Braga, Cultura

…Theatro Circo em Maio – Braga

As vozes femininas de Lou Rhodes e das “The Unthanks”, o recital de solidariedade com a soprano Stella Mendonça ou os trabalhos dramáticos da Companhia de Teatro de Braga – “Rubem Fonseca” – e do Teatro das Beiras – “A Neve”, são algumas das propostas que o Theatro Circo tem para Maio e que se destacam de um cartaz que inclui ainda uma vasta oferta de espectáculos para o público infanto-juvenil.
 
“The Unthanks” é o novo nome da banda de Rachel e Becky que a 8 de Maio (23h59) vêm a Braga para dar continuidade ao “Musa – Ciclo no Feminino” com a apresentação do álbum “Here’s The Tender Coming”.Depois de vários anos com a designação “Rachel Unthank & The Winterset”, as irmãs Unthank assumem finalmente a co-liderança e assinalam a abertura de um novo capítulo com a renovação da sonoridade incomparável que conquistou admiradores como os “Radiohead”, Robert Wyatt, “Portishead”, “Joan As Policewoman”, Ben Folds, Ewan McGregor e Nick Hornby.
Com dez novas faixas que conjugam sonoridades provenientes de origens tão diversas como voz, piano, marimba, duplo baixo, guitarra, bateria, quarteto de cordas, trompete, trombone ou “ukelele”, “Here’s The Tender Coming” sucede a “The Bairns” e a “Cruel Sister”, trabalhos que garantiram à banda inglesa várias nomeações para os “BBC Folk Awards” e as distinções com o “Mojo Folk Album of the Year” e “The Horizon Award”.
O ciclo, «exclusivamente dedicado às mulheres, produzido por mulheres e com projectos artísticos assinados por mulheres», prossegue a 22 (23h59) com Lou Rhodes, conhecida ex-vocalista dos “Lamb”, que traz ao Theatro Circo o seu terceiro trabalho a solo – “One Good Thing”.
“There for the Taking”, primeiro “single” do projecto que a cantora inglesa extraiu da simples junção de guitarra e voz, é um dos temas que trazem de volta um nome que se transformou em fenómeno de culto em todo o mundo.
Após os ambientes “electro” e atitude “edgy” dos “Lamb”, Lou Rhodes direccionou o seu talento vocal para um estilo mais “folk”, que lhe valeu uma nomeação para o “Mercury Music Prize” com o primeiro álbum a solo, “Beloved One” (2006), e que se reflecte nas baladas de voz sussurrada e nas letras intimistas que acompanham cada nova composição.
 
Protagonizado pela soprano Stella Mendonça e pelo pianista Paul Suits, o “Recital Operático de Solidariedade Com o Parque Nacional da Gorongosa” é o espectáculo que o Theatro Circo acolhe a 7 de Maio (21h00) no seu palco principal.
Integrado no programa social do II Congresso Internacional Escolar, este ano organizado pelo Agrupamento de Escolas de Lamaçães, o recital é desenvolvido no âmbito da campanha “Construir uma Escola, Construir o Futuro”, que se destina à angariação de fundos para a construção de uma escola na zona do Parque Nacional da Gorongosa (Moçambique).
Em Maio, a música clássica regressa a 21 (19h00) com o Quarteto de Piano de Moscovo em concerto evocativo do bicentenário do nascimento dos compositores Chopin e Schumann.
Na circunstância, o quarteto formado por José Pereira (violino), Alexandre Delgado (viola), Guenrikh Elessine (violoncelo) e Alexei Eremine (piano) interpreta “Trio com piano em Sol menor”, de Frédéric Chopin (1810-1849), e “Quarteto com Piano em Mi bemol maior”, que Robert Schumann (1810-1856) escreveu em 1842.
“O Menino e o Imperador” é o musical infantil que nos dias 5 (14h30) e 6 (10h00 e 14h30) assinala o início de um conjunto de representações especialmente destinadas ao público escolar.
Encenado pelo bracarense Almeno Gonçalves, “O Menino e o Imperador” é um texto original do também intérprete Heitor Lourenço, inspirado num conto tradicional chinês e retirado do seu livro “Histórias da Dona Esperança”, que nasceu de um projecto de solidariedade social e pretende abranger e sensibilizar toda a população infantil, bem como os educadores e respectivas famílias.
 
Os trabalhos dramáticos para público escolar prosseguem com “Deixemos o Sexo em Paz”, por Maria Paulos – Companhia de Teatro (11, 10h30 e 15h00) e “Frei Luís de Sousa”, pela companhia “Jangada Teatro” (14, 14h30).
“1.José 2.Rubem 3.Fonseca” é uma co-produção da Companhia de Teatro de Braga e da Escola da Noite (Coimbra) que vai estar em cena no renovado Pequeno Auditório do Theatro Circo de 8 a 22 de Maio (21h30), excepto segundas-feiras.
Com dramaturgia e encenação de António Augusto Barros, a trilogia “1.José 2.Rubem 3.Fonseca” – “Fonseca (8 e 9), “Rubem” (11 a 16) e “José” (18 a 22) – consubstancia-se numa leitura abrangente da obra do escritor brasileiro que se concretiza através da transposição para o palco de cerca dos seus vinte contos em três espectáculos diferentes que podem ser vistos de forma autónoma ou contínua.
O teatro tem novamente lugar na programação a 28 de Maio (15h00 e 21h30) com a apresentação de “A Neve”, pelo Teatro das Beiras. Construído a partir de cinco contos de Vergílio Ferreira – “O Encontro”, “A Palavra Mágica”, “A Fonte”, “A Galinha” e “A Estrela” – o espectáculo, que resulta de uma colaboração entre a Companhia de Teatro de Braga e o Theatro Circo, traduz-se num conjunto de histórias que, interligadas, revelam um humor triste e alguma nostalgia em relação à condição humana.
Para além do “Concerto Didáctico – Sons do Conservatório” (23, 11h00), os alunos do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga apresentam-se em Maio no Theatro Circo com dois recitais de música de câmara (13 e 20, 19h00).
Para além da continuação da actividade “Música Para Uma Plateia de Palmo e Meio” (15, 10h30 e 11h30), da programação concebida para o público infantil faz parte também o espectáculo “Pé Ante Pés” (29 e 30, 10h00, 12h00 e 16h00) de Joana Antunes.
Co-produzido pelo Theatro Circo, Centro Cultural Vila Flor e Casa das Artes de Famalicão, “Pé Ante Pés” chega ao palco do Pequeno Auditório sob a forma de espaço onde os mais pequenos interagem e contactam com um conjunto diversificado de estímulos visuais, auditivos, olfactivos, gustativos e tácteis, contribuindo desta forma para o seu desenvolvimento integral e sensibilidade.
 
Reproduzindo em palco o “ninho” familiar, fonte primordial de interacção entre pais e filhos, logo de comunicação, criatividade, conforto e segurança, a iniciativa que tem uma lotação máxima de 30 participantes e que se destina a pais e a bebés, fundamenta-se na ideia de construir uma caixa mágica, um espaço onírico, de experimentação, de criação, de comunicação e de partilha entre pais e bebés.
Ingressos disponíveis em www.theatrocirco.bilheteiraonline.pt e na bilheteira do Theatro Circo.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *