Cultura, Évora, Sociedade

Évora comemorou 24 Anos de Évora como Património da Humanidade

 A 25 de Novembro de 1986 o Centro Histórico da Cidade Évora foi classificado Património da Humanidade pela UNESCO. Para assinalar os 24 anos que decorreram sobre essa distinção, a Câmara Municipal de Évora promoveu ontem, dia 25 de Novembro de 2010, um programa de comemorações que contou com grande adesão da população.

       Duas das iniciativas deste programa decorreram, à tarde, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho, a assinatura de um Protocolo entre a Autarquia e o Grupo Pró-Évora, para cedência de seis colunas de granito, e a apresentação do “Guia Itinerário Cultural dos Almorávidas e Almóadas – do Estreito ao Ocidente do al-Andaluz”; a realização do espectáculo de marionetas “Fotógrafos, Títeres e Outros Sonhadores… Évora e a História da Fotografia”, à noite, teve lugar no Arquivo Fotográfico.

       O Protocolo assinado entre a Câmara Municipal de Évora e o Grupo Pró-Évora foi rubricado pelo presidente da Autarquia, José Ernesto D’Oliveira, e pelo presidente do Grupo Pró-Évora, Celestino David, e pretende preservar e tornar visíveis ao público as seis colunas de granito em questão, as quais são provenientes de escavações realizadas durante as obras de instalação do Banco Nacional Ultramarino, em 1967, num edifício sito na Praça do Sertório. Elementos de relevante património arqueológico, estas peças, propriedade da Câmara Municipal de Évora, actualmente depositadas na Mata do Jardim Público da cidade, ficarão, em breve, em exposição pública no pátio da sede do Grupo Pró-Évora, na Rua do Salvador.

       A apresentação pública do Guia Itinerário Cultural dos Almorávidas e Almóadas – Do Estreito ao Ocidente do al-Andaluz, que decorreu numa cerimónia em que esteve presente a vereadora do pelouro da cultura da Câmara Municipal de Évora, Cláudia Sousa Pereira, foi acolhida com grande expectativa.

       Editada pela Fundação El Legado Andalusi (Espanha), com o apoio da Consejería de Presidencia de la Junta de Andalucía (Espanha) e do Centro Nacional de Cultura (Portugal), este guia engloba textos sobre a presença dos Almorávidas e dos Almóadas em várias cidades portuguesas e espanholas, constituindo uma obra enriquecedora para um melhor conhecimento da herança cultural árabe na Península Ibérica, em Portugal e mais concretamente em Évora.

       O autor dos textos das cidades portuguesas, também presente no evento, é o Professor Fernando Branco Correia, da Universidade de Évora. A quem se juntaram nesta apresentação um dos membros da Direcção do Centro Nacional de Cultura, Lourenço de Almeida, e um representante da Fundação El Legado Andalusi, Juan Manuel Cid. No final da sessão houve um momento de música andalusí, por Mohamed Akel.

       O 24.º aniversário da classificação de Évora Património Mundial, foi encerrado com o entusiasmo do público que assistiu à exibição do espectáculo Fotógrafos, Títeres e Outros Sonhadores… Évora e a História da Fotografia, no Arquivo Fotográfico Municipal, na Rua Diogo Cão, Nº. 19.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *