Évora, Sociedade

Banco de Tempo para dar e receber serviços na comunidade – Évora

A Vereadora da Câmara Municipal de Évora, Cláudia Sousa Pereira, visitou hoje o Banco de Tempo que acaba de criar uma agência em Évora destinada a apoiar a população por intermédio da troca de serviços. Estes visam solucionar pequenos problemas diários, através da boa vontade e espírito solidário, conciliados com a rentabilização do tempo livre. A Câmara apoiou com a cedência de um espaço e apoio logístico.

Deste modo, qualquer pessoa que esteja disposta a dar uma hora do seu tempo para prestar serviços à comunidade, recebe em troca uma hora em que alguém a ajudará naquilo que mais necessitar. Para se inscrever ou obter mais informações, basta dirigir-se ao Banco de Tempo (a funcionar no 2º piso do edifício das Juntas de Freguesia (Rua do Fragoso, nº 8) ou contactar a equipa pelo telef. 266 777 023 ou pelo e-mail bancodetempoevora@mail.evora.net 

São exemplos de serviços partilhados no Banco de Tempo o acompanhamento de crianças, actividades recreativas, ajuda doméstica, cuidar de animais e plantas, pequenas reparações, fazer companhia, cozinhar, dar lições, preenchimento de documentos e actividades organizativas da agência. 

Isaura Pinto, é a dinamizadora deste projecto em Évora, sendo a equipa constituída também por Alda Barreiros, Maria José Constantino, Miguel Pinto e Marta Varela. 

A referida dinamizadora acalentava há muito o sonho de criar o Banco de Tempo em Évora quando se aposentasse do seu trabalho como educadora de infância e assim que essa época chegou, convidou algumas pessoas e dirigiu-se à Câmara onde propôs o projecto para suporte institucional, designadamente um espaço onde pudessem trabalhar.  

Por seu turno, a Câmara Municipal de Évora viu com bom agrado o projecto, tendo a Vereadora Cláudia Sousa Pereira sugerido o espaço da Rua do Fragoso, o que foi aceite de imediato. Em recente reunião pública foi aprovado um protocolo de colaboração entre a Câmara de Évora e o Graal, a entidade que a nível nacional é responsável pelo conceito do Banco de Tempo. 

O Graal é  um movimento internacional de mulheres motivadas pela procura espiritual e empenhadas na transformação do mundo numa comunidade global de justiça e paz, conforme o sentido simbólico da lenda que deu origem ao nome do movimento. 

Fundado na Holanda em 1921 por um grupo de estudantes cristãs, o Graal espalhou-se pelos cinco continentes e cresceu em diversidade e em experiência multicultural, estando enraizado em dezoito países, tendo estatuto consultivo na ONU e representação na UNICEF. 
 
O movimento do Graal chegou a Portugal em 1957. Constituiu-se como Associação de Carácter Social e Cultural em 1977 e foi reconhecida como Pessoa Colectiva de Utilidade Pública em 1985. 

Embora ainda não tenha sido inaugurada oficialmente esta agência em Évora, a mesma conta já com 50 membros e 81 horas e 30 minutos trocados, o que deixa Isaura Pinto muito satisfeita, tendo o Banco já realizado alguns workhops e preparando-se para um atarefado período em Dezembro, no âmbito das comemorações do Dia Internacional do Voluntário (5 de Dezembro). 

No dia 3 de Dezembro, a partir das 16 horas, na Sociedade Harmonia Eborense, organizam uma sessão de esclarecimento aberta a toda a população. Segue-se, no mesmo local, nos dias 4 e 5, entre as 10 e as 19 horas, uma Feira de Oportunidades, onde serão vendidos a preços simbólicos vários materiais para angariação de fundos e no dia 7 haverá um jantar de Natal no Monte Alentejano com animação e surpresas, onde todos podem participar, bastando pagar a quantia módica de 10 euros. 

“Queremos que as pessoas apareçam, nós apenas somos a mola de arranque”, refere Isaura Pinto, indicando que “esta rede social é para benefício de todos, devendo as pessoas inscreverem-se” nesta nova forma de voluntariado em que “a pessoa dá aquilo que gosta de fazer e recebe aquilo que mais precisa”. 

A Vereadora Cláudia Sousa Pereira reconhecendo o valor deste projecto, assume também a sinergia possível com o espaço de convívio da Rua do Fragoso, destacando o facto da equipa que o dinamiza estar já a desenvolver um trabalho concreto, não obstante a Agência ainda não ter sido inaugurada oficialmente, “o que mostra bem a vontade e o empenho de toda a gente e por isso a Câmara tinha mesmo de apoiar um projecto destes”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *