Cantanhede, Cultura

XIII Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede com espectáculos em Murtede e em Ourentã

No próximo fim-de-semana, entra em cena o Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” de Murtede, no âmbito do XIII Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede. O grupo sobe ao palco do Salão da Junta de Freguesia de Murtede no próximo domingo, dia 20 de Fevereiro, pelas 15.00 horas, para apresentar “O Noviço”, comédia em dois actos da autoria de Martins Pena. A peça centra-se na história de um vigarista caçador de heranças, bem ao jeito da comédia clássica, que só se casa com mulheres com algum poder económico para lhes ficar com os seus bens. Para conseguir os seus intentos, coloca os filhos e um sobrinho da segunda mulher num convento uma vez que os religiosos não têm direito a quaisquer posses materiais, podendo assim ficar com a parte deles.

O sobrinho acaba por descobrir as artimanhas do burlão e em conjunto com a primeira mulher deste preparam um esquema para o desmascarar. Depois de descoberto o vigarista, o enredo foca o confronto entre as lesadas e o caçador de heranças, provocando cenas bem hilariantes.

A próxima jornada do Ciclo de Teatro contempla, também no domingo e à mesma hora, a repetição da comédia “Arrufos de Namorados”, representada pelo Grupo de Teatro Cordinha d’Água, que desta vez se desloca ao Centro Social e Polivalente de Ourentã. A história decorre nos anos 1970 e dá conta de duas raparigas que disputam a atenção do mesmo rapaz. Entre outras personagens, somos também apresentados ao Presidente da Câmara e ao Presidente da Junta de Freguesia local, que se envolvem numa espécie de desgarrada em que proferem em alta voz as promessas de medidas que irão tomar e das acções que irão fazer.

Sobre o Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” de Murtede

O Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” de Murtede foi fundado em 2000 por 24 jovens da freguesia. Esta associação juvenil tem actualmente cerca de 80 associados e é filiada no INATEL e no Instituto Português da Juventude.

Da sua actividade no campo das artes cénicas destaca-se a apresentação regular de peças de teatro em produções que têm registado o reconhecimento do público e das entidades que têm apoiado o trabalho do grupo, nomeadamente a Câmara Municipal de Cantanhede, a Junta de Freguesia de Murtede, o INATEL, o Instituto Português da Juventude (IPJ) e a Delegação Regional do Centro do Ministério da Cultura.

Além da sua participação regular em diversos espectáculos de Teatro, desenvolve também outro tipo de acções culturais, com destaque para Danças na Minha Aldeia, encontro com animação em diversas vertentes musicais que se realiza na segunda quinzena de Maio, Concertos de Música Sacra, convívios e iniciativas não só com os seus associados mas também com outros habitantes da comunidade, como é o caso do programa de OTL – Ocupação de Tempos, da responsabilidade do IPJ.

O Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” de Murtede participa também regularmente na EXPOFACIC, no Festival Internacional de Dixieland de Cantanhede e desenvolve algumas parcerias na organização de eventos promovidos pela Junta de Freguesia de Murtede e a Câmara Municipal de Cantanhede.

Sobre o Rancho Folclórico “Os Lavradores” de Cordinhã

O grupo foi fundado em 19 de Outubro de 1978 por iniciativa do pároco da freguesia chamado Fernando, e de um grupo de pessoas convidadas para o efeito, entre elas o músico Arsénio Cavaco. Cinco anos depois, mais propriamente no dia 17 de Fevereiro do ano de 1983, foi legalizado por escritura pública no Cartório da Secretaria Notarial de Cantanhede e publicado no Diário da República III Série, nº. 81 de 8-4-1983 como Associação Cultural e Recreativa, denominada  Rancho Folclórico de Cordinhã.

Tem como objectivo a exibição de danças e cantares folclóricos e a promoção cultural e recreativa dos seus associados.

Este rancho esteve em actividade 15 anos consecutivos seguindo-se um breve interregno de cerca de três. Posteriormente reiniciou a sua actividade com a designação de Rancho Folclórico “Os Lavradores de Cordinhã“, que ainda hoje mantém.

Neste momento, ao grupo de adultos junta-se o grupo juvenil-infantil composto por 20 crianças, servindo simultaneamente de escola de folclore.

Este grupo tem tido inúmeras actuações por todo o país e até algumas no estrangeiro, designadamente em Espanha e França.

O seu reportório é composto por músicas tradicionais portuguesas, especialmente da região da Bairrada e Gândara, compostas por autores conhecidos.

Os trajes foram confeccionados em harmonia com o estilo dos antigos lavradores daquela zona.

Além das actuações folclóricas também se tem dedicado ao teatro amador, tem participado em cortejos etnográficos do concelho e organizado e participado nas marchas populares.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *