Cantanhede, Cultura

Nos Claustros com as Bandas Filarmónicas – Cantanhede

A actuação da Phylarmonica Ançanense nos Paços do Concelho, no dia 4 de Setembro, pelas 22.00 horas, assinala o início de Nos Claustros com as Bandas Filarmónicas um programa de animação musical promovido pelo Município de Cantanhede e que contempla a realização de três espectáculos que irão decorrer aos sábados.

A iniciativa, inteiramente dedicada às bandas filarmónicas locais, prossegue com concertos, sempre às 22.00 horas, nos dias 11 de Setembro, pela Filarmónica de Covões, e 18 de Setembro com a Associação Musical de Pocariça.

Promovido pelo Município de Cantanhede, Nos Claustros com as Bandas Filarmónicas contempla uma série de concertos de elevada qualidade artística e aposta, à semelhança do que foi feito em anos anteriores, na dinamização de um espaço de significado histórico e patrimonial de excepção, tirando partido da excelência das suas condições acústicas e estéticas na realização de eventos culturais.

Inserido na política de dinamização cultural que a autarquia tem vindo a promover, com o objectivo de proporcionar o acesso da população do Concelho aos bens e valores da cultura, assim como no âmbito da promoção e valorização das bandas filarmónicas do Concelho, é ainda de realçar que o Município de Cantanhede vai apoiar a realização do III Festival de Filarmónicas da Pocariça, I Festival Ibérico. A iniciativa é organizada pela Associação Musical da Pocariça e terá lugar no Largo do Outeiro (Pocariça) no próximo dia 25 de Setembro, a partir das 16h30, com a participação de prestigiados agrupamentos musicais do género, designadamente a Filarmónica União Taveirense – Taveiro; a Banda Municipal do Boiro (La Coruña) e a banda anfitriã, Associação Musical da Pocariça. 
 
 
 
 

Concerto da Phylarmonica Ançanense

4 de Setembro

22.00 horas

PROGRAMA

Triumphant Fanfare – Richard Saucedo

Encanto – Robert W. Smith

Prince of Egypt – Stephen Schwartz

Pirates of Caribbean – Hans Zimmer

Tarzan – Phil Collins

John Williams in Concert – John Williams

Abba on Broadway – Michael Brown 

ENCORE

North Face – Jay Bocook

Phylarmonica Ançanense

Ao longo de cento e trinta anos de existência a Phylarmonica Ançanense tem conseguido, com mérito, afirmar-se no meio cultural, artístico e musical, através de inúmeras apresentações em território nacional e algumas no estrangeiro.

Criada por iniciativa de um grupo de trabalhadores do campo, amantes da arte dos sons, apoiados e liderados por um senhor da terra, a sociedade musical foi constituída em 24 de Setembro de 1879 com a designação de Phylarmonica Ançanense. Em 1 de Outubro do mesmo ano, a banda de música inicia a sua actividade, com a sua primeira saída à rua.

Desde a sua fundação, a associação tem desenvolvido diversas actividades, sendo efectivamente dentro do ensino e divulgação da música filarmónica que o seu trabalho mais se tem evidenciado nas últimas décadas. Funciona também como escola de formação, proporcionando a um significativo número de crianças e jovens um conjunto de experiências musicais que contribuem para o seu desenvolvimento pessoal e musical. É desta Escola de Música, que conta actualmente com cinquenta inscritos, que se vão formando os novos músicos que compõem a banda, realçando-se ainda aqueles que muitos são os que prosseguem para os conservatórios com a formação de base aqui adquirida.

Conta com diversas actuações em território nacional, assim como no estrangeiro, designadamente em França – Graulhet (1995); Açores – Ponta Delgada (1996); Madeira – Machico (2003), França – Alfortville (cidade geminada de Cantanhede) e Eurodisney (2008) apresentando-se sempre, nas mais variadas situações, com brilhantismo e sabedoria, assim o atestam as diversas críticas e elogios de que tem sido alvo.

Foi-lhe reconhecido pelo Governo, em 26 de Fevereiro de 1998, o mérito de pessoa colectiva de utilidade pública, nos termos do art.º 3.º do Dec. Lei n.º 460/77. É Filiada no Inatel, CCD nº 2994, associada da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura e Recreio e membro fundador da Federação de Filarmónicas do Distrito de Coimbra.

Composta actualmente por cerca de 50 elementos, sob direcção artística do Maestro Rui Pedro Lúcio das Neves, a Phylarmonica Ançanense é, desde a sua fundação, um baluarte cultural da Vila de Ançã e da região. 

Rui Pedro Lúcio das Neves

Rui Pedro Lúcio das Neves é licenciado em Música, variante Jazz pela Escola Superior das Artes e Espectáculos do Porto. Iniciou os seus estudos musicais aos 14 anos, no Conservatório de Música de Coimbra, na Classe de Percussão do Prof. Paulo Oliveira.

Paralelamente ao Conservatório, ingressa em 1995 na Filarmónica União Taveirense (FUT) onde apura e prossegue os seus estudos. Em 2002 desloca-se ao Brasil com a Big Band da FUT para realizar uma série de concertos no Estado de Pernambuco. Participa na gravação do primeiro álbum desta formação, intitulado “FUTSuite”, em 2005, e conquista com esta formação musical, no mesmo ano, o primeiro lugar no I Concurso Nacional de Bandas – Cidade de Aveiro.

Em 2004, 2005 e 2006 participa nas gravações dos DVDs ao vivo dos Concertos de Encerramento das Masterclasses organizadas pela FUT, tocando com Pedro Carneiro, Sérgio Carolino, Pedro Ribeiro, Henk van Twillert, entre outros. Rui Lúcio fez parte do Grupo de Instrumentos de Sopro de Coimbra (GISC), realizando várias digressões pelo estrangeiro (Itália, Bélgica, Hungria, Rússia). Como percussionista desta orquestra alcança, em 2005, o primeiro lugar no Festival Europeu de Música realizado em Neerpelt (Bélgica) e participa na gravação dos dois álbuns deste agrupamento musical: “Prólogo” e “RefleXXos”.

Da sua experiência musical é de destacar a frequência na Riff (Aveiro), a presença na OJC dirigida por Paulo Perfeito e a participação em vários Workshops e Masterclasses, onde trabalhou com, Frank Tiberi, Jack Walrath, Dave Liebman, Zé Eduardo, Jonathan Kreisberg, Aaron Goldeberg, Matt Penman, Sam Burtis, Francisco “Latino” Blanco, Greg Tardy, Alan Ferber, Paulo Perfeito, Orrin Evans, entre outros.

É membro fundador da “Smooth Orquestra”, dos “Dixie Gringos – Jazz Band”, dos “BSwing”, da Orquestra “Aeminium”, dos “Cantos de Liberdade”, “4Jazz4Et” e da “Cor da Língua” – Acert, com o qual fez uma digressão por Moçambique em Agosto de 2008 e deslocou-se ao Festival Internacional Tri-Bune em Estugarda Alemanha.

É director artístico da Phylarmonica Ançanense, desde Fevereiro de 2009. Lecciona as disciplinas de percussão e bateria em várias Escolas de Música, tais como; Escola de Música da FUT, Escola de Música da Grupo Recreativo Mirandense e Escola de Música da Phylarmonica Ançanense.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *