Sociedade

Metais e pedras preciosas: défice português com evolução positiva e «sem precedentes»

Os indicadores nacionais mais recentes do comércio internacional de metais e pedras (semi-)preciosos e de pérolas atestam não só um «desagravamento significativo do défice comercial» português nos últimos anos, mas, sobretudo em 2009, uma «melhoria significativa do peso» das exportações no peso global da balança, fazendo com que, num efeito conjugado com outros factores, a taxa de cobertura tivesse uma «evolução sem precedentes ao longo dos últimos 11 anos».

     A conclusão  é do Gabinete de Estudos da Associação Empresarial de Portugal (AEP), no último trabalho sectorial dedicado ao sector de ourivesaria, joalharia e relojoaria, motivado pela realização da 21.ª edição da PORTOJÓIA, certame que preencherá as vitrinas da EXPONOR – Feira Internacional do Porto de 22 a 26 de Setembro (relatório completo em www.portojoia.exponor.pt, na área de Imprensa).

     O principal “contribuinte líquido” para a actual estatística económica nesta vertente do sector, refere o trabalho do GE da AEP, foi o comportamento das exportações de ouro (em formas brutas ou semi-manufacturadas), que, no ano transacto, conheceu um «aumento considerável». O valor exportado, onde também entram as transacções de ouro platinado, «foi praticamente o quádruplo do registado no ano de 2008», ou seja, 100,2 milhões de euros contra 25,4 milhões.

     O segmento analisado pelo Gabinete de Estudos engloba o comércio internacional de pérolas naturais ou cultivadas, pedras preciosas ou semipreciosas e semelhantes, metais preciosos, metais folheados ou chapeados de metais preciosos, e suas obras, bem como bijutarias e moedas.

     O trabalho não ilude «alguma perda» do peso relativo desta componente comercial no cômputo geral do comércio internacional português (em 1998, as importações chegaram aos 231 milhões de euros e as exportações aos 93 milhões, ao passo que, em 2009, foram de 140 milhões e 131 milhões, respectivamente), mas acentua a recuperação gradual nos saldos sucessivamente negativos.

      «Destaque-se de modo particular o desagravamento significativo do défice comercial no ano de 2009. Comparativamente ao ano de 2008, o saldo comercial tornou-se menos negativo em cerca de 87 milhões de euros (o défice desceu de 96,3 milhões de euros para cerca de 9,4 milhões de euros), em virtude do efeito conjugado de um forte acréscimo das exportações (+122,9%) com uma redução das importações (-9,4%). Deste modo, a taxa de cobertura conheceu uma melhoria considerável, tendo subido de 37,9% para 93,3%, numa evolução sem precedentes ao longo dos últimos onze anos», pode ler-se no documento da AEP. 

Melhorias estendem-se também à relojoaria 

     Os indicadores dos últimos dois anos do comércio internacional de relógios de pulso, bolso e afins revelam também uma curva favorável.

     É certo que, desde 1998, as trocas comerciais destes produtos têm sido desfavoráveis para Portugal, observando-se «agravamentos sucessivos dos défices», no entanto, nos dois últimos anos, a estatística evidenciou um desempenho «muito favorável» nas exportações (taxa de crescimento de 23,4% e 17,9%, respectivamente).

     «Esta evolução, aliada a uma forte desaceleração na taxa de crescimento das importações (1,8% em 2008 e 0,9% em 2009, contra 14,5% registada em 2007), conduziu a um assinalável desagravamento do défice comercial (que se tornou menos negativo em 8,8 milhões de euros entre 2007 e 2009) e a uma melhoria da taxa de cobertura das importações pelas exportações (subiu de 23,4% para 33,2%)», sublinha o trabalho de análise do GE. 

Negócios e… muito mais 

     A PORTOJÓIA (que representa em Portugal uma indústria – a da fabricação de joalharia, ourivesaria, artigos similares, relógios e material de relojoaria – responsável por um volume de negócios de 177,2 milhões de euros), recorde-se, conta já com mais de 20 anos de presença no mercado a fomentar negócios e relações comerciais, apoiando as empresas e dando a conhecer as tendências do sector. De 2000 a 2009, a feira recebeu um global de 128.356 visitas e mostrou as novidades de 2.389 empresas expositoras. Para além de ser o momento onde os empresários iniciam e fecham os grandes negócios da temporada, a exposição funciona igualmente como fórum de reflexão.

     A PORTOJÓIA contará novamente com os espaços Criadores e Escola, responsáveis por duas das vertentes dinamizadoras. O primeiro tem a seu cargo fazer aparecer os nomes dos novos profissionais do mundo das jóias, dando a possibilidade de designers e autores de jóias divulgarem o seu trabalho. O Espaço Escola tem por desígnio fazer a aproximação entre as escolas e as empresas. A iniciativa mostra todo o potencial dos formandos no desenho e fabrico de jóias de adorno pessoal e peças decorativas.

     A exposição abre-se também ao PORTUGALFASHION, que mais uma vez de mãos dadas com a PORTOJÓIA, aliando assim a beleza das vestes ao luxo das jóias. O desfile contará com a presença dos melhores estilistas portugueses e com o que de melhor se faz na moda em Portugal. Para abrilhantar a passarela, as mais recentes criações do mundo das jóias ornamentarão os manequins.

     No Ano Internacional da Biodiversidade, o prémio “PORTOJÓIA Design”, outra manifestação complementar de relevo da mostra, alia-se às comemorações e elege precisamente a biodiversidade como tema. O concurso visa distinguir a originalidade, a inovação e o design das peças de joalharia e ourivesaria de adorno pessoal e decorativas criadas por estudantes e formandos de design de jóias, de produto e de cursos de ourivesaria, que são os destinatários desta actividade. 

Síntese:

PORTOJÓIA 2010 – 21.ª Feira Internacional de Joalharia, Ourivesaria e Relojoaria

Data: de 22 a 26 de Setembro de 2010

Horário: das 10:00 às 20:00, de quarta-feira a sábado; das 10:00 às 19:00, no domingo (último dia)

Produtos em exposição: ourivesaria, joalharia, relógios, prata decorativa, embalagens, maquinaria, sistemas de segurança, “software”

Perfil do visitante: fabricantes, importadores, representantes e criadores (entrada interdita a menores de 14 anos)

Organização e local: EXPONOR – Feira Internacional do Porto

N.º  de expositores (directos) em 2009: 179

N.º  de visitas da última edição: 11.829

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *