Marinha Grande, Sociedade

Reabilitação do Sistema Estuarino do Rio Lis – Marinha Grande

A margem esquerda do Sistema Estuarino do Rio Lis, entre a ponte das Tercenas e o mar, vai ser alvo de reabilitação no âmbito de uma empreitada a ser executada pela Câmara Municipal da Marinha e pela Administração Regional Hidrográfica (ARH) do Centro.

O acordo de parceria que estipula a cooperação técnica e financeira entre as duas entidades para concretização deste objectivo foi assinado na tarde desta terça-feira, 24 de Agosto, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelo Presidente da Câmara, Álvaro Pereira; e pela Directora da ARH Centro, Teresa Fidelis.

No acto da assinatura do protocolo, o Presidente da Câmara referiu que “esta parceria é um exemplo das boas relações e boas práticas entre a administração central e local”.

“Esta obra orçada em cerca de um milhão de euros valorizará esta praia, que nos merece toda a atenção, contribuirá ainda mais para a sua dinamização e irá recuperar uma área sensível do território, que se encontra sujeita a elevada pressão turística, pelo facto de ter elevada taxa de procura e de utilização”, acrescentou.

Álvaro Pereira destacou que “andar a pé, passear com a família, circular de bicicleta, desfrutar do ambiente e da paisagem própria de uma marginal de praia, passou a ser uma prioridade”.

A reabilitação do Sistema Estuarino do Rio Lis será complementada com outras três acções como a requalificação da Ponte das Tercenas, a conclusão da Estrada Atlântica e a beneficiação do Parque de Campismo da Praia da Vieira.

Teresa Fidelis felicitou a Câmara pelo seu empenho nesta parceria e pelo modo construtivo como colaborou com a ARH Centro na preparação do projecto e candidatura.

A responsável pela ARH Centro salientou que esta empreitada tem “o potencial de requalificação e ordenamento desta zona, que pode ser aplicada a outras zonas da Região Hidrográfica do Centro”.

Este projecto “vem testemunhar a importância que a ARH Centro dá à recuperação da Bacia Hidrográfica do Rio Lis, tão fustigada, e que é tão rica de recursos”.

Investimento de cerca de um milhão de euros

A área naturalizada que envolve a foz do Rio Lis, com especial incidência na Margem Esquerda, regista acentuada degradação e descaracterização, devidas não só às obras de regularização do rio ou utilização desregrada das áreas marginais, como à falta de ordenamento dos espaços.

É necessário implementar medidas de requalificação ambiental, através da criação de espaços naturais de uso sustentado, permitindo resposta às solicitações ou interesses das populações locais, conjuntamente com a revitalização e gestão eficiente dos recursos naturais costeiros, disponibilizando aos cidadãos praias com qualidade e atractividade;

A reabilitação do Sistema Estuarino do Rio Lis iniciar-se-á no último trimestre deste ano e terá uma duração de 10 meses. Representa um investimento de cerca de um milhão de euros, co-financiado pelo Programa Operacional Regional do Centro (MAIS CENTRO), no âmbito do contrato de financiamento referente à candidatura já aprovada.

O presente Plano de Requalificação Ambiental tem como objectivos:

a) Requalificação e valorização do Património Natural;

b) Ordenação e infra-estruturação os espaços (estacionamento tipificado, ciclovia, parque temático do Pinheiro Manso).

c) Requalificação dunar e construção de passadiços.

d) Minimização do risco de inundações (galgamentos).

Como elementos fundamentais a incluir no espaço consideram-se:

• A reabilitação da galeria ripícola na margem esquerda;

• A consolidação da mancha vegetal arbórea na margem direita;

• A criação de parques de estacionamento para:

o Veículos ligeiros, cumprindo o disposto no Decreto-Lei n.º 163/06 de 8 de Agosto;

o Autocarros;

o Autocaravanas;

o Bicicletas;

• A consolidação de uma rede de caminhos pedonais e cicláveis acessíveis, que permitam a fruição/utilização da área por todos;

• A definição de espaços verdes de uso público, aos quais estejam associadas zonas de ensombramento e estadia;

• O recurso à utilização do pinheiro manso como material vegetal arbóreo de excelência;

• A infra-estruturação da área com equipamentos de apoio à sua utilização – sanitários públicos;

• A colocação de mobiliário urbano capaz de promover uma utilização confortável da área;

• A utilização de materiais adequados à situação/localização concreta da área de intervenção, garantido o respeito pelas suas características intrínsecas;

• Promover a interligação da área de intervenção com a rede pedonal e/ou ciclável existente e/ou proposta para o aglomerado urbano da Praia da Vieira;

• A promoção e valorização da biodiversidade local.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *