Educação, Oliveira de Azeméis

Mega escola de 17 milhões de euros nasce em Oliveira de Azeméis

A empresa «Parque Escolar» vai investir 17, 3 milhões de euros na construção de um novo centro escolar em Oliveira de Azeméis através da fusão da EB 2,3 Bento Carqueja com a escola secundária Soares Basto.
As obras, ao abrigo do programa do Governo de Modernização do Parque Escolar, deverão arrancar no mês de Março, beneficiando 1800 alunos.
«Será uma escola das mais modernas que o país terá, com especificidades que fará dela uma escola para o século XXI», afirma Hermínio Loureiro, presidente da autarquia.
«É um projecto ambicioso e inovador», reconhece o autarca, destacando como principais particularidades a manutenção do ensino técnico, a integração do edifício na envolvência urbana e o «investimento forte» na área desportiva caracterizado por pavilhão, piscina, ginásios, pista de atletismo e quatro campos desportivos.
«Estamos a trabalhar para uma cidade e para um concelho virados para o futuro, a apostar fortemente na educação que é uma das nossas prioridades pois se apostarmos na formação e na educação seremos muito mais competitivos», afirma Hermínio Loureiro.
O projecto, com prazo de execução de 24 meses, envolve a requalificação do edifício principal da escola secundária Soares Basto e a construção de uma nova ala paralela ao imóvel original, construído em 1959.
Na área ocupada pela EB 2,3 Bento Carqueja, a «Parque Escolar» irá construir um novo edifício destinado aos alunos dos ensinos pré-escolar e 1º ciclo.
O plano está projectado para ser uma «escola do século XXI», dotada de salas e equipamentos adequados às novas aprendizagens e às tecnologias de informação e comunicação, laboratórios e espaços artísticos e desportivos. O projecto prevê ainda um espaço destinado a hortas e jardins biológicos e um novo circuito de manutenção.
A ligação entre as duas zonas e a todos os espaços da escola será feita por um acesso – «learning street»- com visualização para praças, anfiteatros e zonas de lazer.
«O plano privilegia uma relação forte do interior com o exterior», afirma Pedro Guimarães, o técnico responsável pela obra.
«Quando estiver concluída, não existirá no país muitos exemplos como a escola de Oliveira de Azeméis tendo em conta a sua envolvência urbana e pelo facto de estar rodeada e apoiada por uma área desportiva e cultural de excelência», considera Luís Martins, representante da «Parque Escolar».
A escola terá acessos e espaços de circulação separados para os diferentes graus de ensino. O acesso principal manter-se-á, coincidindo com a entrada actual da secundária Soares Basto mas o projecto prevê outras alternativas, uma a nascente e outra a poente.
No exterior, a segurança rodoviária está assegurada através da criação de zonas destinadas ao transporte individual e colectivo dos alunos.
O plano introduz um «espaço de memória», destinado a preservar a história das duas escolas, um Centro de Novas Oportunidades e um parque de estacionamento com 78 lugares.
O centro de recursos, a piscina, a pista de atletismo e parte significativa das oficinas de mecânica, electricidade e electrónica são áreas preservadas no projecto da «Parque Escolar».
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *