Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Sensibilização para a violência junto dos jovens – Póvoa de Lanhoso

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através do Pelouro da Acção Social, desenvolveu um conjunto de acções de sensibilização sobre “A Igualdade e a Violência de Género” junto de jovens dos sétimos e oitavos anos da EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio. A violência no namoro e nas famílias foi um dos aspectos abordados junto daqueles destinatários.
 
Esta acção veio no seguimento da criação recente, por parte da Autarquia e de entidades parceiras, do SIGO – Serviço Para a Promoção da Igualdade de Género, servindo para dar a conhecer as respostas disponíveis e ao dispor da população no âmbito do apoio a vítimas de violência doméstica.
 
Tentar desmistificar as diferenças de género, os mitos associados à violência (violência de género e violência no namoro), assim como à sua manutenção; e ajudar os mais jovens a identificar os tipos de violência, o ciclo da violência e os factores de risco, foram os objectivos desta sensibilização juvenil, que procurou ir de encontro ao solicitado por aquela Escola.
 
“Por que é que isso é violência?”, questionou uma jovem, após a introdução teórica através de powerpoint. Se algumas formas de violência foram facilmente reconhecidas pelos mais novos, outras, sobretudo ao nível emocional, exigiram explicação com mais detalhe por parte de Carla Melo, que coordenou a acção. Houve, de forma visível, alunos que se reviram e às suas famílias, o que prova a pertinência desta acção.
 
Depois da teoria, os alunos puderam visualizar um filme que demonstrou, de forma clara, diferentes tipos de violência assim como os papéis de género, actos que estão enraizados e passam despercebidos no quotidiano sendo aceites sem questionar. No final das sessões, os mais jovens participaram num debate, colocando as suas questões, opiniões e visão do problema. Os próprios docentes, que também foram muito participativos, demonstraram o seu interesse em relação a este tipo de acção, bem como reconheceram a sua utilidade e necessidade de que seja repetida. 
 
A aceitação e interesse por parte dos jovens a esta abordagem teve grande aceitação, de tal maneira que alunos de outros anos escolares não abrangidos por esta acção pediram para assistir.
 
Todos os alunos receberam um “cartão vermelho” como sinal de que é hora de pôr um ponto final à violência. Esta sensibilização teve 13 sessões, entre os dias 6 e 10 de Dezembro, destinando-se, igualmente, a assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de Dezembro).

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

  1. Considero fundamental a abordagem destes temas junto dos jovens. Muitos parabéns pela iniciativa. A escola tem um papel fundamental na formação de jovens esclarecidos e tolerantes e estas acções estreitam laços entre jovens, pais, professores e população em geral.O papel dos professores (que é muito difícil) tem que ser claramente reconhecido para o sucesso destas acções, pois são eles que muitas vezes são o elo entre todos estes agentes e os verdadeiros dinamizadores – tudo em prol dos alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *