Educação, Santo Tirso

Em Santo Tirso a educação continua a ser uma prioridade

Para assinalar o arranque do novo ano lectivo 2010/2011, a Câmara Municipal de Santo Tirso, pela voz do seu presidente, Castro Fernandes, apresentou ao final da tarde do dia de 23 de Setembro, os investimentos municipais (e não só) na área da Educação, num montante global de 41 milhões de euros. 

Desde que assumiu a presidência Castro Fernandes sempre considerou a Educação uma área prioritária de investimento – materializado num conjunto de importantes empreitadas, entre as quais avultam a implementação da Carta Educativa – que prevê a construção de sete modernos centros escolares, no valor global de 11 milhões de euros e a requalificação do parque escolar concelhio, que abrangeu vários estabelecimentos de ensino, num investimento de mais de cinco milhões de euros.  

Acção social, transportes escolares, alimentação, livros e materiais didácticos, prémios de mérito escolar e colónias de férias não foram esquecidos nesta apresentação que decorreu na Escola Básica Integrada de São Tomé de Negrelos/Ponte. 

Para além do presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, a cerimónia contou com a presença do Director Regional da Educação do Norte, António Leite, dos Vereadores Ana Maria Ferreira, Júlia Godinho e José Pedro Machado, do presidente da Junta de Freguesia de S. Tomé de Negrelos, Henrique Pinheiro Machado, de vários outros presidentes de Junta, dos Directores das Escolas do Concelho, dos representantes de várias Associações de Pais e ainda de Alunos de escolas negrelenses. 

A cerimónia arrancou com uma pequena intervenção de boas-vindas proferida pelo presidente da Junta de Freguesia de S. Tomé de Negrelos, Henrique Pinheiro Machado, que aproveitou também para agradecer, em nome de todos os negrelenses, o facto da cerimónia se efectuar “nas instalações da futura EBI de S. Tomé de Negrelos, o maior investimento em educação [são sete milhões de euros] no nosso concelho, o que não deixa de ser emblemático”.

Depois coube ao presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, proceder à principal intervenção. Para o presidente da Edilidade Tirsense a implementação de boas políticas educativas constitui hoje “um passo determinante para um desenvolvimento mais salutar e equitativo das sociedades modernas”, pelo que importará gizar “medidas que vão ao encontro das necessidades e dos anseios das populações”, dotando-as de mecanismos que lhes permitirão desenvolver competências acrescidas, “contribuindo para o seu crescimento e para o seu bem-estar”. Segundo o autarca “em Santo Tirso tem sido efectivamente assim, pelo que ninguém fica indiferente ao grande esforço que a Autarquia tem vindo a fazer no sentido de dar corpo a essa prioridade”. E não é, por acaso, avançou, “que a DREN considerou o nosso Parque Escolar como um dos melhores dos municípios do Norte do País”. E avançou com a explanação dos investimentos já concluídos e/ou em andamento: 

Sete modernos centros escolares – 11 milhões de euros

No âmbito da Carta Educativa, estão a nascer em vários pontos do concelho sete modernos e bem apetrechados centros escolares. É um plano de investimento arrojado, que totaliza cerca de 11 milhões de euros, e que pretende oferecer aos nossos estudantes melhores condições de estudo e de aprendizagem.

Concluídas estão para já as intervenções na Escola Básica do 1º ciclo/Jardim-de-Infância de Merouços, em Santa Cristina do Couto (320 mil euros), o Centro Escolar EB1/JI de S. Bento da Batalha, em Santo Tirso (760 mil euros), o Centro Escolar do Areal, em S. Miguel do Couto (385 mil euros) e as obras de beneficiação/ampliação da Escola Básica do 1º Ciclo de Cabanas, na Freguesia de Monte Córdova (273 mil euros de investimento). 

EBI de S. Tomé  de Negrelos/Ponte – uma escola inovadora

Em fase de obra, encontra-se a Escola Básica Integrada de S. Tomé de Negrelos/Ponte – que é o maior e mais emblemático centro escolar contemplado na Carta Educativa, cujo investimento atinge os sete milhões de euros. Em fase de conclusão estão também o Centro Escolar de Arcozelo, na Freguesia de Água Longa (920 mil euros) e o Centro Escolar da Costa/Roriz, que representa 970 mil euros de investimento. Três anos depois da homologação da Carta Educativa pelo Ministério da Educação, foi recentemente aberto um concurso público para construção do novo Centro Escolar de Sequeirô, orçado em 640 mil euros, estando também concluído o projecto do novo Centro Escolar da Ermida, em Santa Cristina do Couto, que deverá custar 908 mil euros. 

Requalificação do parque escolar – cinco milhões de euros

A Câmara Municipal de Santo Tirso tem trabalhado arduamente no sentido de dotar todo o parque escolar do concelho das mais modernas soluções técnicas, estruturais e de equipamento disponíveis, dando resposta às necessidades de formação adequada e bem sucedida dos nossos alunos. Só nos últimos anos, o esforço de requalificação do parque escolar absorveu mais de cinco milhões de euros, numa atitude de permanente acompanhamento das necessidades das nossas crianças. Foram muitas as intervenções realizadas: 

– EB1 de Redundo – Monte Córdova (254 mil euros)

– EB1/JI da Rechã  – S. Mamede de Negrelos (157 mil euros)

– EB1/JI da Ribeira – Roriz (55 mil euros)

– EB1/JI de Campinhos – Agrela (76 mil euros)

– EB1/JI de Tarrio – Santa Cristina do Couto (61 mil euros)

– EB1/JI de Sequeirô  – Sequeirô (124 mil euros)

– Requalificação do edifício escolar de Refojos – Refojos (93 mil euros)

– EB1/JI de Igreja – Lama (54 mil euros)

– EB1/JI de Cantim – Reguenga (282 mil euros)

– EB1/JI de Igreja – Guimarei (50 mil euros)

– EB1/JI do Foral – Santo Tirso (42 mil euros)

– Parque Infantil da EB1/JI de Cense – Vila das Aves (42 mil euros)

– Parque Infantil da EBI de S. Martinho do Campo – S. Martinho do Campo (69 mil euros)

– Beneficiação da Escola de Campinhos – Agrela (71 mil euros)

– Parque Infantil da EB1/JI de S. José – Refojos (41 mil euros)

– Parque Infantil do JI das Fontainhas – Vila das Aves (58 mil euros)

– Escola EB1/JI Aldeia do Monte – S. Martinho do Campo (20 mil euros)

– EB2/3 de Vila das Aves e EB2/3 de S. Rosendo – Pavimento do pavilhão (109 mil euros)

– Parque Infantil da EB1/JI de Paradela – Vilarinho (70 mil euros)

– Parque Infantil do JI de Igreja – Areias (10 mil euros) 

No âmbito da requalificação do parque escolar tirsense foram ainda investidos 120 mil euros nas obras de remodelação da instalação eléctrica dos estabelecimentos de ensino, além de 38 mil euros transferidos em Janeiro deste ano para as Juntas de Freguesia, a fim de custear as obras de conservação e manutenção das salas de aula. 

Afirmando uma vez mais o seu pioneirismo nesta área, a Câmara de Santo Tirso integrou o primeiro lote de autarquias a assinar protocolos de transferência de competências em matéria educativa do Estado para os municípios. Nessa linha, foram transferidos, ao abrigo deste protocolo, 180 funcionários das escolas, que passaram a integrar os quadros da Câmara. 

Recentemente, a Autarquia integrou 65 assistentes operacionais e 80 professores para as Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC´s), e a breve trecho serão integrados nas escolas, a desenvolver funções de assistentes operacionais, mais 50 elementos, no âmbito do Contrato de Emprego Inserção. 

dois milhões de euros por ano para acção social escolar

E porque a aposta na Educação não se esgota no investimento material, a Câmara Municipal de Santo Tirso está particularmente atenta às necessidades de apoio da comunidade escolar em matéria de Acção Social Escolar, item que absorve cerca de dois milhões de euros por ano no Concelho. Só nos transportes escolares a Autarquia investe cerca de um milhão de euros.  

     – Refeições escolares cobrem 100% das escolas do 1º Ciclo – Com uma cobertura de 100% do parque escolar, as refeições escolares representam um investimento camarário na ordem dos 755 mil euros por ano. A implementação do regime de fornecimento de fruta às escolas do 1º ciclo foi alargada aos jardins-de-infância, abrangendo um total de 3512 alunos. Este programa, que leva 250 mil peças de fruta por ano às escolas, tem um custo anual de 34 mil euros. 

     – Livros e material escolar Assumindo uma comparticipação superior à estipulada legalmente para a aquisição de livros e materiais escolares por parte dos 1 200 alunos do 1º ciclo com carências sócio-económicas do Concelho, a Câmara Municipal de Santo Tirso investe anualmente cerca de 50 mil euros. 

Plano Nacional de Leitura e Rede de Bibliotecas Escolares – Incentivar o gosto dos jovens pela leitura, encarando-a como mecanismo de aprendizagem, é o objectivo do Plano Nacional de Leitura. Este programa prevê um investimento de 47 mil euros. 

Eco-escolas – A Câmara Municipal de Santo Tirso é parceira da Associação Bandeira Azul da Europa, e há já mais de uma década participa no programa Eco-escolas, tendo o nosso concelho sido eleito Município do Ano em 2004. Consciente da importância que as escolas têm na educação para um melhor ambiente e uma cidadania mais plena, a Autarquia Tirsense tem vindo a impulsionar a actividade das eco-escolas (já são dez) no concelho.  

Clubes de Protecção Civil – Registando tendência crescente a cada ano lectivo, os Clubes de Protecção Civil nas escolas do Concelho de Santo Tirso estão a conquistar adeptos, e no ano lectivo 2009/2010 foram 11 os núcleos daquele género em funcionamento, estando a processar-se neste momento o seu alargamento a novas escolas. 

Escola a tempo inteiro – O conceito de escola a tempo inteiro diz respeito a uma medida estabelecida pelo Ministério da Educação em 2008, e assume como objectivo primeiro garantir que as actividades de enriquecimento curricular proporcionem tempos pedagogicamente ricos e complementares das aprendizagens associadas à aquisição de competências básicas dos alunos, adaptando o tempo de permanência das crianças nos estabelecimentos de ensino às necessidades das famílias e contribuindo para uma formação global e diversificada dos alunos. Rege-se pelo desenvolvimento de competências relacionadas com os princípios de cidadania, participação cívica, responsabilidade e autonomia. Em Santo Tirso, a escola a tempo inteiro abrange 2 616 alunos e 80 professores, num investimento que ronda os 665 mil euros. 

Pré-escolar já tem 100% de cobertura no Concelho – Anualmente, a Câmara Municipal de Santo Tirso destina uma verba de cerca de 165 mil euros às entidades gestoras do prolongamento de horários nos jardins-de-infância do concelho. Das actuais 49 salas de jardim, 36 já dispõem de prolongamento de horários. 

Expediente e limpeza – No âmbito das despesas com expediente e limpeza das escolas, no presente ano lectivo a Câmara Municipal de Santo Tirso distribuiu 41 mil euros por 49 estabelecimentos de ensino. Desse montante, 11 mil euros foram investidos em consumíveis informáticos. 

Equipamentos – Todos os anos a Autarquia assegura as despesas de manutenção das 49 fotocopiadoras instaladas nas várias escolas do concelho (73 500 fotocópias tiradas), num investimento que ascende a 17 500 euros/ano.  

Prémios de Mérito Escolar – Cumprindo uma tradição de vários anos, a Câmara Municipal de Santo Tirso acaba de premiar 36 alunos, de vários níveis de ensino, na edição deste ano dos Prémios de Mérito Escolar, que representam um investimento global de 10 100 euros. 

Colónias de férias – Reconhecendo a importância que os tempos de lazer têm para as faixas etárias mais jovens e menos jovens, a Edilidade Tirsense convidou, este ano, mil crianças e idosos, utentes de 34 instituições do Concelho para participarem nas colónias de férias, num investimento de cerca de 26 mil euros. 

Santo Tirso, cidade educadora – Foi recentemente aprovada em reunião de câmara a adesão de Santo Tirso à Associação Internacional das Cidades Educadoras. Tornar-se cidade educadora representa um compromisso de todos (município, sociedade, sector público e privado) na construção de uma cidade mais educadora, mais cidadã, democrática e solidária, que entende o seu empenho e a sua intervenção na Educação de todos ao longo da vida, afirmando o local no global, abrindo-se a outras cidades e a novos projectos, construindo e valorizando o trabalho em rede (nacional e internacional). 

25 MILHÕES PARA REQUALIFICAR AS ESCOLAS SECUNDÁRIAS TOMAZ PELAYO E D. DINIS

Se a todos estes investimentos camarários somarmos as obras que decorrem nas Escolas Secundárias de Tomaz Pelayo (em curso) e de D. Dinis (a iniciar brevemente) então os investimentos na Educação em Santo tirso atingem os 41 milhões de euros. 

Finalizada a apresentação – e ainda antes da visita guiada às instalações da futura EBI de S. Tomé de Negrelos/Ponte – coube ao Director Regional de Educação do Norte, António Leite, proferir algumas palavras, começando por referir que “é sempre bom regressar a Santo Tirso”. “Em primeiro lugar por questões pessoais, já que dei aulas na então Escola Preparatória, hoje, EB 2,3 de S. Rosendo e, depois por razões institucionais, na medida em que Santo Tirso sempre esteve na linha da frente na defesa de uma melhor escola para todos”. E, adiantou, “assinalar o arranque do ano lectivo é sempre um momento de alegria”, ainda para mais, relevou, “numa altura em que se comemoram os «100 anos da República»” e se inauguram 100 novas escolas [agrupamentos] no país”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *