Cultura, Penafiel

Saramago na Memória de Penafiel

A cidade de Penafiel que em Outubro de 2009 se transformou na “cidade Saramago” , durante 5 dias, no âmbito da escritaria , guardará na sua memoria o Nobel da literatura, José Saramago.
 
No último ano, Penafiel teve a honra de receber Saramago no âmbito da escritaria, num evento singular onde a obra e o homem se misturou com a cidade e com as suas gentes, cidade que foi brindada com a apresentação da sua ultima obra, o polémico livro “Caim”.
 
Durante dias, Penafiel viveu de forma intensa a escrita do Nobel da literatura e partilhou com a população diversas iniciativas de reflexão e debate sobre a importância literária do autor.
 
Para o autarca, Alberto Santos “ é com tristeza que recebo a notícia do falecimento daquele que é para mim e para muitos um dos grandes nomes da literatura nacional e cujo Concelho a que presido teve a honra de homenagear ainda em vida. Partiu o homem, mas fica a riqueza da sua obra, o que nos garante que uma parte importante de si próprio continuará a viver em cada página e em cada letra da sua obra. E isto é algo que a morte não pode apagar”.
 
A Cidade de Penafiel esteve em Outubro de 2009, contaminada com os notáveis aforismos, frases soltas, referências históricas, cosmogonias literárias, imagens e obras plásticas que remeteram para o peculiar universo de José Saramago, cuja passagem por Penafiel marcou a ligação da cidade à literatura.
 
Muitas foram as personagens que invadiram as ruas de Penafiel, o projecto “Cidade das Personagens” difundido em Penafiel, apresentou diversas instalações que reproduziram alguns dos mais emblemáticos protagonistas dos romances de José Saramago.

Blimunda de Jesus, de “Memorial do Convento”, Ricardo Reis de “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, Cão Ardent Constante de “A Jangada de Pedra”, Jesus Cristo de “Evangelho segundo Jesus Cristo”, A Mulher do Médico de “Ensaio sobre a Cegueira”, Tertuliano Máximo Afonso de “O Homem Duplicado” e Elefante Salomão de “A Viagem do Elefante” foram as personagens escolhidas das suas obras.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *