Marinha Grande, Sociedade

Percurso pedestre em S. Pedro de Moel – Marinha Grande

No âmbito do programa das actividades de divulgação ambiental, realiza-se no dia 18 de Julho o passeio “Trilhos na Natureza”, uma saída de campo pelas arribas e recifes de São Pedro de Moel. A concentração está marcada para as 09h30, junto ao edifício do turismo de S. Pedro de Moel.

Esta iniciativa de participação gratuita, destina-se ao público em geral e tem uma duração prevista de 2h30. As inscrições decorrem na Casa Afonso Lopes Vieira em São Pedro de Moel e no Museu do Vidro na Marinha Grande.

Este passeio tem como objectivo dar a conhecer os habitats rochosos existentes na faixa intermareal do concelho da Marinha Grande. Classificados pela Directiva Habitats como habitats prioritários para a conservação da natureza, estão presentes as falésias com vegetação das costas mediterrânicas e os Recifes que atribuem a esta zona costeira, uma beleza singular.

Ao longo do trilho, guiado pela bióloga da Câmara Municipal da Marinha Grande, os participantes terão oportunidade de observar uma magnífica variedade de fauna e flora marinhas típicas de praias rochosas dispostas em andares específicos.

As comunidades vegetais presentes nas arribas calcárias de São Pedro de Moel, encontram-se condicionadas pela intensidade do vento e exposição marinha, destacando-se alguns endemismos como a lendária flor-da-saudade (Armeria welwitschii).

Situados entre a praia e o Penedo da Saudade, observam-se os recifes de São Pedro de Moel, que funcionam como uma espécie de “maternidade” ao assegurarem locais de desova para muitas espécies de mar alto, ao mesmo tempo que se tornam um refúgio para o crescimento dos juvenis.

As arribas rochosas de São Pedro de Moel, onde se destaca o lendário Penedo da Saudade, são consideradas de grande interesse científico e didáctico, no que diz respeito à idade dos afloramentos rochosos e tipos de fósseis presentes (do Jurássico inferior). Considerado o melhor afloramento com amonites mesozóicas conhecido em Portugal, destacam-se ainda as jazidas de bivalves em excelente estado de conservação.

Classificadas pelo POOC como zona de risco, devido ao enorme efeito erosivo a que estão sujeitas, as arribas de São Pedro de Moel são em conjunto com as dunas, habitats imprescindíveis para a defesa dos aglomerados populacionais costeiros contra à acção directa do mar.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *