabalhar

Reuniu dia 23 , pela primeira vez, o Conselho Estratégico da Trofa-Park (Empresa Pública Municipal de Reabilitação Urbana, Desenvolvimento Económico, Inovação Empresarial e Gestão de Equipamentos, EEM).

 

Este primeiro encontro que formalizou o trabalho deste novo órgão estratégico serviu também para apresentar o ponto da situação da Área de Localização Empresarial da Trofa.

 

O Conselho Estratégico da Trofa-Park que é presidido por Luís Braga da Cruz e que tem como membros, Luís Portela (Bial), Fernando Gomes (Galp Energia), Manuel Teixeira (ANJE), José António Barros (Associação Empresarial de Portugal), Paulo Sousa (Grupo Proef – Eurico Ferreira), Rui Moreira (Associação Comercial do Porto), Carlos Magno (Jornalista e Professor), Simeon Ries (Presidente VPU – Federação dos Empresários Portugueses na Alemanha), Filipe Vila Nova (Salsa Jeans), José Manuel Fernandes (Frezite), José Tomé de Carvalho (FALUAL), Manuel Pontes (AEBA), José Vila Nova (Médico) e Pedro Alves Costa (Economista) reuniu ontem para começar o seu trabalho de promoção, na Trofa, de um ambiente de elevado nível técnico-cientifico, capaz de difundir e atrair o investimento nacional e estrangeiro, possibilitando a implementação de estruturas que incluam vertentes científicas, tecnológicas, empresariais e educacionais, potenciadoras de inovação de base tecnológica.

 

A Presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima adianta  que “um dos principais objectivos deste grupo de trabalho, de reflexão, de avaliação e orientação, será também, o aumento do desenvolvimento e da riqueza da comunidade Trofense, através da promoção de uma cultura de inovação e de competitividade”.

 

Uma ideia reforçada igualmente pelo próprio Presidente do Conselho Estratégico da TrofaPark, Braga da Cruz, ao referir que “este Conselho é um órgão consultivo que vai poder criar condições para atrair empresas de base tecnológica que confiram maior e melhor competitividade ao Concelho da Trofa”.

 

Este novo órgão surge assim, no âmbito de um esforço conjunto de reforço da visibilidade do Concelho da Trofa enquanto integrado numa rede de referência de investimento e desenvolvimento.

 

ÁREA DE LOCALIZAÇÃO EMPRESARIAL DA TROFA

 

Uma das grandes opções da Autarquia Trofense para potenciar este desenvolvimento, é como anunciou a própria Presidente, durante a primeira reunião do Conselho Estratégico, “reordenar o território Concelhio, criando zonas especialmente destinadas à implementação de estruturas empresariais, como será, em breve, o caso da ALET – Área de Localização Empresarial da Trofa”.

 

A Área de Localização Empresarial da Trofa nascerá numa zona privilegiada com ligação às vias de comunicação da A3, EN14, EN104, Aeroportos internacionais do Porto e Vigo, Portos Marítimos de Porto, Viana do Castelo e Vigo e do Terminal Ferroviário do Porto.

 

Para avançar com este projecto a Trofa já garantiu um financiamento inicial de 3,55 milhões de euros em capitais próprios, 8 milhões em fundos públicos (candidatura SAAAEL) e 15,2 milhões em financiamento bancário a longo prazo (15 anos), com um financiamento total de 26,75 milhões de euros.

 

Além da primeira reunião deste Conselho Estratégico, o mês de Março, fica definitivamente marcado pelo impulso ao investimento e desenvolvimento empresarial e industrial no Concelho, já que a 14 de Março foi constituída a GlobalTrofa – Sociedade Gestora da Área Empresarial da Trofa SA., a qual tem como parceiros públicos, com 51% do capital o Município da Trofa e a Trofa-Park, EEm e como parceiros Privados, com 49% do capital, a Britalar, SA., as Construções Europa Ar-Lindo, SA., e Nicolau Macedo, SA.A

 

Fica assim definido o caminho a seguir para “alcançar um futuro de desenvolvimento e qualidade de vida para a Trofa” como frisou a Edil Trofense, Joana Lima.

 

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *