Cultura, Póvoa de Varzim

Feira do Livro – programa dias 9, 10 e 11 – P. Vaizim

 Aberta ao público até ao próximo domingo, 15 de Agosto, a Feira do Livro, no Largo do Passeio Alegre, continua a oferecer um programa de animação cultural diversificado.
Heróis à moda do Porto e Heróis à moda do Alentejo, que formam a colecção Heróis à moda de… coordenada por João Carlos Brito, da editora Lugar da Palavra, serão apresentados hoje, dia 9 de Agosto, às 22h00, na Feira do Livro.
 Heróis à moda do Porto começou por ser um exercício de escrita criativa num curso de formação de adultos e transformou-se num livro que junta histórias a cerca de 500 entradas de vocábulos tipicamente portuenses. “No 126 da Rua Passos Manuel… Todos os contos terminam com algo a ter lugar nesta morada. No Porto, claro, porque os sete contos têm por cenário de fundo diversos ambientes da Invicta e todas as personagens, importadas (e muito adulteradas) das clássicas histórias infantis, de repente, como que por um passe de magia, desatam a falar “portoguês”… ou seja, a linguarejar com o registo bem típico das gentes do norte e, em particular, da zona do Grande Porto. E, para lá da língua, procurou-se incutir aos diferentes heróis retratados… a alma tão sui generis dos portuenses. Com muita ironia e sarcasmo, à mistura, naturalmente”.
Heróis à moda do Alentejo, sob a coordenação de Luís Miguel Ricardo, reúne oito contos, com muito humor, de oito autores do Baixo Alentejo, que narram histórias mais ou menos heróicas de alentejanos. “Uma carga de trabalhos em que se meteram e que muitas fezes lhes hão de trazer… E, para que todos compreendam as mais de 2000 palavras e expressões da gíria, calão e regionalismos alentejanos, no final, há um saboroso Dicionário Parrascana de ler e chorar por mais!”
Amanhã, dia 10, às 22h00, terá lugar a apresentação do livro O belo e a vida, de Susana Santos Silva, publicado pelas Edições Ecopy. Esta obra é o resultado de um trabalho científico desenvolvido no âmbito da dissertação do mestrado em Relações Interculturais. Problematiza o desenvolvimento humano em torno de três temas eixo – a Ética, a Estética e a Cidadania – através de testemunhos de vida de oito referências da cultura portuguesa que, de algum modo, representam as várias linguagens artísticas: o escritor António Alçada Baptista, o maestro António Victorino d’Almeida, o professor Jacinto Rodrigues, a pintora Helena Abreu, o ex-bailarino Jorge Salavisa, o actor Ruy de Carvalho, o escultor José Rodrigues e o cineasta Fernando Lopes. As suas longas experiências de vida, em convívio permanente com as expressões artísticas, transmitem alguma universalidade de experiência humana e permitem avançar para uma melhor compreensão acerca do projecto humano.
Na quarta-feira, 11 de Agosto, a Feira do Livro terá um momento dedicado exclusivamente aos mais novos, às 18h30, com sessões de leitura dos livros para crianças. O público infantil terá oportunidade de conhecer algumas histórias de: Sopa de Letras, de João Manuel Ribeiro, Tetraletra, de Maria Helena Pires e Versos Diversos, de Nuno Higino.
À noite, às 22h00, será apresentado o livro Marta, de João Antunes Pardelho.
Sinopse da obra: «Marta carregou um pesado fardo desde nascença, pelo motivo de o nome de seu pai não constar do seu assento de nascimento no Registo Civil. A sua mãe viveu, igualmente, este drama ao ser expulsa da casa dos seus progenitores que não admitiam a sua condição de “mãe solteira”. A sociedade, em meados do século XX, era implacável a condenar estes casos e outros, como o da homossexualidade que também é retratado neste romance. Marta viveu parte da sua juventude com uma tia, viúva e sem filhos, que, possuindo uma fortuna considerável, a criou com todo o carinho e lhe proporcionou todas as oportunidades para concretizar os seus sonhos. Com 23 anos, Marta era uma mulher lindíssima, com um corpo escultural e um rosto angélico. Mas não se distinguia só pelos dotes físicos, pois revelava os sentimentos mais belos, como a bondade e a ternura. Tinha tudo para ser feliz! Mas a vida é como uma rosa, bela e com espinhos, e Marta cedo começou a sentir espinhos a dilacerarem-lhe o coração. A sua verdadeira história de vida principia a partir do primeiro dia de casada, com momentos verdadeiramente dramáticos, momentos de sofrimento intenso. Mas Marta saberá renascer das cinzas e, carente de afectos, deixará que o amor e a paixão se instalem fortemente no seu coração».
A Feira do Livro decorre até 15 de Agosto e está aberta de domingo a quinta-feira das 16h00 às 24h00 e às sextas e sábados das 16h00 à 1h00. No seu último dia, 15 de Agosto e feriado em honra de Nossa Senhora da Assunção, a Feira está aberta das 14h00 às 24h00.
No portal municipal, pode consultar o programa de animação da Feira.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *