Santo Tirso, Sociedade

“Inventar a cidade” está a revolucionar o conceito de viver Santo Tirso

Hoje em dia, as realidades e as necessidades de uma cidade ultrapassaram a barreira do material e urge pensar em projectos que englobem também o incorpóreo. O projecto “Inventar a Cidade” representa uma nova forma de encarar a cidade e de lhe dar a dimensão que ela merece para ser vivida em pleno pelos seus habitantes. Neste projecto, que representa um investimento de 1,8 milhões, mais importante do que as componentes materiais, são as imateriais, ou seja, este projecto pretende envolver a população, sobretudo a população carenciada, dando-lhe formação para, no futuro, desenvolverem acções de animação e gestão do espaço público.

No âmbito deste projecto, está a decorrer um curso de Teatro e Artes Performativas para os residentes dos bairros sociais e outro para os grupos de teatro amador com o objectivo de dotar os formandos das teorias e práticas relativas ao teatro e contribuir para o desenvolvimento teatral e cultural. A formação teatral pode ser um elemento determinante no preparar destas pessoas para desenvolverem outras tarefas de agentes desenvolvimento no seio da comunidade em que estão inseridas. Este Curso de Teatro e de Artes Performativas com a duração de três anos, está a formar pessoas que estão também já a animar o espaço público da cidade – como aconteceu na iniciativa Regresso aos anos 50.

Projectos materiais

A área de intervenção física do “Inventar a Cidade” é Santo Tirso, em duas áreas geograficamente distintas, mas com problemas de gestão do espaço público complementares e resolúveis através das mesmas soluções inovadoras:

  1. Beneficiação da Praça General Humberto Delgado
  2. Dois projectos de execução da proposta vencedora do Europan 9 – Atelier Ambiental e parque natural – localizados no Vale da Ribeira do Matadouro;

 

A Praça General Humberto Delgado e a Rua Nuno Álvares Pereira cuja obra já foi adjudicada constituirá um novo espaço na cidade dedicado ao peão e à vida pública. Este projecto da arquitecta Graça Nieto Guimarães irá resolver o complicado problema de trânsito que são actualmente os cruzamentos fronteiros ao Tribunal. Por outro lado a Praça General Humberto Delgado e o troço final da Avenida de São Rosendo, em frente à fachada lateral do Cine-Teatro, serão transformados em áreas pedonais. De salientar o novo enquadramento a dar ao busto do Prof. Pires de Lima da autoria do conceituado escultor Leopoldo de Almeida, que será enquadrado por uma escultura em topiária (técnica tradicional de esculpir em plantas) da autoria da escultora Clara Menéres.

O projecto Europan 9, coordenado pelo arquitecto Gilberto Pereira, para o Vale do Ribeiro do Matadouro está em fase de conclusão e responde aos objectivos da câmara municipal para esta importante área da cidade. No âmbito do “Inventar a cidade” nascerá um atelier de Educação Ambiental e um Parque.

Atelier de Educação Ambiental

O atelier do ambiente procura antes de mais a harmonia com o próprio ambiente circundante. Um diálogo entre o artificial existente e o proposto, mediado pelo contexto natural.

Tira-se partido da localização do edifício do antigo matadouro, junto à ribeira e ao novo parque urbano, funcionando como elemento charneira entre o limite do urbano consolidado e o contexto difuso da ocupação envolvente.

Ocupa uma posição privilegiada, no centro do corredor ecológico, possuindo ligação imediata com o novo horto onde se pensa vir a desenvolver actividades em parceria, explorando, jogando com as linhas da envolvente, surge uma pala a partir do terreno que cobre o edifício existente sem o tocar. Sendo uma cobertura ajardinada e visitável funciona como miradouro e espaço de contemplação, principalmente na vista a sul.

Recrear – Parque

As zonas recreativas foram vistas de forma unívoca, e entendidas como uma entidade única, de múltiplas valências – o Parque. O modelo de parque a desenvolver assenta sob a incorporação, requalificação e valorização dos sistemas naturais na cidade. Assim, o Parque é entendido como Espaço de Recreio e Centro de Pedagogia Ambiental e como Zona de Conservação e Estimulação da Biodiversidade.

Outras soluções imateriais

A execução do projecto físico criará novos espaços públicos, de localização privilegiada, nos quais se pretende adoptar um conjunto de soluções inovadoras, no respeito pelo quadro de competências municipais, relacionadas com:

  • Limpeza urbana e tratamento de espaços verdes;
  • Gestão, nomeadamente no que se refere à ocupação do espaço público e publicidade;
  • A animação dos espaços públicos.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *