Cultura, Gondomar

“Dharma Project” vencem Festival de Música Moderna – Gondomar

Os “Dharma Project”, de Almada, são os grandes vencedores da 15.ª edição do Festival de Música Moderna Portuguesa de Gondomar. A final, disputada a 4 de Setembro, juntou as três bandas finalistas: “Dharma Project” e “Red Lizzard” (de Almada) e os “Alphabeta” (de Matosinhos).

Com uma forte moldura humana, esta final veio confirmar que o Festival de Música Moderna já  é um evento de cariz nacional. Que, como principal objectivo, pretende fazer a divulgação das (designadas) “bandas de garagem”. 

Desde 14 de Agosto que, todos os sábados, o Anfiteatro do Largo do Souto recebeu as bandas apuradas para a 15.ª  edição deste festival. “Red Lizzard”, “Dharma Project” e “AlphaBeta” foram as bandas finalistas este ano – provando que, como em anos anteriores, este festival assume características nacionais.

O Festival de Música Moderna Portuguesa, desenvolvido pela Associação Festival de Gondomar e Câmara Municipal (Pelouro da Cultura e Juventude), proporcionou a 15 bandas a oportunidade de se darem a conhecer. E de actuar num local que apresenta condições (técnicas e de envolvência) excepcionais para este tipo de eventos.

Victor Macedo, responsável pela Associação Festival de Gondomar, destacou, antes anunciar a banda vencedora, que «nestas 15 edições, consecutivas, já demos a oportunidade a mais de um milhar de projectos musicais se darem a conhecer e, num palco especial, com condições únicas, apresentarem os seus temas».

O Festival de Música Moderna tem por objectivo dar a conhecer os novos talentos da música moderna portuguesa, dando-lhes a oportunidade de apresentarem publicamente os seus projectos.

A cerimónia de entrega de prémios contou com as presenças do Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Gondomar, Fernando Paulo, assim como de José Macedo, Presidente da Junta de Freguesia de Gondomar (S. Cosme) e do responsável da Federação das Colectividades concelhia, Manuel Pinto. Ao palco foram, também, chamados os elementos do júri. Destaque para um nome – Fernando Jorge, músico nos tempos livres, que integra (de forma ininterrupta) a equipa de “escrutinadores” já desde o primeiro Festival, há 15 anos. 

Os vencedores: “Dharma Project”

“Dharma Project” nasce de uma ideia e característica musical que Cláudio Pinto vinha a desenvolver nos seus projectos anteriores. Em Maio de 2006 faz nascer o tema “God”, que iniciaria este novo projecto. Os primeiros meses foram dedicados ao desenvolvimento de bases instrumentais para 12 temas e, no início de 2007, Cátia Amorim Crisóstomo chega ao projecto – para dar voz, melodias e letras aos temas.

Em Dezembro de 2007, já com alguns músicos a completar a restante formação, apresentam-se pela primeira vez ao vivo. Em Dezembro de 2008 apresentam a primeira maquete, “Muzik Feel”, composta por 12 temas.

Em 2009 a banda começa a promover as suas músicas com maior regularidade. Em Julho, Ricardo Neves e João Ramos juntam-se ao projecto. Depois gravam uma nova maquete, intitulada “Sessions 2.0”, com quatro temas com novos arranjos. 2010 é o ano da promoção e projecção do projecto (através de concursos de música). Tocando praticamente todas as semanas, quer em concursos, quer noutros eventos, chegam a Agosto de 2010 e apresentam ao seu primeiro EP homónimo.

E, em Setembro, sagram-se vencedores da 15.ª edição do Festival de Música Moderna Portuguesa de Gondomar.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *