Sociedade, Viseu

Recuperação da “Glorieta” dedicada a Tomás Ribeiro – Viseu

     A título da comemoração do 1º centenário do nascimento do ilustre poeta Tomás Ribeiro, em 1931, o Capitão Francisco Almeida Moreira, enquanto Administrador-Delegado da Comissão de Iniciativa e Turismo de Viseu, elaborou o projecto da “Glorieta” (pequeno recanto de jardim, geralmente consagrado a artistas, entre os quais, poetas, onde existia uma pequena estante para colocar as suas obras), a integrar no Jardim Tomás Ribeiro, tendo ficado a sua construção a cargo da referida Comissão.

     A “Glorieta” dedicada a Tomás Ribeiro foi inaugurada a 4 de Julho de 1931.

     Partindo da iniciativa do Município o Jardim Tomás Ribeiro foi alvo de avaliação  do estado de conservação dos azulejos da “Glorieta” do referido Jardim, tendo-se concluído a necessidade de proceder à sua limpeza, conservação e restauro, além dos painéis dos bancos onde se encontram inscritas as suas obras.

     Os trabalhos começaram pela zona central, onde se encontra o medalhão  com a efígie de Tomás Ribeiro e o painel biográfico, que se encontravam com muitos destacamentos azulejares, vestígios de cola e de papel autocolante, riscos de lápis de cera e de marcadores, além da sujidade entranhada nas juntas dos azulejos; os bancos laterais revestidos com as obras do escritor e com motivos florais encontravam-se com alguns destacamentos azulejares, vestígios de cola e muita sujidade na superfície e nas juntas dos azulejos.

     A intervenção passou por retirar os elementos estranhos dos azulejos, e por limpar cuidadosamente as superfícies das argamassas; no final, todos os painéis azulejares e as placas de mármore foram limpos com água e passados a algodão com álcool.

     Apesar do chão ter pequenos azulejos, inicialmente não foi feita qualquer intervenção, na medida em que existia a necessidade de uma prévia limpeza do chão e só após a mesma é que se poderia proceder à intervenção de conservação dos pequenos azulejos, recorrendo bisturi, algodão e álcool, ainda que muitos dos referidos azulejos se encontrem muito degradados e alguns deles quase sem pigmentação.  

     Depois desta primeira intervenção, ocorrida de 12 a 20 de Julho, a “Glorieta” foi ainda alvo de uma limpeza profunda e cuidada das pedras, a cargo dos serviços camarários, realizada a 17 de Agosto, dando um “novo ar” a este monumento tão singular. 

     Avaliação

      Ainda que se tenha efectuado uma breve intervenção na “Glorieta” do Jardim Tomás Ribeiro, ao nível da limpeza e conservação dos azulejos, bem como da limpeza do granito, esta acção revelou-se deveras importante, uma vez ter contribuído para a sensibilização e alerta do património azulejar existente, não só neste particular Jardim, mas também em inúmeros painéis azulejares existentes no Município que carecem de uma atenção especial.

      Esta intervenção constituiu um primeiro passo na defesa e dinamização do património azulejar municipal, pretendendo-se no futuro promover mais acções directamente ligadas a esta tipologia patrimonial.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *