Cultura, Valongo

Mostra Internacional de Teatro de Valongo

A edição de 2010 da ENTREtanto MIT Valongo – Mostra Internacional de Teatro, que estará em palco de 17 a 27 de Novembro, irá ter como destaque a homenagem a João Lóio, compositor e director musical.

A ENTREtanto MIT Valongo – Mostra Internacional de Teatro, co-organizada desde 1998 pelo ENTREtanto TEATRO e pela Câmara Municipal de Valongo, com o apoio do Ministério da Cultura| Direcção Geral das Artes, pretende contribuir através do intercâmbio cultural e da troca de experiências para a crescente intensificação criativa e difusão da actividade teatral nacional e internacional em Valongo e área metropolitana do Porto.

A

homenagem marcada para as 21h45 do dia 17 de Novembro, no Fórum Cultural de Ermesinde, é o ponto alto da MIT e pretende contribuir para a aproximação das várias faixas etárias e segmentos de público ao projecto de uma vida no palco, à entrega, tantas vezes difícil, do profissional do espectáculo. Não podemos deixar de admirar quem abraça, uma vida inteira, a responsabilidade de pertencer a uma convicção, levando ao palco um dom invulgar. É por tal reconhecimento e admiração que anualmente o MIT abre um espaço de homenagem e que este ano o dedica a João Lóio.

A noite de homenagem é preenchida com um espectáculo dedicado ao músico, compositor e director musical, um vídeo documentário e a inauguração de uma exposição sobre a sua vida e carreira, que ficará patente durante toda a Mostra.

BIOGRAFIA

António João da Rocha Lóio nasceu em Matosinhos a 4 de Março de 1953.

Licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1977. Na primeira metade da década de 90, frequentou o Curso de Composição na Escola Superior de Música do Porto e realizou uma Pós-graduação em Ciências Musicais na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Trabalhou como compositor e director musical em vários espectáculos de companhias teatrais, entre as quais: RODAVIVA, T.U.P., COMEDIANTES, TEATRO DE MARIONETAS, SEIVA TRUPE E ENSEMBLE (Porto); COMUNA, CORNUCÓPIA E TEATRO NACIONAL D. MARIA II (Lisboa); TEAR E TEATRO DO NOROESTE (Viana do Castelo); BONIFARTE (Coimbra) e TELA (Leiria).

Foi membro do Grupo de Acção Cultural (GAC – Vozes na Luta) como cantor, instrumentista e compositor, actuando em Portugal, França e Alemanha.

Colaborou com a Rádio Televisão Portuguesa em vários programas como intérprete e compositor, entre os quais: “Às Dez”, “Mopi”, “A, B, Z” e “Praça da Alegria”

Participou como intérprete e/ou compositor em vários trabalhos: LP “Pois Canté”, G.A.C., 1976; LP “Vira Bom”, G.A.C., 1977; EP “Marchas Populares” Comuna e Rodaviva, 1978; Single “Realejo”, Realejo, 1979; LP “Lenga-lengas e Segredos”, Sheila, 1979; LP “Máscara”, Orfeu, 1982; EP “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”, T.A.I., 1984; Cassete “Mais Um Dia”, Discantus, Porto, 1987; CD “Encontros, Canções de João Lóio”, Memórias, 1997; CD “O Segredo Maior”, Memórias, 1999; CD “Primeiro Acto”, Edição de Autor, 2000; CD “Canções de Amor e Guerra”, Edição de Autor, 2002; CD “Mais um dia”, Edição de Autor, Porto, 2007.

Actualmente é  professor de Música e Voz no Curso de Interpretação da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, do Instituto Politécnico do Porto.

PROGRAMA COMPLETO DA MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO:

18 Nov

| 21h45

“be-dom”

Be-Dom | Portugal

Os “be-dom” são um grupo de percussão ecológica e alternativa que usa instrumentos pouco comuns para fazer música tais como latas, bidões, tubos e garrafas. No MIT, actuam pela primeira vez em território nacional após uma incursão de 27 actuações no maior festival de artes performativas do Mundo – Edinburgh Fringe Festival – de onde regressaram com reviews de 4 e 5 estrelas atribuídos pelos maiores críticos de música do Reino Unido.

Um espectáculo de ritmo, teatro e humor para a família completa delirar!

Criação e Interpretação

André Baltasar, André Silva, Marco Pinto, Raul Manarte, Rui Ferreira e Tiago Silva

Duração

60 min | Classificação Etária M/6

 
 

19 Nov

| dose dupla

21h45 | Teatro

 “Red Chocolate”

Enano -Free Artist | Espanha

Um Palhaço activista aparece do nada, provoca situações inesperadas, improvisadas e espontâneas que ousam parar o ritmo normal da vida. Numa evocação à inocência e à disponibilidade é partilhada a importância do Ser e Estar no Aqui e Agora.

Um espectáculo para todo público, interactivo e onde são escolhidos na hora os números a representar, pois com Enano tudo pode acontecer.

Criação e Interpretação

Enano (Jose Torres)

Duração

50 min | Classificação Etária M/3

23h30

| Café – Teatro

“A Vida Dura”

Quico Cadaval, Contador de Histórias | Galiza_Espanha

O espectáculo surge a partir de histórias da tradição oral que se deformam a pouco e pouco, na digressão mundial inacabada em que Quico Cadaval conta aos públicos dos quatro continentes as histórias da sua terra natal para comprovar se são universais.

Tiranos, piratas, funcionários, putas, taberneiros, crentes, valentes, estudantes, charlatães, filósofos, cães, vacas e outros fantasmas marcarão presença. Ou talvez não.

Criação e Interpretação

Quico Cadaval

Duração

60 min | Classificação Etária M/16

 
 

20 Nov

| dose dupla

21h45

| Teatro

“Sopros”

ACERT | Portugal

Embalados pela música e pelas palavras, um homem e uma mulher contam-nos uma história sobre a vida, assente na ideia de que

”Uma vida só tem história do princípio para o fim, se a tiver do fim para o princípio.” Misturam o sopro da vida e o sopro da morte e abrem o baú das recordações. Assim, esta história é uma viagem pelo universo poético em que celebramos a vida, com a certeza de que “Somos da terra e a terra é nossa”.

Direcção Artística, Dramaturgia e Interpretação

César Prata e Sandra Santos

Música

César Prata

Desenho de luz

Paulo Neto

Duração

40 min | Classificação Etária M/12

23h30

| Café – Teatro

“Alandelão de La Patrie”

José  Rosa | Portugal/Brasil

‘Jeremia’, um homem humilde e trabalhador de uma fazenda no Sertão Brasileiro, narra a história da chegada de um boi reprodutor, consciente da sua responsabilidade, a um banco de esperma. Com um estilo inconfundível e um humor mordaz, conta histórias simples de animais e tipos curiosos, que são a própria raiz do povo brasileiro.

Durante o serão teatral o vinho e a alegria são por conta do ‘Jeremia’.

Texto

de João Ubaldo Ribeiro em “Já Podeis da Pátria Filhos (e outras histórias)”

Encenação

Júnior Sampaio

Interpretação

José Rosa

Duração

40 min | Classificação Etária M/12

 
 

25 Nov

| 21h45

“CRUSOÉ – Um Espectáculo Sem Palavras”

Cia Cênica

| São Paulo_Brasil

CRUSOÉ é um espectáculo que se passa numa ilha qualquer, recheada de surpresas, onde um homem desenvolve as suas habilidades e competências perante a solidão. A força das circunstâncias encaminha à superação do ser, sendo utilizada a natureza de forma adequada para a sobrevivência e desenvolvimento da acção dramática.

Direcção

Edson Costa

Interpretação

Alex Capelossa e Milena Filócomo

Desenho de Luz

Denílson Marques

Duração

60 min | Classificação Etária M/6

 
 

26 Nov

| dose dupla

21h45

| Teatro

“Sapiens Sapiens Sapiens”

Arrepentimentos de Padrón _ Pistacatro | Galiza_Espanha

O Dr. Heinz está prestes a terminar a investigação mais importante de todos os tempos, que conduzirá a humanidade ao próximo passo evolutivo: o Homo Sapiens Sapiens Sapiens.

A Corporación Perrins financia o projecto e comercializa o ADN da nova espécie. No entanto, durante os testes finais uma das cobaias rompe com as estatísticas e põe em risco o programa. Uma brincadeira com os filmes de ficção científica, onde o humor e a mistura de linguagens cénicas convergem para contar uma história sobre cobaias humanas.

Criação

Gominola de Can

Interpretação

Antón Coucheiro e Borja Fernández

Dramaturgia e Canções

José Días

Cenografia

Isaac Piñeiro

Duração

80 min | Classificação Etária M/12

23h30

| Café – Teatro

“Invasão”

ENTREtanto TEATRO | Portugal

As pessoas fazem a História, mas raramente se dão conta do que estão a fazer. (Christopher Lee)

Numa versão para crescidos, com pequenos ajustes de linguagem, a história das invasões francesas volta a ser abordada no MIT.

Napoleão, D. João VI, D. Maria I, D. Carlota Joaquina, Índio Come Lambe, Escravo Feijão Escurinho e o Piolho Real voltam a palco e, entre uma sanita, um lavatório e um cabide dão a conhecer alguns pormenores das invasões francesas: as guerras territoriais, os jogos políticos, as lutas de poder e até algumas intrigas.

Criação, Dramaturgia, Encenação, Cenografia e Interpretação

Júnior Sampaio

Adereços e Figurinos

Vitor Sotto-Mayor 

Duração

60 min | Classificação Etária M/16

27 Nov

| dose dupla

21h45

| Teatro

“Sempre ao Lonxe”

Mofa & Befa | Galiza_Espanha

A superstição racial é uma parte fundamental da nossa cultura, a par da superstição amorosa ou religiosa. A crença na existência das raças tem provocado alguma guerra, o turismo sexual, as ONGs, as casas de fados, o apartheid, o samba, a pintura de Gauguin, as missões e obras imortais da literatura. O desencriptado mapa genético humano remeteu tudo isto ao esquecimento, no entanto, Mofa & Befa sempre atentos às necessidades espirituais do seu público, resolveram desenvolver a questão. “Sempre ao Longe” foi o resultado, um espectáculo cheio de saudade que nos sugere, por um lado, a impossibilidade de estar no sítio certo no momento certo, e por outro lado, a cautelosa distância a partir da qual nos acostumamos a ver os que acreditamos serem diferentes de nós.

Criação

Quico Cadaval, Evaristo Calvo, Víctor Mosqueira e Piti Sanz

Interpretação

Evaristo Calvo, Víctor Mosqueira, Piti Sanz

Música

Piti Sanz

Desenho de Luz

Octavio Más

Duração

80 min | Classificação Etária M/16

23h30

| Café – Teatro

“Vitima da Crise”

Teatro Art’ Imagem/Terra na Boca | Portugal

“Perdi o emprego… E agora ?”

Há quem não desanime e vá à luta, mas José vai fazer exactamente o contrário. Esta é uma peça sobre as pessoas que mascaram a impotência e a inércia com palavras de revolta. Uma peça sobre a tragédia do homenzinho de rua, que grita contra os deuses ao mesmo tempo que muda de canal de televisão…

Autoria e Encenação

Jorge Palinhos

Interpretação

Isabel Pinto e Valdemar Santos

Cenografia e Adereços

Daniel Teixeira

Duração

60 min | Classificação Etária M/12

 
 

| Teatro para Escolas |

22, 23 e 24 Nov

| 10h30 e 15h30

“Invasão”

ENTREtanto TEATRO | Portugal

Revolucionários franceses tomam a Bastilha…

Napoleão coroa-se a ele próprio Imperador da França…

Napoleão invade Portugal…

A corte portuguesa “foge” para o Brasil…

O Brasil torna-se independente… “Independência ou Morte?”…

Um professor lunático faz da sua casa de banho um palco e dos objectos ícones da história mundial enquanto encarna Napoleão, D. João VI, D. Maria I, D. Carlota Joaquina, Índio Come Lambe, Escravo Feijão Escurinho e um Piolho Real …

Uma versão bem-humorada, de um acontecimento histórico importante, dirigida ao público escolar.

Criação, Dramaturgia, Encenação, Cenografia e Interpretação

Júnior Sampaio

Adereços e Figurinos

Vitor Sotto-Mayor 

Duração

60 min | Classificação Etária M/12 [para escolas mediante marcação]

 
 

|Oficina / Formação |

21 Nov

15h00 às 18h00

22, 23 e 24 Nov

19h00 às 23h00

“Oficina de Interpretação: Acções Físicas | A unidade psicofísica – unidade de interior e exterior”

Cia. Cênica | Brasil | M/16

O ENTREtanto MIT Valongo, desde sempre defendeu que formar as camadas da população ligadas às artes do palco é vital. A troca de experiências e a promoção do teatro enquanto profissão e cultura

continuam a ser objectivos primeiros da integração das oficinas na Mostra Internacional de Teatro.

Este ano o convidado é 

Alex Capelossa, actor, director e professor, pesquisador do Sistema das Acções Físicas de C. Stanislavski, sob coordenação de Carlos Tamanini, David Herman e Adgur Kove. Entrou em contato com o grupo Sunil (Suíça) que lhe apresentou a pesquisa corporal do Guerreiro de J. Grotovski, trabalho que passou a pesquisar e desenvolver desde então como treino. Alex Capelossa ministra aulas de interpretação para teatro e cinema e é director e coordenador da Cia. Cênica, de São Paulo.

Proposta de Trabalho

: Um personagem é aquele que vive dentro de circunstâncias imaginárias. Um actor deve ser capaz de formar todas as acções em cena da mesma maneira que elas acontecem na vida, com uma unidade psicofísica; a unidade de interior e exterior. O processo de acção está ligado às experiências, sensações e emoções específicas. Durante a formação será analisado que as acções físicas não são meras actividades. O processo será acompanhado, ajudando o actor a reflectir cada vez mais com especificidade e subtileza sobre o objectivo do personagem, exigindo um comportamento lógico e concreto. Assim, aos poucos, a cena vai emergindo. Este trabalho introduzirá os conceitos básicos de AÇÃO FÍSICA através de improvisações e investigações em textos dramáticos, durante a oficina.

Público-alvo

Actores e bailarinos profissionais e amadores, estudantes de teatro e dança, e público em geral.

Participantes

mínimo 10 / máximo 20

Classificação etária

M/16

Local

Centro Cultural de Campo (Valongo)

 
 

| Ficha Artística e Técnica do MIT |

Organização

ENTREtanto TEATRO e Câmara Municipal de Valongo

Programação

Júnior Sampaio

Direcção Técnica e Montagem

Wilma Moutinho

Direcção de Produção

Amélia Carrapito

Produção Executiva

Sofia Leal

Técnico de Iluminação

Luís Ribeiro

Técnico de Som

Paulo Oliveira

Design Gráfico

Ricardo Moura

Fotografia

Sara Verde

Vídeo Documentário

Tiago Soares

Produção

ENTREtanto TEATRO

 
 

| Bilheteira _ Informações e Reservas |

ENTREtanto TEATRO

| 224211565/964751300 [9h00_12h30|14h00_17h30]

Fórum Cultural de Ermesinde

| 932292715 [10h00_13h30|15h00_19h00| até às 22h00 em dias de espectáculo]

Sala das Artes

| 932292652 [9h00_12h30|14h00_17h30]

Espectáculo

| 2 euros [o espectáculo para as escolas está sujeito a marcação prévia]

Dose Dupla

| 3 euros [Teatro e Café-Teatro na mesma noite]

Formação

| 45 euros [30 euros para ENTREtanto Amigos e Estudantes de Teatro]

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *