Oliveira de Azeméis, Sociedade

Autarquia apoia reconstrução de escola primária em Timor Leste – Oliveira de Azeméis

A primeira escola reconstruída com os fundos da campanha «Do sonho…à realidade», promovida pela Câmara de Oliveira de Azeméis, foi inaugurada no distrito de Aileu, em Timor-Leste.
Esta foi a primeira escola pré-primária a ser restaurada utilizando os fundos angariados pela campanha solidária lançada em 2004 mas está já nos objectivos da Fundação Alola, que gere a implementação dos projectos da Fundação Xanana Gusmão, a reconstrução de uma segunda escola.
«Começámos agora a trabalhar na segunda fase deste projecto que será a reabilitação de uma escola em Díli»», afirma Kirsty Gusmão, presidente da Fundação Alola.
Kirsty Gusmão, esposa do primeiro-ministro de Timor-Leste, foi uma das figuras presentes na inauguração do novo equipamento onde agradeceu o «carinho» e «o grande apoio» da autarquia na reabilitação da escola Seloi-Kraik.
A campanha nacional de solidariedade «Timor: Do sonho…à realidade» foi lançada em 2004 pela Câmara de Oliveira de Azeméis com o objectivo de angariar verbas destinadas a apoiar a comunidade escolar e a promover a língua portuguesa.
No âmbito do apoio a Timor-Leste e da campanha, que envolveu o apoio da comunidade empresarial, Xanana Gusmão, então presidente da República de Timor-Leste, visitou por duas vezes o concelho de Oliveira de Azeméis.
A ultima deslocação, em 2006, envolveu contactos com algumas empresas com as quais foram assinados protocolos de cooperação para apoio à educação de crianças e recuperação de uma escola, além da oferta de livros.
Em 2009, Kirsty Gusmão esteve em Oliveira de Azeméis onde se congratulou com o projecto de intercâmbio «Laços de Amizade» destinado a ajudar as crianças de uma escola timorense.
A educação é uma das áreas prioritárias de intervenção da Fundação Alola, instituição que desenvolve ainda acções nas áreas da saúde materno-infantil, desenvolvimento económico e apoio jurídico.
No distrito de Aileu existiam, em 2009, 64 escolas primárias com 975 alunos, nove escolas pré-secundárias com sete mil alunos e quatro secundárias com mais de 15 mil estudantes. Ao sector, onde trabalham mais de 400 professores primários, foi afectado um orçamento de 380 mil euros.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *