Cantanhede, Cultura

Brincando ao faz-de-conta – Cantanhede

Brincando ao faz-de-conta – dramatologia infanto-juvenil, livro da autoria de Natália Queirós, vai ter apresentação editorial em sessão que terá lugar no auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede, no próximo dia 28 de Novembro, pelas 16.00 horas. A apresentação desta obra, publicada pelo Município de Cantanhede, contará com a participação da autora e estará a cargo de Manuel Cidalino Madaleno.

Brincando ao faz-de-conta é uma colectânea de textos teatrais que têm servido de base ao trabalho que a autora tem desenvolvido como directora artística e encenadora do Grupo de Teatro Infanto-Juvenil do Município de Cantanhede, textos esses que têm como denominador comum uma assinalável dimensão pedagógica em torno de sólidos valores morais e éticos, mas também lúdica.

O Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal de Cantanhede surgiu em Junho de 2004, por iniciativa de Natália Queirós que, após a jubilação da sua função de magistrada no Tribunal de Cantanhede durante vários anos, tem desenvolvido uma intensa actividade cultural na cidade. Entre as diversas iniciativas que tem levado a efeito destaca-se a criação deste Grupo que desde a sua fundação já realizou 65 sessões de 13 espectáculos diferentes, aos quais assistiram cerca de 8.000 pessoas, sobretudo crianças. Integra presentemente 15 elementos com idades compreendidas entre os 5 e 16 anos. Entretanto, alguns dos elementos mais antigos foram saindo, em função dos seus interesses e ocupações, no decurso de um processo de renovação em que foram entrando outros jovens actores.

Segundo a autora, “o importante é que todos quantos têm estado envolvidos nesta actividade lúdico-cultural se sintam bem e levem da sua participação uma boa memória. Se a par disso lhes ficar algo, como o desenvolvimento da auto-estima, da auto-confiança e o interesse pelos valores culturais, então valeu a pena. Numa sociedade pejada de dificuldades afigura-se-nos que tais valores não serão despiciendos na formação das crianças e, sendo assim, este projecto, ainda que modesto, segundo a motivação que nos assiste, terá conseguido o seu objectivo”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *