Desporto

Espanhol surpreendeu pelotão adormecido

O espanhol Joaquin Ortega (Barbot-Siper) venceu destacado, esta quarta-feira, a 6ª  etapa da 72ª Volta a Portugal Lagos Sports, depois de se ter escapado de um grupo de oito fugitivos que deixou uma marca indelével na história da mais extensa tirada desta edição, que ligou a estreante no traçado da corrida, Moimenta da Beira, a Castelo Branco. 

Os principais classificados na geral chegaram integrados no pelotão pelo as contas não se alteraram na tabela individual. David Blanco (Palmeiras Resort-Prio) conservou a camisola amarela e os restantes líderes permaneceram intocáveis. A única alteração registada foi a subida da equipa Barbot-Siper ao comando da classificação colectiva. 

Joaquin Ortega, de 29 anos, natural de Tabernes, nos arredores de Valência, feliz pelo triunfo, comentou: “Nos últimos dias estive a trabalhar para a equipa e por isso não consegui integrar uma fuga. Hoje foi uma etapa com muito calor desde o início, mas conseguimos ir oito corredores para a fuga. Aproveitámos o facto do pelotão estar parado para conseguirmos uma vantagem confortável, e na parte final fiquei isolado para conquistar a vitória na etapa”. 

Palmeiras tenta reagir 

A caminho da única contagem de montanha na escalada para a Guarda já a fuga estava a rolar com mais de cinco minutos de vantagem. Luís Pinheiro (Madeinox/Boavista) amealhou os pontos da 3ª categoria enquanto a equipa do camisola amarela, a Palmeiras Resort-Prio, ainda impôs um ritmo bastante forte ao seu esforço de perseguição, mas nem isso impediu os oito fugitivos de aumentarem a diferença para uns inquietantes 9m 25 na passagem pela meta volante de Sabugal (Km. 109,3), em que o mesmo boavisteiro Luís Pinheiro se impôs novamente à concorrência. 

Oito fugitivos resistem 

A fuga foi protagonizada por Joaquin Ortega (Barbot-Siper), Celestino Pinho (CC Loulé), José  Mendes (LA-Rota dos Móveis), Luís Pinheiro (Madeinox/Boavista), Carlo Scognamiglio (ISD), Rodrigo Garcia (Xacobeo), Angel Vicioso e Jesus Rosendo (ambos da Andalucia).

Na aproximação à meta volante de Castelo Branco a diferença estava nos oito minutos mas a preocupação não era grande. Nem o camisola amarela, nem os mais próximos adversários corriam qualquer risco, e daí, um certo “deixa andar” por parte do pelotão, atitude que facilitou a vida aos fugitivos, que passaram uma primeira pela meta volante de Castelo Branco, com Rodrigo Garcia (Xacobeo) na frente.  

Uma “faena” à Ortega 

Do grupo de fugitivos saltara entretanto um outro espanhol, Joaquin Ortega (Barbot-Siper), que na primeira passagem pela meta já estava destacado. Faltavam 18 quilómetros para concluir a etapa e Ortega acabou por gerir bem os segundos que foi amealhando para assegurar a vitória com uma boa vantagem sobre José Mendes (LA-Rota dos Móveis) que foi segundo classificado a 20 segundos apesar de tudo ter tentado para impedir o êxito do espanhol. Os restantes fugitivos terminaram à frente do pelotão que gastou mais 6m 28s que o tempo do vencedor. 

Mais Fotografias, Declarações Áudio e Informações em

http://volta-portugal.com/etapas/phps/noticias.php?etapa=6

A escalada para a Torre 

A sétima etapa, esta quinta-feira, é aguardada com expectativa porque pode ajudar a definir muita coisa na classificação. A tirada de 168 Km vai partir de Idanha-a-Nova para Seia. Os corredores concentram-se às 10h30 junto ao Terminal Rodoviário de Idanha-a-Nova, onde pelas 12h30 iniciam o trajecto de três quilómetros até próximo do Estádio para a partida real às 12h40. A chegada à Torre está prevista para cerca das17h20. 

Até iniciarem a subida ao ponto mais alto de Portugal Continental terão de ser ultrapassadas duas contagens de montanha, a primeira, de 3ª cat. no alto do Teixeira (Km 94,3) e a segunda, de 1º cat. em Carrazedo, às quais se juntará a última que leva o pelotão para a meta. As três habituais metas volantes estão colocadas no Fundão (Km 43,9), Unhais da Serra (Km 75) e Seia (Km 136,9). 

Esta é a 19ª  vez que a Volta vai chegar ao alto da Torre, desde que Joaquim Agostinho ali triunfou em 1971.

Últimas chegadas à Torre e respectivos vencedores: 

2000 (62ª Volta): Guarda-Torre, 168,2 Km., Vítor Gamito (P. Ravessa)

2001 (63ª Volta): Portalegre-Torre, 166 Km., Santiago Perez (Barbot)

2002 (64ª Volta): Belmonte-Torre, 181 Km., Claus Moller (Milaneza)

2003 (65ª Volta): F. Foz-Torre, 208,3 Km,. Nuno Ribeiro (LA-Pecol)

2004 (66ª Volta): Fundão-Torre, 143,4 Km, David Arroyo (LA-Pecol)

2007 (69ª Volta): Oliveira do Bairro-Torre, 154,2 Km., Eládio Jimenez (LSE)

2008 (70ª Volta): Idanha a Nova-Torre, 171,5 Km., Rui Sousa (Liberty)

2009 (71ª Volta): Oliveira do Bairro-Torre, 154,6 Km., Nuno Ribeiro (Liberty)*  

* Desclassificado com vitória atribuída ao segundo classificado David Blanco (Palmeiras) 

No site da Volta a Portugal – www.volta-portugal.com – pode acompanhar em directo a evolução da 7ª Etapa da 72ª Volta a Portugal em Bicicletas Lagos Sports no filme da etapa em  http://volta-portugal.com/etapas/phps/filme.php?etapa=7

A 72ª Volta a Portugal tem o apoio das autarquias de Lisboa, Viseu, Leiria, Fafe, Castelo Branco, Mondim de Basto, Oliveira do Bairro, Santo Tirso, Aveiro, Viana do Castelo, Lamego, Sintra, Oliveira do Hospital, Oliveira de Azeméis, Gouveia, Idanha-a-Nova, Moimenta da Beira, Seia, Barcelos, Armamar e Águeda além do patrocínio dos Jogos do Centenário, Jogos Santa Casa, RTP, Aluvia, EDP, Tempo-Team, Liberty Seguros, Meo, O Jogo, Jornal de Noticias, Rádio Renascença, Águas São Martinho, Shimano, Xerox, Mobilif, Torrié, Copigés, DietSport – Powerbar, LG, Instituto Geográfico do Exercito, Ford, Cision, Estanhos D. António, Fullwear, Nexx Helmets, Orbita, KEEWAY, Pastelaria Chafariz, Sportzone, Tipografia Peres e Aquahotels Mondim Basto.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *