Oliveira de Azeméis, Sociedade

Autarquia aposta na Cerciaz como parceira para a inclusão social – Oliveira de Azeméis

A cedência do direito de superfície do terreno onde está implantado o Centro de Recuperação de Crianças Deficientes e Inadaptadas de Oliveira de Azeméis (Cerciaz) vai constar de uma proposta que o presidente da autarquia irá submeter à apreciação do executivo, anunciou Hermínio Loureiro na sessão solene do 30º aniversário da Cerciaz.
O autarca associou-se às comemorações que incluíram o lançamento do livro «30 sonhos», a homenagem a funcionários, ex-dirigentes e figuras que se destacaram no apoio à instituição ao longo de três décadas e a assinatura de um protocolo para a criação do Centro de Treino Municipal de Boccia.
«A Cerciaz será sempre um parceiro na definição e implementação de políticas relacionadas com as questões da deficiência», afirmou Hermínio Loureiro, considerando a instituição «a que mais se tem destacado nas matérias inclusivas combatendo a exclusão e as desigualdades até ao limite».
O aniversário foi de festa e reconhecimento do trabalho desenvolvido pelas direcções e funcionários na tentativa de combater a discriminação e promover a «igualdade de direito das pessoas com deficiência».
Segundo Hermínio Loureiro, os progressos alcançados não evitam que continue a existir um «conjunto de barreiras de toda a ordem» que «não permitem ainda uma plena cidadania aos portadores da deficiência».
«A Cerciaz tem dado um contributo exemplar para deitar abaixo as barreiras», considerou o autarca, destacando a capacidade da instituição de «transformar as dificuldades em oportunidades» e a aptidão para inovar, obter novas receitas e prestar os serviços à comunidade.
«A Cerciaz é hoje uma instituição respeitável que trabalha de forma profissional as matérias relacionadas com as questões da deficiência», disse Hermínio Loureiro, destacando que o combate municipal à exclusão faz-se «na transversalidade das políticas».
O autarca aproveitou o 30º aniversário para propor, face ao «excelente trabalho que vem sendo realizado», o alargamento do protocolo no âmbito do qual o tratamento e o embelezamento das rotundas e outros espaço públicos é assegurado por alunos da instituição.
«Olhando para o vosso trabalho e para o vosso sucesso sentimos na Cerciaz uma extraordinária fonte de motivação e inspiração», realçou o presidente do município.
A Cerciaz foi criada a 27 de Maio de 1980 e pelas instalações, com o objectivo da sua integração social e profissional, já passaram centenas de crianças e jovens.
Para Jorge Silva, presidente da Assembleia Geral, é necessário um olhar diferente para as pessoas portadoras de deficiência como «seres humanos com aspirações e anseios legítimos» sendo, também, «fundamental que as empresas estejam mais receptivas a acolher nos seus quadros pessoas com deficiência».
Jorge Silva classificou os 30 anos da Cerciaz «um caminho de perseverança e de crescimento» que proporcionou a muitos jovens «um percurso de vida diferente daquele a que pareciam estar predestinados».
A apresentação do livro «30 sonhos», de Ana Paula Pinto, assinalou a passagem dos 30 anos de actividade da Cerciaz.
Durante a cerimónia foi entregue ao presidente da Direcção, António José, a medalha de Ouro do município atribuída no passado dia 16 de Maio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *