Economia, Santo Tirso, Sociedade

10 milhões de euros de investimento para revolucionar o conceito de viver em Santo Tirso

A PARCERIA PARA A REGENERAÇÃO URBANA – REVITALIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DAS MARGENS DO AVE NA CIDADE DE SANTO TIRSO (PRU-Margens do Ave) vai revolucionar o conceito de viver o Rio Ave e revitalizar toda uma região que após a crise que atravessou o sector têxtil foi abandonada durante anos. A Câmara Municipal desenvolveu um projecto inovador – uma parceria entre diversas instituições – que uniu várias entidades em torno de um objectivo comum: a Regeneração Urbana da Margens do Ave.

O Rio Ave foi durante muitos anos associado à ideia de poluição, mas hoje, a realidade é bem diferente: o rio está despoluído e foram encontradas novas soluções para a região do Ave.

O Vale do Ave em geral e Santo Tirso em particular têm muito para oferecer. A Câmara Municipal é a âncora da Parceria para a Regeneração Urbana e esta parceria – que reúne a Direcção Regional da Educação do Norte – Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento, Café do Rio, Fundação Santo Thyrso e a Associação Recreativa da Torre – vai mudar o rosto de toda a zona ribeirinha do coração do concelho. O rio está de volta à cidade. 

10 MILHÕES DE EUROS DE INVESTIMENTO

PARA REVOLUCIONAR O CONCEITO DE VIVER SANTO TIRSO 

A união das entidades numa Parceria tornou possível uma intervenção de 10 milhões de euros, em 251 ha ao longo de 3,5 km de frente ribeirinha, abrangendo oito freguesias: Santo Tirso, Santa Cristina do Couto, São Miguel do Couto, Burgães, Sequeirô, Lama, Areias e Palmeira.

A intervenção a que a frente ribeirinha vai ser sujeita, durante estes três anos de execução do projecto, será transversal no tipo de obras a realizar, no tipo de destinatários das mesmas e terá como factor inovador o facto de à intervenção física ser acrescentada a vertente imaterial e muitas vezes esquecida, mas fundamental para que o investimento realizado seja vivido pela população: a ANIMAÇÃO, O VIVER O RIO. Está já definido um programa cultural e recreativo e de grande qualidade, com uma forte vertente lúdico-desportiva. Serão várias as obras a realizar na área de intervenção do PRU: 

NAVE CULTURAL FÁBRICA DO TELES

A Nave Cultural será  um espaço destinado a acolher actividades como Concertos/Festivais, Teatro/Dança/Performances, Exposições e Instalações, Feira/ Parque de Exposições, Eventos Sociais e Eventos Técnico/científicos (conferências, seminários e workshops). Será mantida a actual estrutura, respeitando a arquitectura do espaço.

O concelho vai dispor de um equipamento único e atractivo para toda a região do Vale do Ave e Grande Porto. Vai ser criado o Centro Interpretativo da Indústria Têxtil onde será apresentado o panorama fabril deste espaço nos tempos do seu funcionamento. No espaço do Centro Interpretativo está a Loja da Fábrica (loja/livraria). E este novo pólo de fruição vai ter ainda mais para oferecer a quem o visite: espaço de restauração, espaços comerciais e de lazer. As margens do Rio Ave (na frente ribeirinha da Fábrica do Teles) vão ser requalificadas e será criado um parque de estacionamento. 

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

No coração da cidade, vai nascer um importante conjunto de equipamentos para todo o concelho: o sequeiro da Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento vai ser adaptado a auditório, área expositiva e Centro de Interpretação Ambiental. A criação deste Centro visa reforçar a informação e a comunicação dos valores ambientais, no seio da escola, e sensibilizar os visitantes (desde escolas a lares de terceira idade) para as prementes questões ambientais, através da realização de acções de educação e sensibilização ambiental. Vai ser criado um laboratório de análise de água, um laboratório de observação microscópica e uma pequena biblioteca/mediateca temática no espaço do Centro de Interpretação Ambiental. O auditório destina-se à realização de conferências, actividades de formação, acções de intercâmbio pedagógico e será aberto à comunidade local. 

ESCOLA PROFISSIONAL DE HOTELARIA

Junto ao antigo celeiro da Escola Profissional Agrícola vai nascer uma escola/restaurante e uma pequena área para escola/hotel que para além de permitir a valorização e a passagem ao nível III dos cursos ministrados, possibilitará um aumento considerável da oferta formativa da escola em áreas de crucial importância para a região, como é a restauração e a hotelaria, e será ainda uma mais-valia na prestação de serviços à comunidade.

No mesmo espaço será  instalado um agradável restaurante com vista para o Rio Ave.

PASSEIO DOS FRADES

Inserido no Mosteiro e Quinta de São Bento, imóvel Monumento Nacional e que se encontra associado à génese da cidade de Santo Tirso, vai ser alvo de uma intervenção de recuperação, fundamental para assegurar a conservação destes bens imóveis e que, simultaneamente, tornará acessível à população este belíssimo percurso ribeirinho, contribuindo assim para um dos grandes objectivos desta estratégia de regeneração urbana que é a reaproximação da cidade de Santo Tirso do Rio Ave, tornando-o um espaço de lazer.

PERCURSO PEDONAL E CICLÁVEL

Um agradável percurso pedonal e ciclável vai ligar o Parque Urbano da Rabada ao coração da cidade. As margens do Rio Ave vão ser requalificadas ao longo de 1,4 km – extensão do percurso através do qual vai ser possível passear, correr ou andar de bicicleta, tendo como cenário a agradável paisagem de Santo Tirso. Pretende-se simultaneamente intervir na frente ribeirinha do Ave e estabelecer uma ligação pedonal/ciclável entre a frente ribeirinha que se encontra mais próxima do centro da cidade de Santo Tirso e o Parque Urbano da Rabada. Este percurso pedonal e ciclável permitirá dar continuidade futura, na cidade, a uma rede de percursos pedonais e cicláveis que vão criar uma alternativa estruturada e com escala suficiente face ao modelo de mobilidade motorizada adoptado pela grande maioria da população.

PARQUE URBANO DA RABADA

O Parque vai ganhar uma nova vida com a criação de novas zonas: logo à entrada vai ser criada uma zona de desporto informal e os mais novos vão poder usufruir de um parque infantil. Para quem gosta de passear ou correr, está a ser criado um percurso pedonal e zonas de estadia. A plantação junto ao lago vai ser reforçada, o anfiteatro iluminado e todos os equipamentos melhorados.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

2 comentários

  1. Não foram os só os 10 milhões de euros que despoluiram ( em parte) o Rio Ave, mas sim o encerramento das várias fábricas que nos últimos 5 anos encerraram as suas portas, remetendo para o desemprego milhares de trbalhadores. É bom e fica bem que se diga a verdade.

  2. gostaria de ver essa grande obra .pois e”muito bom para essa regiao. tambem gostaria de ver muitos postos de trabalho. gostaria de ver muito sussesso. S.R. presidente faça alguma coisa pelo desemprego.
    as pessoas agradecem.
    uma politica construtiva.
    força… coragem… LUIS—— Santo-Tirso…….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *