Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Póvoa de Lanhoso assinalou Dia do Concelho

A Póvoa de Lanhoso assinalou, Sábado, 25 de Setembro, o Dia do Concelho. A sessão evocativa do Foral de D. Dinis, com homenagens a entidades e individualidades, e com uma dissertação pelo historiador Paulo Freitas; a abertura da exposição “Evolução dos limites territoriais do Concelho da Póvoa de Lanhoso”; a inauguração do Centro Educativo do Cávado e o Acampamento Jovem são os momentos que constituíram o Programa, cumprido conforme previsto e debaixo de tempo quente.
 
As comemorações começaram, de manhã, com o hastear das Bandeiras, nos Paços do Concelho, na presença das Bandas de Música de Calvos e dos Bombeiros Voluntários. Na escadaria do edifício municipal já se encontravam as bandeiras das 29 freguesias do Concelho.
 
Seguiu-se a dissertação “O dia 25 de Setembro de 1292 e a Póvoa de Lanhoso” pelo historiador Povoense Paulo Freitas, que, de entre outros aspectos, salientou que, naquela data, o rei D. Dinis, em Coimbra, outorgou Carta de Foral aos Povoenses de então e aos que viriam a seguir.
 
Depois, tiveram lugar as homenagens ao Agrupamento de Escuteiros de Taíde, à Banda de Música dos Bombeiros Voluntários, à Associação Cultural da Juventude Povoense e a Amélia Fernandes, distinções atribuídas pelo trabalho desenvolvido ao longo de 25 anos de existência.
 
COMEMORAÇÕES CONCELHIAS.
 
Seguiu-se a intervenção do Senhor Presidente da Assembleia Municipal. De entre outros aspectos, Humberto Carneiro, congratulou-se pelas comemorações. “Sr. Presidente, representando eu um órgão democraticamente eleito, onde estão representadas todas as freguesias e os deputados eleitos directamente pelo povo, participar no Dia do Concelho agora criado, é algo que me apraz registar e, por esse motivo, está V. Exa. e a sua equipa de parabéns”. Aludindo à presença das 29 bandeiras das freguesias do Concelho, referiu serem reveladoras “do espírito de união concelhia que a organização das comemorações quis trazer para esta sessão. Uma união que será crescente em função da elevação dos símbolos locais, como é exemplo a Maria da Fonte e de iniciativas como esta que julgo encontrar acolhimento nas mais diversas sensibilidades de nossa comunidade”.
 
O Senhor Presidente da Assembleia partilhou ainda algumas reflexões sobre a importância da participação democrática nos órgãos políticos e administrativos locais da Póvoa de Lanhoso, sobre o municipalismo (que considerou atingir hoje um papel determinante sobretudo como motor de crescimento e desenvolvimento das comunidades) e os desafios que se lhe colocam, tendo defendido o seu reforço assim como a importância das Associações de Municípios (ler aqui o discurso na íntegra).
 
Encerrou a sessão o Senhor Presidente da Câmara Municipal. Manuel Baptista afirmou que reconhecer a importância histórica da data foi o principal motivo que levou o executivo a instituir formalmente o dia 25 de Setembro como o Dia do Concelho. “Estamos convencidos de que, desta forma, damos um contributo importante para que as novas gerações sintam a sua identidade, valorizem o esforço dos seus antepassados e mantenham vivo o amor à nossa terra”, referiu. Aludindo às homenagens, afirmou que, para o executivo municipal, é fundamental reconhecer o trabalho desenvolvido todos os dias por muitos Povoenses nas mais variadas áreas. “À semelhança dos nossos antepassados que lutaram pela afirmação do nosso concelho, contribuindo para o desenvolvimento dos vários sectores da sociedade, como o económico, o político ou o cultural, hoje temos de reconhecer o empenho daqueles que dedicam parte do seu tempo a uma causa”, afirmou.
 
Durante a sua intervenção, e de entre outros aspectos, o Senhor Presidente da Câmara relembrou a estratégia de desenvolvimento definida para os próximos anos, dando conta dos constrangimentos, mas deixando uma mensagem de optimismo. “A autarquia, a que tenho a honra de presidir, continuará ao lado dos Povoenses, implementando medidas sociais que ajudem nesta fase de dificuldade e realizando os investimentos em equipamentos que vão colocar o nosso concelho ao nível dos melhores” (ler aqui o discurso na íntegra).
 
Seguiram-se actuações finais das duas Bandas de Música presentes.
 
POPULAÇÃO PRESENTE EM MASSA NA INAUGURAÇÃO DO CENTRO EDUCATIVO DO CÁVADO
 
A população do Baixo Concelho Povoense compareceu em massa à inauguração do Centro Educativo do Cávado, outro momento inserido no âmbito das comemorações do Dia do Concelho, que decorreu na tarde de Sábado. Pais, encarregados de educação, crianças, professores e simples curiosos quiseram ficar a conhecer de perto as magníficas condições daquele equipamento escolar que já recebe cerca de 200 crianças em idade de pré-escolar e do primeiro ciclo do Baixo Concelho.
 
A inauguração começou com uma animação musical pelas crianças, tendo-se seguido o descerrar da placa alusiva à data e a bênção do espaço. Depois, os presentes foram convidados a realizar uma visita guiada ao Centro Educativo, tendo-se seguido uma sessão com diversas intervenções oficiais e com alguns momentos de animação, novamente, pelos mais novos, como a construção de um puzzle sendo cada peça representativa de uma das 10 freguesias do Baixo Concelho que irão beneficiar daquele equipamento.
 
Na página das intervenções, para além da Directora do Agrupamento Professor Gonçalo Sampaio, Luísa Rodrigues Sousa Dias, do gestor do Programa Operacional Norte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Carlos Duarte, do director da DREN, António Leite, interveio o Senhor Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
 
“Sempre defendi que as dificuldades naturais desta parte mais rural do nosso concelho tinham de ser compensadas com investimento de qualidade e com projectos que ajudem a fixar os Povoenses nestas freguesias, não havendo a este nível, diferenças com as demais freguesias da Póvoa de Lanhoso”, referiu Manuel Baptista, que agradeceu à família que cedeu o terreno onde o CE do Cávado foi construído. “Construímos uma escola bonita. Mais importante que a imagem, dotamos esta escola dos melhores equipamentos. Tentamos eliminar as barreiras, evitando as escadas. Procuramos ter uma escola amiga do ambiente, com a colocação de painéis solares, com o aproveitamento da luz natural através de grandes janelas e com a colocação de eco-pontos em todas as salas”, lembrou o autarca, sublinhando que os cerca de dois milhões de euros de investimento foram bem aplicados e, por isso, quem os financia, o quadro comunitário e a autarquia, podem estar satisfeitos com a aplicação do seu dinheiro.
 
Manuel Baptista revelou ainda que, até ao final de 2013, o concelho ficará servido com uma rede de Centros Educativos de excelência que darão resposta às necessidades ao nível do primeiro ciclo do ensino básico. “Se é verdade que o Governo é o principal dinamizador desta nova realidade ao nível da educação, não é menos verdade que está a transferir para as autarquias um peso financeiro que a si competia e que vai agravar os já difíceis orçamentos municipais. Isto é, apesar de estarmos permanentemente a assumir nova despesa, é com muita reserva que assistimos aos cortes sucessivos nas transferências de receitas como aconteceu este ano, onde nos foram retirados cerca de 350.000€”, notou, contudo, considerando, de entre outros aspectos, que “o importante agora é que todos valorizemos o investimento feito neste Centro Educativo, melhorando os níveis de formação dos alunos do baixo concelho” (ler aqui o discurso na íntegra).
De lembrar que o “Centro Educativo do Cávado” é um projecto promovido pela Câmara Municipal e co-financiado pelo ON.2 – O Novo Norte e QREN através do Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional. Este projecto conta também com verbas próprias da Autarquia, tendo custado cerca de dois milhões e 300 mil euros (consultar aqui mais informação). 

Satisfação de pais e alunos.
 
Os pais e encarregados de educação, bem como as crianças, estavam satisfeitos. Basílio Silva 36 anos, de Monsul, pai de uma aluna do quarto ano, a Ana Catarina, considerou que as crianças ficam agora com “boas condições para a aprendizagem”, pelo que há uma melhoria. “Gostei de tudo, da biblioteca, da sala de informática, do refeitório”, referiu.
Carlos Alberto Rocha, 40 anos, de Geraz do Minho, pai de uma filha que vai para o quarto ano, a Maria João, considerou que aquela é “uma escola fantástica, que não tem nada a ver com o ensino que eles estavam a ter até agora, esta tem boas instalações e condições”. Destacou a infra-estrutura em si, as salas, a decoração do espaço e considerou muito importante um equipamento daquele género no Baixo Concelho, para o ensino das crianças e para o desenvolvimento daquela área geográfica. A sua filha, Maria João, 9 anos, vai para o quarto ano. De visita à escola, achou-a bonita e concordou que vai estar mais motivada e que vai fazer novos amigos, revelando-se ansiosa pela mudança. Manuel só viu duas salas e achou-as giras e grandes.
Sofia Borges, 34 anos, de Covelas, mãe da Jessica, de quatro anos, que vai frequentar o pré-escolar, disse que tudo estava bonito. Aurora Silva, Verim, mãe do Rui, de 8 anos, e do Pedro, de 6 anos, disse que o espaço estava “excelente” e que vai ser importante para o sucesso escolar dos seus filhos. Para aqueles, que não esconderam a ansiedade por frequentar o espaço, a nova escola é “bonita, melhor do que a antiga”. 
 
EXPOSIÇÃO SOBRE A EVOLUÇÃO DOS LIMITES TERRITORIAIS DO CONCELHO
A abertura da Exposição “Evolução dos limites territoriais do Concelho da Póvoa de Lanhoso” foi outro dos momentos que integrou o programa das comemorações do Dia do Concelho. Esta mostra está patente na Sala de Interpretação do Território, na Casa da Botica, sendo que, posteriormente, irá entrar em itinerância. 
Através da informação que consta dos respectivos painéis, é possível ficar a conhecer as diferentes etapas, ao longo dos tempos, que conduziram à constituição administrativa actual do Concelho da Póvoa de Lanhoso, com as 29 freguesias. Durante a abertura, o historiador Paulo Freitas explicou, sucintamente, alguns aspectos mais relevantes desta mostra e esclareceu algumas dúvidas dos presentes (consultar aqui mais informação).
 
 
ACAMPAMENTO JOVEM COM CERCA DE 50 PARTICIPANTES
  
Ainda de modo a assinalar o Dia do Concelho, o Pelouro da Juventude, através do Espaço Jovem, promoveu um Acampamento Jovem, no Pontido. Esta actividade, que teve um programa lúdico e pedagógico próprio, contou com a participação de mais de 50 jovens de várias idades e o sucesso desta iniciativa faz com que ela venha a ser repetida, provavelmente, durante a Semana da Juventude.
 
Um dos destaques deste programa foi a possibilidade de os participantes tomarem parte numa tertúlia, que decorreu no Castelo de Lanhoso, com a historiadora Povoense Mariana Pereira, sobre a importância para o concelho da data de 25 de Setembro de 1292 e do foral concedido pelo rei às Terras de Lanhoso. Esta proposta surgiu no culminar de um peddy-papper que levou os participantes a percorrer algum do património com importância histórica local, terminando depois no Castelo de Lanhoso. De lembrar que a recepção aos participantes começou pelas 14h00, seguida da montagem das tendas no Pontido, junto ao Espaço Jovem. No final da tertúlia, após o peddy-paper, os participantes regressaram ao acampamento, para confecção do jantar. No final, pelas 21h30, começou a animação nocturna com Karaoke. No dia 26 de manhã, domingo, a proposta foi a participação em jogos tradicionais, antes do encerramento do acampamento.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *