Cultura, Póvoa de Lanhoso

Póvoa de Lanhoso assinala cem anos de República

A realização da primeira sessão das Jornadas de Cultura Local e de uma sessão do Parlamento Jovem marcaram os dois primeiros dias de comemorações do centenário da República na Póvoa de Lanhoso, a 4 e 5 de Outubro, numa organização da Câmara Municipal em colaboração com a Assembleia Municipal. 
 
Divulgar informação histórica e aprofundar os conhecimentos dos acontecimentos relevantes, quer no momento da implantação da República quer nas várias etapas do processo histórico que marcaram a evolução da sociedade portuguesa; criar espaços de reflexão e de partilha sobre os valores de cidadania que incentivaram a proclamação da República e os valores republicanos e trazer à discussão os velhos temas da virtude cívica, da dedicação à causa pública e da participação na política activa como forma de defesa dos direitos fundamentais são os objectivos destas comemorações.
 
Parlamento Jovem.
O Parlamento Jovem, na tarde de 5 de Outubro, trouxe até ao Salão Nobre dos Paços do Concelho 20 jovens de diversas freguesias, que, organizados em duas Bancadas representativas do Alto e do Baixo Concelho, debateram três temas (Empreendedorismo e Fixação de Jovens, Centralização vs Descentralização de Equipamentos Públicos e Participação dos jovens na Política) e apresentaram argumentos vários. Despertar nos mais novos o interesse para a sua participação cívica nos órgãos autárquicos concelhios foi um dos objectivos deste Parlamento e foi o que ressaltou das intervenções do Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, e do Presidente da Assembleia, Humberto Carneiro. Ainda a este respeito, a Câmara Municipal vai proporcionar àqueles jovens uma visita à Assembleia da República de modo a ficarem a conhecer também os órgãos de soberania nacionais.
 
Jornadas de Cultura Local.
O arranque das comemorações, na noite de 4 de Outubro, ficou marcado pela primeira de duas sessões das Jornadas de Cultura Local dedicadas ao tema da implantação da República. Naquela oportunidade, que decorreu no auditório da Casa da Botica, os presentes ouviram duas lições de história pelas vozes de José Manuel Cordeiro, professor de História Contemporânea na Universidade do Minho, e de José Abílio Coelho, historiador e jornalista Povoense.
 
O primeiro orador fez alusão ao contexto nacional e internacional anterior e posterior à implantação da República no nosso país, bem como às razões da queda da Monarquia e às esperanças e às desilusões criadas com a implantação de um novo Regime Político, de entre outros aspectos, com referências a assuntos como, por exemplo, a industrialização e o surgimento da classe do operariado, a Geração de 70 e as Conferências Democráticas do Casino, o Fontismo, o rotativismo, o surgimento do Partido Socialista e dos Centros Republicanos, o Mapa Cor de Rosa, o Ultimato Inglês, o 31 de Janeiro, a Maçonaria, a Carbonária, o Regicídio e a governação de D. Manuel, a revolução, a duração da primeira República e as suas fragilidades.
 
O segundo orador abordou especificamente os contornos da realidade local à época, elucidando, de entre outros assuntos, sobre os antecedentes e os ecos da implantação da República na Póvoa de Lanhoso, dando a conhecer, por exemplo, os nomes dos Povoenses que ocuparam os primeiros cargos locais do novo regime político, como Adriano Martins que foi o Presidente de Câmara entre 1920 e 1914. Figuras como José da Paixão Bastos, Albino Bastos, Gonçalo Sampaio, António Ferreira Lopes e outras foram igualmente referidas pelo historiador durante a sua intervenção, o qual explicou que ainda muito há a fazer em termos de investigação no que se refere a este assunto em particular (mais informação pode ser consultada aqui).
 
A Vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Fátima Moreira, conduziu a sessão, considerando que os seus objectivos, ao nível das comemorações e da pedagogia, foram alcançados. No final, houve ainda possibilidade de a audiência colocar questões.
 
Exposições.
Ainda no arranque das comemorações, saliente-se a abertura da exposição “Letras e Cores, Ideias e Autores da República”, na Biblioteca Municipal, que resulta de uma colaboração entre a DGLB e a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, através da qual se apresenta esta mostra em que, a partir de textos de autores que marcaram decisivamente a cultura humanístico – literária em Portugal no final do século XIX e início do século XX, a DGLB convidou dez ilustradores a tratar plasticamente dez temas representativos do contexto social, político, cívico e cultural da época: Ultimatum, Monarquia, 5 de Outubro, Igreja, Educação, Mulheres, Modernismo, Grande Guerra, Chiado e Revistas. Referência ainda para uma outra exposição, a que abriu ontem dia 5 de Outubro, na Galeria do Theatro Club, com o tema “Ecos e Rostos da 1ª República na Póvoa de Lanhoso”.
 
Destaque-se ainda a peça de teatro “A República – 100 Anos”, com encenação de Afonso Fonseca, que os alunos da Oficina de Teatro da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso apresentaram em estreia, na noite de 5 de Outubro, mas que subirá novamente ao palco do Theatro Club nos dias 8 (15h00) e 9 (21h45) de Outubro.
 
O programa prossegue até 15 de Outubro, quando se realiza a segunda sessão das Jornadas de Cultura Local, pelas 21h30, no auditório da Casa da Botica. Pela ocasião, José Bento da Silva irá falar sobre “A Toponímia da Póvoa de Lanhoso na 1ª República”; Paulo Freitas irá falar sobre o “Hino da Maria da Fonte – o Hino da República!?”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *