Cantanhede, Cultura

Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal apresenta “Era uma vez… um gato com botas” em cinco sessões – Cantanhede

O Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal prossegue a sua época de actuações no próximo dia 9 de Junho, pelas 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal, com a estreia da peça de teatro infantil “Era uma vez… um gato com botas”. Trata-se da adaptação de Natália Queirós para teatro de um dos mais conhecidos contos de Charles Perrault, “O Gato das Botas”.

“Era uma vez… um gato com botas” é a 13ª peça levada à cena pelo Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal desde Junho de 2004, no âmbito das actividades desenvolvidas por este grupo teatral.

O segundo espectáculo, dirigido ao público em geral, está agendado para o dia 13 de Junho, domingo, pelas 16.00 horas. A juntar a estas duas apresentações realizar-se-ão mais três espectáculos para as Escolas Básicas do Concelho. No dia 14, os alunos das EB1 de Cantanhede terão oportunidade de assistir à representação, seguidos dos alunos de Cadima, Aljuriça e Casal Cadima no dia 15, e da EB1 de Cantanhede Sul, no dia 16 de Junho, sempre às 10h30.

A peça conta a história do Gato das Botas, personagem inteligente e astuta, amigo inseparável de seu amo Benjamim, do qual constituía a única herança recebida por falecimento de seu pai. Moleiro de profissão, o pai de Benjamim possuía apenas três bens: o moinho, que deixou ao seu filho mais velho, um burro, que foi herdado pelo filho do meio, e um gato, que coube a Benjamim, para seu grande descontentamento, uma vez que não via neste legado qualquer hipótese de conseguir sustento.

Ao longo da acção, o Gato demonstra ser um amigo leal e inteligente, desfazendo a ideia inicial que o seu amo tinha dele. Usa a sua arte e engenho para conseguir fazer Benjamim enriquecer e ascender socialmente, transformando-o em “Marquês de Carabás” e possibilitando-lhe, dessa forma, realizar o sonho de casar com a princesa.

A história tem subjacente a importância da amizade, da fidelidade, da inteligência e da astúcia que são superiores a bens materiais, como aqueles que couberam por herança aos irmãos de Benjamim.

“Era uma vez… um gato com botas” é dramatizada em sete actos com a presença de um narrador e com a opção literária pelo estilo redondilha maior, que facilita a memorização da história pelos espectadores e valoriza a tradição literária do género dramático. 

Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal de Cantanhede

O Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal de Cantanhede integra presentemente nove crianças com idades compreendidas entre os 8 e 16 anos das quais 1 participa pela primeira vez. Uma autêntica aventura, como refere a Dr.ª Natália Queirós, grande dinamizadora do projecto desde a primeira hora. Entretanto, alguns dos elementos mais antigos foram saindo, em função dos seus interesses e ocupações, no decurso de um processo de renovação em que foram entrando outros actores de palmo e meio.

Segundo a principal responsável pela actividade do grupo, “o importante é que todos quantos têm estado envolvidos nesta actividade lúdico-cultural se sintam bem e levem da sua participação uma boa memória. Se a par disso lhes ficar algo, como o desenvolvimento da auto-estima, da auto-confiança e o interesse pelos valores culturais, então valeu a pena. Numa sociedade pejada de dificuldades afigura-se-nos que tais valores não serão despiciendos na formação das crianças e, sendo assim, este projecto, ainda que modesto, segundo a motivação que nos assiste, terá conseguido o seu objectivo”.

O Grupo de Teatro Infanto-Juvenil da Biblioteca Municipal de Cantanhede surgiu em Junho de 2004, tendo realizado desde essa altura 60 sessões de 12 espectáculos diferentes, aos quais assistiram cerca de 7.500 pessoas, sobretudo crianças.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *