Educação, Oliveira de Azeméis

Oliveira de Azeméis gasta 20% do orçamento na educação

A Câmara de Oliveira de Azeméis tem no horizonte a construção de mais quatro centros escolares no concelho, anunciou o presidente da autarquia.
Hermínio Loureiro aproveitou a inauguração do centro escolar de Azagães, na freguesia de Carregosa, para informar que os próximos centros escolares serão construídos nas freguesias de S. Roque, Ul e Oliveira de Azeméis.
Uma das duas unidades a construir na cidade surgirá no lugar de Lações e a outra irá ocupar as actuais instalações da EB2,3 Bento Carqueja e escola secundária Soares Basto.
«A qualidade do ensino administrado no concelho é uma prioridade e, por essa razão, afectámos 20% do orçamento municipal à educação», afirmou o autarca durante a inauguração do centro escolar de Azagães, uma das 100 escolas que fez parte do plano de inaugurações destinadas a assinalar o centenário da República.
«Apostar na educação é investir no futuro e por isso vemos essa aposta como um investimento e não como um custo. Queremos um ensino de qualidade que garanta o sucesso de todas as crianças, ajudando, no futuro, a tornar o município ainda mais competitivo a nível regional e nacional», disse Hermínio Loureiro.
«Queremos que todos se sintam bem na escola e bem cedo conheçam o desporto, o ensino artístico, a história, a ciência, o inglês e os desafios tecnológicos», sublinhou.
«A aposta da autarquia passa ainda pelo apoio social aos alunos para corrigir desigualdades e garantir a sua integração plena», explicou.
Hermínio Loureiro apelou à «determinação» e «entusiasmo» dos professores para melhorar o ensino. «Não há profissão mais necessária que a dos professores», disse, defendendo ser necessário o envolvimento de toda a comunidade no sucesso educativo.
O secretário de Estado Adjunto da Educação, presente na inauguração, considerou fundamental a mobilização dos pais, encarregados de educação, professores, autarcas e poder central no «desafio que é a educação» e na «qualificação da escola pública».
Alexandre Ventura considerou os centros escolares «escolas a tempo inteiro», integrando um dos ideais da República, a educação.
«São equipamentos fundamentais para que os alunos e docentes possam ensinar e contribuir para o desenvolvimento da sociedade em todos os domínios», disse.
O membro do Governo sublinhou que dos 566 centros escolares previstos para o país 333 estão já concluídos, 128 em construção e 105 em fase de projecto.
O Centro Escolar de Azagães é um investimento superior a um milhão de euros, dos quais cerca de metade (500 mil euros) foram suportados pela autarquia e os restantes pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).
O edifício, com uma área exterior de 1700 metros quadrados e preparado para alunos portadores de deficiência, possui quatro salas de actividades destinadas ao primeiro ciclo, duas para o ensino pré-primário, duas outras salas complementares, biblioteca, sala polivalente, refeitório e cozinha.
Para António Camilo, director do Agrupamento de Escolas de Carregosa, o novo espaço «orgulha quem lá trabalha» e «fomenta um ambiente propício à aprendizagem».
O equipamento foi adjudicado em 2006 mas dificuldades da empresa construtora a quem foi adjudicada a obra impediram a sua conclusão no prazo previsto, atrasos que motivaram críticas do presidente da junta de freguesia de Carregosa, Diamantino Melo.
«Foi um desafio difícil mas que valeu a pena», disse.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *