Reguengos de Monsaraz, Sociedade

Vila medieval de Monsaraz eleita Maravilha do Alentejo

A vila medieval de Monsaraz foi eleita uma das “7 Maravilhas do Alentejo” pelos leitores do jornal Margem Sul. O Município de Reguengos de Monsaraz aderiu a esta iniciativa que teve mais de 80 mil votos através do site do periódico e que pretendeu contribuir para a promoção do Alentejo, mobilizando os cidadãos para a defesa e a redescoberta do património material e imaterial. A outra candidatura do Município foi a paisagem do Grande Lago Alqueva no concelho de Reguengos de Monsaraz. 

Este concurso organizado pelo jornal Margem Sul com o apoio dos governos civis de Évora, Beja, Portalegre e Setúbal recebeu 30 candidaturas municipais. Para além de Monsaraz, a lista vencedora das “7 Maravilhas do Alentejo” integra o Castelo de Evoramonte (Estremoz), Fortaleza de Marvão, Lago de Alqueva (Portel), Tapeçarias de Portalegre, Portas de Beja (Serpa) e Terreiro do Paço (Vila Viçosa). 

A vila medieval de Monsaraz (Monumento Nacional)  é uma das mais antigas vilas de Portugal. Localizada numa região habitada desde os tempos pré-históricos, existindo na sua envolvente muitos monumentos megalíticos, Monsaraz é um primitivo castro que foi mais tarde romanizado e ocupado sucessivamente por visigodos, árabes, moçárabes e judeus, até ser definitivamente cristianizado no século XIII. Em 1167 foi conquistada aos muçulmanos por Geraldo Sem Pavor, caindo em 1173 para os almóadas na sequência da derrota de D. Afonso Henriques em Badajoz. Em 1232 voltou a ser conquistada aos árabes e em 1385 foi invadida pelas tropas castelhanas, mas cedo foi reconquistada por D. Nuno Álvares Pereira.  

Depois da restauração da independência, em 1640, foi construída uma nova linha de fortificações, tornando Monsaraz numa vila praticamente inexpugnável. Monsaraz foi sede de concelho até 1851, ano em que se fixou definitivamente em Reguengos de Monsaraz. Em termos de património é importante destacar a Torre de Menagem, a Casa da Inquisição, a Porta da Vila, a Porta de Évora, a Porta da Alcoba, a Igreja Matriz de Nossa Sra. da Lagoa, o Pelourinho, a Igreja de Santiago, a Ermida de S. João Baptista, o edifício do Hospital do Espírito Santo e Casa da Misericórdia, a Ermida de S. José, os Antigos Paços da Audiência, a Cisterna e todo o casario característico da vila. 

O Município de Reguengos de Monsaraz candidatou também às “7 Maravilhas do Alentejo” a paisagem do Grande Lago Alqueva no concelho, integrando o plano de água ao longo do vale principal do Rio Guadiana e toda a natureza envolvente, mas também o património megalítico, arquitectónico e etnográfico que pontua este território. 

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, expressa “a enorme satisfação do Município por Monsaraz ter sido eleita uma Maravilha do Alentejo, pois representa o reconhecimento que esta vila medieval e toda a sua beleza patrimonial vêm granjeando de todos os que a visitam”. Para o autarca, “a escolha do Grande Lago Alqueva é também muito importante para Reguengos de Monsaraz, concelho onde existem cerca de 200 quilómetros de margens da albufeira, pelo que estou muito satisfeito por ter sido um dos vencedores, pois este é um património que não é de nenhum Município em particular mas sim de toda uma região, o Alentejo, e naturalmente de todos os portugueses”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *