Cultura, Oliveira de Azeméis

Carências de todas as bandas do concelho estão já na posse do executivo – Oliveira de Azeméis

A Câmara de Oliveira de Azeméis «fechou» a ronda de visitas às sedes das bandas musicais do concelho com as deslocações à Filarmónica Cucujanense e à Sociedade Musical Harmonia Pinheirense.
As visitas, que anteriormente envolveram as bandas de Fajões, Carregosa, S. Tiago de Riba-Ul e Loureiro, destinaram-se a avaliar as necessidades de cada uma das associações com o objectivo de, até ao final de 2010, o executivo definir um plano de acção e apoio às colectividades musicais.
Hermínio Loureiro, presidente do município, esteve com a vereadora da cultura, Gracinda Leal, na sede da Filarmónica Cucujanense onde ouviu dos dirigentes as principais dificuldades ao desenvolvimento da sua actividade.
O autarca não prometeu nada antes de ser elaborado o plano de acção para as bandas, medida anunciada por Hermínio Loureiro no final do mês de Julho.
«Primeiro temos de ter na nossa posse a lista das necessidades para depois traçarmos o apoio a dar até porque cada banda tem especificidades e problemas diferentes», disse o autarca, sublinhando que «o município tem orgulho neste tipo de colectividades e por isso temos que as apoiar».
Na base da associação musical esteve a banda criada em dois de Fevereiro de 1891 por iniciativa do monge beneditino D. Plácido José Gonçalves.
A vida da associação conheceu interregnos que, há cerca de uma década, terminaram com a constituição da actual Filarmónica Cucujanense.
No Pinheiro da Bemposta, Hermínio Loureiro sentou-se á mesa com os responsáveis da Sociedade Musical Harmonia Pinheirense, associação com 128 anos e apoiada por um corpo musical constituído por mais de uma centena de elementos.
O autarca ouviu as principais carências e recebeu um dossier que ajudará a elencar o tipo de apoio a conceder quando for aplicado o plano de acção para as bandas do concelho.
Para a sua expansão, a banda viu aprovada uma candidatura pela ADRITEM – Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria.
Sobre a dimensão da escola de música, constituída por 112 alunos e 11 professores, Hermínio Loureiro disse ser «muito importante para o executivo a formação musical» pelo que «é inevitável, por todas as razões, que continuemos a apoiar o associativismo».

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *