Guimarães, Sociedade

Balanço de ocorrência de incêndios e área ardida em 2010 – Guimarães

     O Concelho de Guimarães é caracterizado por uma mancha florestal considerável, com cerca de 8000 ha, que abrange essencialmente zona rurais, mas também locais emblemáticos e de protecção localizados no interface urbano-florestal, como é o caso da montanha da Penha.

     Actualmente, o Concelho está servido por um conjunto de meios de combate ao incêndio constituídos por duas corporações de Bombeiros, em Guimarães e nas Taipas, bem como 3 pontos de água estrategicamente colocados no território de modo a servir as áreas de maior mancha florestal. A acrescentar, a Câmara Municipal de Guimarães, através do seu Gabinete Técnico Florestal, tem desenvolvido um trabalho de prevenção essencial, quer no que diz respeito à limpeza de terrenos, quer na identificação e notificação de proprietários de terrenos sensíveis à deflagração de incêndios florestais, tendo ainda sido Regulamentado o Uso do Fogo para fogueiras, queimas, queimadas, fogo controlado e utilização de fogo-de-artifício e outros artefactos pirotécnicos. Para além disso, no ano 2010 foi apresentada uma candidatura ao Programa de Voluntariado Jovem para as Florestas, do IPJ, tendo estado presente durante 2 meses, 16 jovens a realizar vigilância a partir da montanha da Penha, observando em permanência a parte Norte, Oeste e Sul do Concelho identificando nesse período 76 detecções em fase inicial, permitindo a rápida mobilização dos meios e a consequente extinção por parte dos Bombeiros.

     No total o Concelho de Guimarães registou, no último ano, cerca de 300 ha de área ardida. Tendo em conta a distribuição temporal dos incêndios no concelho de Guimarães relativamente ao ano de 2010, verificou-se que os meses nos quais houve maior número de ocorrências foram Julho (62), Agosto (146) e Setembro (31). No que diz respeito aos valores mais altos de área ardida, verificou-se que existe coincidência com os meses que apresentam maior número de ocorrências.

     Comparando o ano de 2010 com 2009, verifica-se que houve um decréscimo de 31% relativamente ao n.º de ocorrências e de 51% na área ardida, valores que em muito se devem à rápida e eficaz intervenção por parte dos Corpos de Bombeiros de Guimarães e Taipas, sendo por isso o 3º melhor ano, dos últimos 5, em termos de área ardida.

     Já  na distribuição do número de ocorrências e área ardida por dia de semana, verifica-se que os dias em que se registam maior número de ocorrências são o sábado, o domingo e a terça-feira, o que de certa forma pode estar associado ao facto de ser a altura em que realizam a maioria das romarias. Logo, onde existe maior concentração de pessoas e onde exercem actividades que por negligência ou sem intenção podem propagar eventuais focos de incêndio.

     O conhecimento da distribuição das ocorrências durante o dia permite direccionar os meios de vigilância e 1ª intervenção para as horas mais críticas. Este elemento é fundamental para a minimização da probabilidade de um foco de incêndio se transformar num grande incêndio. Durante o ano de 2010 verificou-se que é a partir das 12h00 que o número de ocorrências começa a aumentar. O pico do número de ocorrências acontece entre as 14h00 e as 17h00. Tal se deve em grande parte às características meteorológicas que propiciam durante este período condições de humidade e temperaturas óptimas ao início e deflagração de focos de incêndio. Apesar disso é de ressalvar o facto de se ter verificado um aumento significativo de ocorrências durante o período nocturno.

     Em termos Distritais é de realçar a excelente relação entre o Serviço Municipal da Protecção Civil e o Centro Distrital de Operações e Socorro de Braga (CDOS), bem como a pronta intervenção quando se verificou necessária.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *