Cultura, Marinha Grande

Inauguração do Pavilhão de Exposições de Escultura – Marinha Grande

A Câmara Municipal da Marinha Grande vai homenagear o Escultor marinhense Joaquim Correia e inaugurar o Pavilhão de Exposições de Escultura no dia 26 de Julho (Segunda-feira) a partir das 18h00 no Museu Joaquim Correia, sito no largo 5 de Outubro, na Marinha Grande.

Esta iniciativa visa assinalar o 90º aniversário do artista, na qual a Câmara Municipal pretende evocar a carreira do escultor e reconhecer publicamente o contributo do artista para a dignificação da escultura a nível local e nacional.

A sessão contará  com a presença do Senhor Governador Civil Humberto Paiva de Carvalho, do Senhor Presidente da Câmara Municipal Álvaro Pereira, da Vereadora da Cultura Cidália Ferreira, de representantes da Academia de Belas Artes, bem como de outros amigos e familiares do homenageado.

Joaquim Correia nasceu na Marinha Grande a 26 de Julho de 1920, neto e filho de uma família de Mestres Vidreiros.

Depois de ter realizado os estudos primários na sua terra natal, continuou os estudos secundários em Leiria. Nesta cidade beneficiou do ensino e da convivência com um grupo excepcional de professores-artistas, dos quais se destacam os escultores Luís Fernandes e Narciso Costa e os pintores Miguel Barrias e Lino António.

Em 1938 ruma a Lisboa a fim de frequentar o curso superior de escultura na Escola Superior de Belas Artes, onde apesar das excelentes classificações obtidas nas provas artísticas, lhe foi negada a matrícula.

Em 1940 é  admitido e frequentou o 1º ano do curso superior de escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, tendo concluído os restantes anos do curso na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa onde foi discípulo do Prof. Escultor José Simões de Almeida (Sobrinho). Completou a sua formação de escultor nas oficinas dos Mestres Francisco Franco, Salvador Barata Feyo e António Duarte.

 
 

É sócio efectivo da Sociedade Nacional de Belas Artes, da Associação dos Arqueólogos Portugueses e da Sociedade de Geografia de Lisboa.

Preside à  comissão instaladora do Museu do Vidro.

Comendador da Ordem Militar de Sant’iago de espada e “Des Arts et Lettres” de França.

É autor de numerosas estátuas, baixo-relevos e medalhas que figuram em lugares públicos e privados em Portugal e no estrangeiro.

Está também representado nos Museus Nacionais de Arte Contemporânea de Lisboa, de Soares dos Reis no Porto, no centro de arte moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, e em várias colecções nacionais e estrangeiras.  

Em 1997 a Câmara Municipal inaugura o Museu Joaquim Correia, consagrando a obra de um dos maiores expoentes no campo da criação artística do concelho da Marinha Grande. Na cerimónia de segunda-feira a autarquia inaugura o Pavilhão de Exposições de Escultura do Museu Joaquim Correia.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *