Sociedade, Tomar

Máquina do Tempo relança guarda-roupa histórico – Tomar

Amanhã, dia 1 de Março comemoram-se 851 anos da fundação do Castelo de Tomar. Integrado nas cerimónias do Dia da Cidade, a Máquina do Tempo, parceria entre o Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira, a Câmara Municipal de Tomar, o Convento de Cristo e o Instituto Politécnico de Tomar, apresenta no Convento de Cristo, às 16H00, um conjunto de novos projectos.
O guarda-roupa histórico que permite que alunos do 4.º ao 6.º ano conheçam de forma mais próxima o Convento de Cristo e História de Tomar será relançado com um desfile, no sentido de dar a conhecer essa possibilidade a todas as escolas e agrupamentos de escolas.
Por outro lado, apresenta-se o Laboratorium, um projecto que surge na Torre da Condessa do Castelo de Tomar e que pretende mostrar aos alunos as utilizações das plantas ao longo dos tempos, tendo no Jardim de Aromas o local de mostra dessas plantas. Ao longo do ano lectivo procedeu-se a todo o trabalho de preparação do terreno, instalação das espécies e produção de materiais para o Laboratorium.
A Máquina do Tempo dá ainda a conhecer o projecto Memória Digital de Tomar e vai levantar o véu ao próximo Festival de Estátuas Vivas de Tomar.
 
O Guarda-Roupa
Em 1496 os judeus eram oficialmente expulsos de Portugal ou obrigados a converterem-se ao cristianismo. Cerca de 1936, Sam Levy, descendente desses judeus portugueses, cuja família se exilara desde então na Turquia, foi o primeiro a reintegrar-se, recuperando a nacionalidade.
Poucos anos depois, a propósito das comemorações dos Centenários, foi-lhe pedido que trouxesse de Itália vestuário e equipamentos para o cortejo histórico que englobou centenas de figurantes. Esse guarda-roupa nunca lhe foi pago e acabou por ser oferecido à Câmara de Tomar num acordo estabelecido em 1985 entre Sam Levy e o então presidente Amândio Murta.
Recentemente o guarda-roupa foi restaurado e integrado no projecto Máquina do Tempo. Com 35 fatos (e mais alguns em fase de restauro e execução), com uma abrangência cronológica dos séculos XII a XVI, os fatos destinam-se a alunos do 4.º ao 6.º ano e aos seus professores, permitindo que a visita seja muito mais realista, como se de facto entrassem numa máquina do tempo que os levasse ao passado, enquanto percorrem os locais com os quais já se familiarizaram virtualmente.
Isto porque o processo começa com outra situação muito atractiva para as crianças: algumas lições sobre o Convento de Cristo e a História de Tomar usando na sala de aula o site www.ttt.ipt.pt, extenso repertório de recursos da Máquina do Tempo e onde os interessados podem saber como fazer estas visitas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *