Cantanhede, Tecnologia

Bibliotecas do Concelho de Cantanhede passam a estar ligadas em rede

O Município de Cantanhede assinalou ontem, 24 de Janeiro, a implementação do Portal da Rede de Bibliotecas do Concelho com a assinatura de dois protocolos que criam as condições necessárias para o funcionamento de uma ferramenta de gestão de um catálogo colectivo de títulos, a qual deverá estar online a muito curto prazo.

Os acordos foram formalizados pelo Presidente da Câmara, João Moura, no âmbito de uma reunião de trabalho em torno da apresentação do sistema e onde foram discutidas as suas potencialidades e perspectivas de evolução. A sessão contou com a presença do Vereador da Cultura e da Educação, Pedro Cardoso, e de representantes das entidades parceiras, designadamente o Dr. Fernando Carmo, do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação, a Eng.ª Maria do Céu Beirão, Directora Regional Adjunta de Educação do Centro, e os directores da Escola Secundária de Cantanhede, do Agrupamento de Escolas de Cantanhede, do Agrupamento de Escolas Finisterra – Febres, do Agrupamento de Escolas Gândara Mar – Tocha e do Centro de Formação da Associação de Escolas Beira-Mar.

Durante a sessão foi celebrado o acordo de colaboração entre o Município de Cantanhede, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação, a Direcção Regional de Educação do Centro e o Agrupamento de Escolas de Cantanhede, o Agrupamento de Escolas Finisterra – Febres, o Agrupamento de Escolas Gândara Mar – Tocha, a Escola Secundária de Cantanhede e o Centro de Formação da Associação de Escolas Beira-Mar. O objecto do acordo é a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares no Concelho de Cantanhede, e nele estão definidas as modalidades de candidaturas para instalação e/ou melhoria de bibliotecas escolares e de serviços de biblioteca.

Nesse âmbito, o Ministério da Educação, através do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, compromete-se a disponibilizar recursos, estabelecer contactos e/ou parcerias com diferentes entidades promotoras de formação académica e/ou contínua na área das bibliotecas escolares e incentivar redes colaborativas de trabalho entre as diferentes bibliotecas escolares, e com a Biblioteca Municipal, a nível concelhio e inter-concelhio, rentabilizando potencialidades oferecidas pelas tecnologias de informação e comunicação, entre outros aspectos.

O líder do executivo camarário sublinhou a importância do acordo, salientando que «a criação da rede de bibliotecas do Concelho permitirá um planeamento integrado de gestão e rentabilização dos recursos disponíveis, os quais, a partir de hoje, estaremos ainda mais empenhados em reforçar. Confiamos que esta parceria facilitará a aquisição de mais livros para as bibliotecas e com isso também o catálogo colectivo da rede, para benefício de todos os utentes».

Por outro lado, o Município de Cantanhede celebrou com as escolas um protocolo tendo em vista a criação da Rede de Bibliotecas de Cantanhede. O documento estabelece orientações de fundo relativamente à «estrutura de cooperação aberta à livre participação de todas as bibliotecas do município, visando uma gestão coordenada de aquisições, a compatibilização e a troca de informação bibliográfica, bem como a dinamização do empréstimo inter-bibliotecas». Segundo refere o documento, essa estrutura de cooperação entre a Biblioteca Municipal de Cantanhede e as bibliotecas escolares assenta «na observância de princípios técnicos uniformizados, nomeadamente através do recurso a uma plataforma tecnológica cujo endereço electrónico será www.cm-cantanhede.pt/rbc».

O Presidente da Câmara enalteceu «a participação das escolas na valorização efectiva da Rede de Bibliotecas do Concelho de Cantanhede, que com este acordo e a criação de um catálogo colectivo passa a contar com um acervo bibliográfico bastante mais alargado, com todas as vantagens inerentes ao facto de os títulos existentes em todas as bibliotecas da rede poderem ser reservados através de um portal criado para o efeito. Trata-se efectivamente de um avanço muito significativo ao nível da optimização dos recursos disponíveis e que nós confiamos que haverá condições para reforçar através da cooperação de todos os parceiros e com o apoio do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação».

Segundo João Moura, «com a Rede de Bibliotecas de Cantanhede (RBC), hoje formalmente constituída, há condições para levar muito mais longe a colaboração que o Município de Cantanhede, através da Biblioteca Municipal, já mantém desde há alguns anos com bibliotecas escolares dos estabelecimentos de ensino parceiros. Além do catálogo colectivo, com todas as vantagens que daí advém em termos do número de títulos para consulta e que constitui o expoente máximo do trabalho integrado desta verdadeira rede de acesso à cultura, estarão online informações sobre as actividades desenvolvidas e a implementar por cada uma das bibliotecas que a integram».

Por seu lado, Fernando Carmo, do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação, começou por referir que «as bibliotecas devem incentivar a criatividade e a descoberta e inspirar utilizadores, oferecer serviços e recursos não disponíveis nas escolas ou em casa. Nesse sentido», adiantou aquele responsável, «as bibliotecas organizadas em rede, orientadas por uma equipa consistente, em função de objectivos claros, que levem em linha de conta as realidades actuais e a sua evolução, estarão melhor preparadas para corresponder às exigências. Estamos de que, deste modo, confirmaremos a capacidade das bibliotecas se renovarem para responderem aos desafios que as novas formas de comunicação e de acesso à informação e conhecimento colocam».

A terminar, a Directora Regional Adjunta de Educação do Centro, Maria do Céu Beirão, felicitou a Câmara Municipal de Cantanhede «pela celebração dos acordos de cooperação e pela apresentação do Portal da Rede de Bibliotecas de Cantanhede, salientando que a Direcção Regional de Educação do Centro tem contribuído para este trabalho dos portais das redes de bibliotecas, através da formalização de reuniões que têm sido realizadas localmente com a presença dos coordenadores inter-concelhios. Esperamos que esta ferramenta sirva de instrumento para alunos, professores, pais, encarregados de educação e comunidade em geral revitalizado doravante com o esforço de todos os parceiros envolvidos», concluiu.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *