Marinha Grande, Sociedade

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios – Marinha Grande

Reuniu no passado dia 30 de Abril, no Auditório da Biblioteca Municipal da Marinha Grande, a Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (CMDFCI), onde foi apresentado, discutido e aprovado o Plano Operacional Municipal (POM) do Concelho da Marinha Grande para o ano de 2010.

 A reunião foi presidida pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, Paulo Vicente, tendo ainda estado presentes representantes das seguintes entidades: Assembleia Municipal da Marinha Grande; Associação de Produtores Florestais dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré; Associação dos Produtores Florestais do Oeste e Estremadura; Autoridade Florestal Nacional; Bombeiros Voluntários de Marinha Grande e de Vieira de Leiria; EDP; Estradas de Portugal; Serviço Municipal de Protecção Civil e Gabinete Técnico Florestal (GTF); GNR de Vieira de Leiria de São Pedro de Moel e o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro da GNR; Juntas de Freguesia de Marinha Grande, Moita e Vieira de Leiria; PSP da Marinha Grande e o Regimento de Artilha nº 4, do Exército Português.

 Elaborou-se o POM 2010, com vista a dar cumprimento à legislação em vigor, que aponta para a necessidade da elaboração do POM pela CMDFCI de cada Município, com o apoio técnico do GTF.

 O POM é um documento no qual se enumeram, descrevem e contabilizam os meios e recursos humanos incluídos no Dispositivo Operacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

 No POM descrevem-se os procedimentos de actuação e as funções específicas dos vários agentes envolvidos nos domínios da prevenção, vigilância, detecção, 1ª intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-rescaldo, no âmbito do dispositivo de defesa da floresta contra incêndios.

 Este documento é executado todos anos, antes do período de maior probabilidade de ocorrência de incêndios florestais.

 O documento estará disponível para consulta no site da Câmara Municipal da Marinha Grande, divulgando-se assim, junto do público, o esforço conjunto e anual dos agentes e entidades de protecção civil para a redução dos incêndios e das suas consequências, naquela que é uma contribuição fundamental para a preservação da floresta e a protecção do seu ecossistema, função que é afinal comum a todos nós, cidadãos.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *