Cultura, Tecnologia, Vila Real de Santo António

Walking Poetry em Vila Real de Santo António e Cacela Velha

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António irá implementar no concelho, a partir deste mês, uma iniciativa denominada Walking Poetry, que possibilitará aos munícipes e visitantes descobrir o património e a história de Vila Real de Santo António e de Cacela Velha de uma forma inovadora
 
Como o próprio nome indica, a iniciativa Walking Poetry consiste em percursos culturais que conjugam a descrição de pontos de interesse em Vila Real de Santo António e Cacela Velha, ligados à sua história e património, com textos literários e poéticos, recorrendo a um mapa e a um leitor MP4.
 
Brevemente, estes conteúdos poderão ser descarregados directamente da Internet para os equipamentos dos utilizadores (MP3, MP4 ou telemóveis), permitindo uma utilização ainda mais autónoma.
 
Os percursos disponíveis incluem cerca de uma dezena de pontos de paragem, que poderão ser percorridos ao ritmo de cada participante, desfrutando em simultâneo do conhecimento transmitido pelos textos históricos e literários escolhidos, disponíveis em três línguas (português, castelhano e inglês).
 
Para fazerem esta viagem, os interessados podem dirigir-se, em Vila Real de Santo António, à Câmara Municipal, ao Centro Cultural António Aleixo ou ao Puro Café, e em Cacela Velha, à sede da ADRIP.
 
Esta iniciativa responde aos interesses dos visitantes pelo património histórico-cultural do concelho, apresentando-se como uma oferta inovadora no âmbito do turismo cultural. Para a comunidade local será certamente uma forma diferente de percorrer as ruas de todos os dias e reconhecer o seu património, ligando-o ao universo da literatura e poesia.
 
 
Walking Poetry – Percursos disponíveis:
Em Vila Real de Santo António, o percurso tem início, em termos temporais, em pleno século das Luzes – o século XVIII – propondo a descodificação do urbanismo iluminista da cidade, com pontos de paragem em lugares como a praça, o obelisco, a igreja, a casa da câmara, a alfândega, o Centro Cultural António Aleixo, os largos Lutegarda Guimarães de Caires e António Aleixo. De períodos mais recentes, o percurso passa pelo Hotel Guadiana, o cais da Alfandega e a estação de caminhos-de-ferro.
 
No final de cada ponto, os utilizadores ouvem textos poéticos e literários de Carlos Brito, Álvaro de Campos, Vicente Campinas, Lutegarda Caires, Tóssan, Gastão Cruz, António Aleixo, Teresa Rita Lopes e Nuno Júdice.
 
Em Cacela Velha, o percurso mergulha nas suas origens islâmicas, passando pela fortaleza, pela igreja, pela casa do pároco, pelas casas da câmara e pelo cemitério antigo. Neste percurso poderá ser apreciada a obra de poetas que escreveram sobre Cacela Velha ou aí viveram: Ibn Darraj, Abû al-‘Abdarî, Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade, Teresa Rita Lopes e Adolfo C. Gago.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *