Cantanhede, Cultura

Nos próximos dias 18 e 25 de Setembro, e 2 de Outubro decorrem as audições para o Coro Juvenil – Cantanhede

As audições para o Coro Juvenil do Município de Cantanhede – CANTEMUS vão decorrer nos próximos dias 18 e 25 de Setembro, e 2 de Outubro, sábados, entre as 12h30 e as 13h00m, no auditório da Biblioteca Municipal. Os interessados podem inscrever-se através do telefone 231 410 870 ou dirigindo-se à recepção desse equipamento cultural.

As aulas irão iniciar-se no dia 18 de Setembro, e terão lugar no auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede aos sábados de manhã, entre as 10h30 e as 12h30. A sua frequência é gratuita.

O Coro Juvenil do Município de Cantanhede destina-se a jovens dos 6 aos 16 anos e pretende contribuir para a formação de cantores em idade de aprender a colocar a voz, fomentando o gosto pela música e, sobretudo, apresentando condições para a concretização e desenvolvimento de apetências e competências naturais de que os jovens dispõem.

Surgiu no último trimestre de 2008 com o objectivo de criar um “um grupo de pessoas que cantam conjuntamente”, ideia que remete para a própria definição de coro, proporcionando a uma faixa etária específica a oportunidade de preencher musicalmente um vazio cultural que na realidade existia. A criação de um grupo coral permitiu, desta forma, preencher essa lacuna ao mesmo tempo que complementa a existência de diversos agrupamentos musicais, bandas filarmónicas, escolas de música e coros paroquiais presentes em todo o concelho.

Quanto aos valores da música coral destacam-se a formação do ouvido, do gosto musical e das diversas estéticas, ao que se acrescenta a disciplina, a precisão, os reflexos, o convívio, a consciência e sentido de grupo/conjunto, recorrendo a um reportório vasto, diversificado, moderno, actual, com música de qualidade preparada especificamente para este Grupo.

Esta iniciativa cultural do Município de Cantanhede conta com a coordenação e orientação superior de uma das grandes referências nacionais, o Maestro Augusto Mesquita.

Augusto Mesquita (maestro)

Iniciou os seus estudos musicais em Braga, com o compositor Manuel Faria. Prosseguiu a sua formação musical no Conservatório Regional de Coimbra, onde foi aluno de Mário de Sousa Santos e de Gilberto Paiva, ao mesmo tempo que cursava Direito pela Universidade. O maestro é ainda diplomado em Piano e Composição pelo Conservatório de Música de Lisboa.

Autor de peças para piano e de arranjos de música coral e instrumental, tem-se apresentado frequentemente ao piano a solo ou acompanhando grandes nomes do canto e da música instrumental.

Nos últimos anos dedicou-se à direcção e arranjos para Orquestra, dirigindo dezenas de concertos em Portugal e no estrangeiro, entre os quais se destacaram diversos Concertos de Gala, cujos programas concebeu.

Dirigiu o Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra de 1992 a 2003, tendo dirigido também o Coro da Administração Regional de Saúde, o Coro de Câmara de Coimbra e o Coro de Câmara e a Orquestra do Conservatório de Música de Coimbra. Desde a sua fundação em finais de 2002 que é maestro do coro ADVOCAL, constituído no seio do Conselho Distrital de Coimbra da Ordem dos Advogados.

Em Agosto de 2003 assumiu a direcção artística da Orquestra dos Antigos Tunos da Universidade de Coimbra. É director artístico e maestro dos Corais do Orfeão de Leiria desde Setembro de 2004, com quem realizou já uma digressão à Polónia, onde os dirigiu conjuntamente com a Orquestra Filarmónica de Koszalin. É também o director artístico do Festival de Música de Coimbra.

Foi Maestro Titular da Orquestra do Conservatório de Música de Coimbra durante dez anos e, como maestro convidado, trabalhou com várias orquestras nacionais e estrangeiras. Dirige também a orquestra Adarte.

Mais recentemente, fundou o coro masculino Alma de Coimbra (Sounds of Portugal), com o qual participou na Cerimónia de Abertura dos I Jogos da Lusofonia em Macau, em Outubro de 2006, tendo actuado também nas Universidades de Macau e Hong Kong. Em Fevereiro de 2007, realizou com este grupo uma extensa digressão por Timor-Leste e Indonésia.

A sua actividade musical e consequente divulgação de valores artísticos e culturais portugueses mereceu-lhe a atribuição do Diploma de Honra da AMI e ser agraciado, em 10 de Junho de 1997, com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, por S. Exa. o Presidente da República, Jorge Sampaio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *