Lamego, Sociedade

Estabelecimento prisional de Lamego vai acolher mais reclusos

   O estabelecimento prisional de Lamego vai receber em breve mais reclusos, uma garantia dada ao Presidente da Câmara Municipal de Lamego pelo director-geral dos Serviços Prisionais, Rui Sá Gomes. Neste momento, a actual população prisional apenas atinge pouco mais de 20 por cento da capacidade instalada desta instituição. Recorde-se que, segundo notícias recentemente divulgadas pela comunicação social, a requalificação do estabelecimento prisional especial do Campo, em Viseu, levantou dúvidas sobre a manutenção da unidade prisional de Lamego, considerando a intenção do Ministério da Justiça de reformar o parque prisional português.

     Francisco Lopes critica a ameaça permanente de encerramento de vários serviços públicos no Interior do país, em particular em Lamego, defendendo por isso a manutenção e reforço da vocação do estabelecimento prisional regional situado nesta cidade: “Caso fosse concretizada, esta extinção iria prejudicar a economia local, uma vez que estando inserida numa região com uma elevada taxa de desemprego, a perda de mais alguns postos de trabalhos agravaria as dificuldades. Além disso, com este fecho a população ficaria privada de visitar os seus familiares por dificuldades de mobilidade e acrescidos custos financeiros.”

     O estabelecimento prisional de Lamego dispõe de capacidade instalada, funcionários e instalações aptas a receber mais população prisional, um incremento que pode ser uma realidade a curto-prazo, informou o director-geral dos Serviços Prisionais. O autarca lamecense mostra-se satisfeito com este compromisso, uma vez que esta decisão “irá ao encontro das expectativas das pessoas que diariamente ali trabalham e dão o seu melhor no âmbito do processo de reabilitação e reintegração social dos reclusos ”.

     Durante o encontro que sentou à mesma mesa Francisco Lopes e Rui Sá Gomes também ficou agendada uma visita de trabalho para breve ao estabelecimento prisional regional de Lamego.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *