Economia, Oliveira de Azeméis, Tecnologia

Campanha internacional quer projectar Portugal como país de moldes e tecnologia – Oliveira de Azeméis

A indústria nacional de moldes criou um pólo de competitividade, designado ‘Engineering and Tooling’. A missão é, na próxima década, dar a Portugal o reconhecimento mundial como o país do Engineering and Tooling. Ou seja, dos moldes e do desenvolvimento tecnológico.
O pólo nasceu em 2008, como resultado de um conjunto de medidas definidas no plano estratégico para o sector, elaborado pela Associação Nacional da Indústria de Moldes (CEFAMOL) e o Centro Tecnológico para a Indústria de Moldes e Ferramentas Especiais (CENTIMFE). Procura congregar todas as entidades que, de alguma forma, se relacionam com o sector, desde as universidades às empresas, passando pelas instituições governamentais e não governamentais.
A criação de uma nova imagem dos moldes nacionais que permitisse atrair novos clientes no estrangeiro foi uma das prioridades. Foi elaborada uma campanha internacional de apresentação do sector e foi criada uma marca que recebeu o mesmo nome do pólo de competitividade: ‘Engineering and Tooling from Portugal.
Em 2008, foi criada também a associação sem fins lucrativos ‘Pool Net’ que é responsável pela gestão, coordenação e animação do novo pólo. Esta associação tem na direcção os dois principais organismos do sector – CEFAMOL e CENTIMFE – e três empresas – Simoldes, Famolde e Vangest. Mas conta também com a participação de universidades, centros de formação e centros tecnológicos.
A ‘Pool Net’ mobiliza as empresas para a mudança, através do desenvolvimento e promoção da marca internacional. Têm sido elaborados estudos de mercado e candidaturas a programas de apoio, com o objectivo de apoiar o desenvolvimento das empresas. Em cerca de um ano, foram aprovados por vários eixos do QREN projectos no valor de cerca de 50 milhões de euros.
A associação estimula a diversificação de mercados sectoriais, tendo já desenvolvido acções subordinadas a áreas como a Medicina, a Aeronáutica e a Energia e Ambiente. Esta última vai ser tema de uma conferência, esta tarde, a partir das 16.15 horas, em Oliveira de Azeméis. Ali, a Universidade do Minho irá apresentar as conclusões de um estudo sobre algumas tendências e oportunidades para a indústria de moldes nesta área específica.

Unidade em torno da marca

A marca ‘Engineering and Tooling from Portugal’ foi tema de um worshop, ontem, em Oliveira de Azeméis. Laura Azevedo, da Clarke, Modet &Cº Portugal exortou a plateia, constituída por empresários e quadros do sector, a “juntar esforços e maximizar energias para ganhar a batalha da competitividade”. A responsável abordou a questão da “importância e vantagens do uso de marcas colectivas”, considerando que só com esta união é possível consolidar uma marca e fazê-la vencer no mercado.
As palavras da palestrante foram aproveitadas por Leonel Costa, presidente da Poolnet, que exortou os empresários do sector a participarem nas várias acções que, até sexta-feira, estão a decorrer na Marinha Grande e em Oliveira de Azeméis. “Sabemos que a prioridade, para muitas empresas, é, neste momento, trabalhar e tentar recuperar o tempo em que o sector foi atingido pela crise internacional. Mas convinha que não esquecessem a importância destas iniciativas que procuram preparar o futuro desta indústria. E para isso é fundamental a participação de todos”, considerou.

Alguns números
Pólo de competitividade ‘Engineering and tooling’
– Criado em 2008
Projectos aprovados
– Cerca de 50 milhões de euros em menos de um ano

‘Pool Net’
– Criada em 2008
Empresas associadas
– Cerca de 60

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *