Cantanhede, Cultura

Concerto da Associação Musical da Pocariça – Cantanhede

“Nos Claustros com as Bandas Filarmónicas”, série de concertos nos Paços do Concelho, promovida pelo Município de Cantanhede, termina no próximo sábado, pelas 22.00 horas, com uma actuação da Associação Musical da Pocariça.

A filarmónica irá  apresentar um reportório variado, dividido em duas partes, que passará pela execução de peças musicais clássicas, seguindo-se um conjunto de temas da música ligeira contemporânea, com arranjos específicos para este tipo de agrupamento.

Recorde-se que nos passados dias 4 e 11 de Setembro, os Claustros dos Paços do Concelho receberam, respectivamente, a Phylarmonica Ançanense e a Filarmónica de Covões, em actuações de grande sucesso que reforçaram a certeza de que o espaço dos Paços do Concelho, carregado de simbolismo e de história, apresenta características acústicas e estéticas de excelência para a realização de eventos culturais. 

Programa

PARTE 1

PERSIS        JAMES HOSAY

SINFONIA DO NOVO MUNDO (4º ANDAMENTO)             A. DVORÁK // Arr.: Ilídio Costa

VIRGINIA                                                                             JACOB DE HANN

PARTE 2

CYCLES AND MYTHS                                                       NUNO OSÓRIO

ABBA MYA       arr. LUIS CARDOSO

DISCO SELECTION      arr. LUIS CARDOSO

HAPPY MALLETS                HARM HEVERS 
 

Associação Musical da Pocariça

Os primórdios da Associação Musical da Pocariça remontam ao início do século XX. A sua origem é resultado da conjugação de esforços de um grupo de rapazes que na altura formavam uma tuna de instrumentos de corda, então designada Sociedade Dramática Pocaricense 14 de Julho, que por sua vez havia surgido no seio de um grupo denominado Recreio Artístico.

Reconhecendo a necessidade de criar uma base instrumental mais abrangente, esse núcleo de jovens executantes e amantes da música avançou para a constituição de uma banda filarmónica. Os principais entusiastas do projecto foram Manuel Evaristo Mendes Fonseca, Manuel Magalhães Pessoa, Aníbal Ribeiro Fonseca, Francisco Ribeiro Fonseca, Laurindo Mendes Fonseca e José Francisco Paulo, tendo sido também elementos activos da primeira formação Raimundo Lopes de Assunção, José Correia Martins, Augusto Mendes da Fonseca, Ilídio Leitão, Raimundo Nunes de Meio e João dos Santos Direitinho.

Em Abril de 1914, surge então a Associação Musical e Recreativa da Pocariça, que imediatamente inicia a aquisição de instrumentos, os quais, vindos de Lisboa, chegaram ao edifício Theatro Particular, no dia 2 de Julho de 1914. Com os que provinham da Sociedade Dramática Pocaricense 14 de Julho, ficava assim constituído o suporte instrumental da nova filarmónica, num processo em que teve papel decisivo Francisco Ribeiro Fonseca, que emprestou a verba pecuniária necessária para adquirir os instrumentos, abrindo caminho à concretização do desígnio que animava os fundadores.

A banda teve a sua estreia a 1 de Janeiro de 1915, numa arruada de saudação aos seus benfeitores e à terra, acontecimento de grande impacto que registou forte mobilização popular. Em 2 de Março de 1937, a entidade titular alterou a sua designação para Associação Musical de Pocariça, conforme consta do alvará emitido pelo Governo Civil de Coimbra.

Entre os inúmeros triunfos alcançados destacam-se os primeiros Prémios nas Festas da Rainha Santa de Coimbra em 1932, nas Festas de S. João no Porto em 1935, cujo êxito motivou o Presidente da Câmara da Invicta a deslocar-se à Pocariça para condecorar a Banda com a Medalha da Cidade. Em 1990, na celebração do seu 75.º aniversário, foi agraciada com a Medalha de Prata do Concelho de Cantanhede, em reconhecimento da acção meritória desenvolvida em prol da cultura. Em Julho de 2007, nos “Concertos Museu da Água de Coimbra, iniciativa das “Águas de Coimbra EM” e “Orquestra Clássica de Coimbra”, o júri constituído por pessoas com grande experiência filarmónica e de reconhecida competência nacional, atribuiu à Banda da Pocariça o 1º Prémio – Grande Prémio “Museu da Água de Coimbra 2007”.

Actualmente a banda é composta por 72 Filarmónicos, na maioria jovens com idades inferiores a 20 anos, dos quais 33 elementos são do sexo Feminino. Estes músicos, na sua grande maioria, provêm ou frequentam a Escola de Música, havendo alguns elementos que simultaneamente seguem estudos nos Conservatórios de Aveiro e Coimbra. 

A Direcção artística da Filarmónica e da Escola de Música, encontra-se a cargo do Maestro Jorge Paulo Margaça, que desde Abril de 2003, tem conduzido a banda ao nível que se encontra actualmente.

JORGE PAULO MARGAÇA DOMINGUES

Natural de Mamarrosa, nascido a 15 de Novembro de 1971, iniciou os estudos musicais aos oito anos de idade com o seu tio Álvaro Ferreira. Aos onze matricula-se no Conservatório de Música de Aveiro onde concluiu, em 1990, o curso complementar de Trompete. Mais tarde, no Porto, obteve o Curso Superior de Trompete, onde teve como principais professores Rui Brito e Kevin Wauldron .

Apresentou-se várias vezes em público com a Orquestra de Metais e Percussão do Porto e Sollemnium Concentus, ambos dirigidos pelo Dr. Ferreira dos Santos; com a Orquestra de Câmara de Aveiro, dirigida pelo maestro Duarte Neves; com a Orquestra de Coimbra, dirigida pelo maestro Augusto Mesquita; com o Grupo de Instrumentos de Sopro de Coimbra, e ainda com vários agrupamentos de câmara, nomeadamente o “The Brass Emsemble” e com o organista Nuno Alexandrino.

Em 1993 e 1994, ministrou cursos de formação para jovens músicos, a convite da delegação de Coimbra do INATEL.

Foi director artístico da Orquestra de Metais e Percussão do Conservatório de Música de Aveiro e da Orquestra Ligeira do Conservatório de Música de Coimbra.

Desempenhou ao longo de vários anos funções docentes, nas classes de Trompete e Música de Câmara, nos Conservatórios de Música de Aveiro, Coimbra, David de Sousa – Figueira da Foz, Regional de Coimbra, no Colégio São-Teotónio em Coimbra e na “Oficina de Música” de Aveiro.

Foi músico/orientador dos grupos de câmara: The Brass Ensemble, Grupo de Metais do Centro e Ensemble de Trompetes do Centro com os quais realizou concertos por todo o País.

De 1997 a 2002 foi maestro da Banda Filarmónica da Mamarrosa e director pedagógico da sua escola de música. Em 2003 e 2004 foi director artístico da Banda Sociedade Artística de Vale de Cambra. É maestro da Associação Musical de Pocariça desde Abril de 2003 e da Filarmónica Ressurreição de Mira desde Março de 2006. Com a Associação Musical de Pocariça venceu em Julho de 2007 o Concurso de Bandas do Distrito de Coimbra “ Prémio Museu da Água”.

Em Julho de 2004 foi coordenador do naipe de metais da Orquestra de Jovens dos Conservatórios Oficiais de Música no estágio realizado em Aveiro.

Actualmente desempenha funções docentes nas classes de Trompete e Música de Câmara, no Conservatório de Música de Aveiro, é orientador pedagógico dos estágios de Trompete da Universidade de Aveiro, elemento do grupo “Ria Brass” e compositor para a Editora Afinaudio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *